4904: Descoberta acidentalmente nova espécie de cobra que estava escondida à vista de todos

CIÊNCIA/BIOLOGIA

BioOne / Weinell

Jeff Weinell, investigador no Instituto de Biodiversidade da Universidade de Kansas, descobriu que três espécies de cobras preservadas na colecção de biodiversidade, encontradas em missões entre 2006 e 2012, e ignoradas até agora, pertenciam a uma categoria própria.

As três espécies de cobra são os únicos membros conhecidos de um novo género, chamado Levitonius, e de uma nova espécie, denominada Levitonius mirus.

O estudo, realizado por Weinell e pela sua equipa, foi baseado em métodos que incluem a análise de ADN e tomografias computorizadas que examinam a estrutura óssea das cobras, e publicado na revista científica Copeia no dia 23 de Dezembro.

A recém-identificada Levitonius mirus é nativa das ilhas de Samar e Leyte, nas Filipinas, arquipélago com grande biodiversidade que de acordo com o estudo inclui pelo menos 112 espécies de cobras terrestres.

A cobra tem o menor número de vértebras alguma vez registado em qualquer espécie de cobras no mundo e tem um crânio longo e estreito em relação ao seu tamanho, explicou Weinell em declarações à CNN. As suas escamas são altamente iridescentes e é provável que a sua dieta seja baseada em minhocas.

Na realidade, no início da pesquisa, o cientista pretendia obter informação sobre um grupo de cobras chamado Pseudorabdion. “Sequenciei o ADN de espécies desse grupo, e este foi identificado como pertencente a Pseudorabdion”, explica o especialista à CNN. “Quando recebi os resultados do ADN pensei que era um erro da minha parte”.

Durante uma análise mais aprofundada às escamas das cobras e com as tomografias realizadas, Weinell percebeu que tinha afinal encontrado algo novo.

O réptil é descrito como um género e espécie muito mais pequeno do que os seus parentes mais próximos. Embora a Levitonius mirus tenha no máximo “o tamanho de um lápis, os parentes mais próximos podem ser três a quatro vezes maiores”, realça o investigador.

Os três exemplares examinados no estudo são os únicos até agora encontrados desta espécie, e a cobra nunca foi fotografada viva, revelou Weinell.

Weinell prevê que mais espécies do género serão eventualmente encontradas nas Filipinas, embora o facto de este tipo de cobras se adaptar à vida no subsolo poder complicar a vida aos cientistas.

Por Ana Moura
3 Janeiro, 2021