2893: Manto de invisibilidade ao estilo Harry Potter apresentado no Canadá. Veja o vídeo

CIÊNCIA

Hyperstealth patent pending Quantum Stealth (Invisibility Cloak)
9 minute Promotional Video
57 minute Technical Edition Video below this one (How and Why explained)

Hyperstealth patent pending Quantum Stealth (Invisibility Cloak)
Technical Edition 57 minute runtime

Hyperstealth patent pending Quantum Stealth (Invisibility Cloak)
Technical Edition 57 minute runtime

Hyperstealth patent pending Holographic like Display System
17 minute runtime

Hyperstealth patent pending Laser Scattering, Deviation and Manipulation
Extreme High Resolution LIDAR with Millions of Lasers
11.5 minute runtime

Hyperstealth patent pending Solar Panel Amplifier
Setting Power output records for all three major types of Solar Panels
12 minute runtime

Crédito: Hyperstealth

Hyperstealth concebeu a partir do Canadá um material chamado Quantum Stealth que consegue esconder pessoas e objectos, tal como o Manto de invisibilidade de Harry Potter. Patente já foi apresentada.

É um dos sonhos mais antigos da humanidade: poder esconder-se em plena vista. Isso potencia a possibilidade de vigilância em locais proibidos – ao melhor estilo da espionagem -, mas também a indústria da guerra.

A empresa canadiana Hyperstealth – que opera de Vancouver -, especialista em camuflagem, mostrou este mês o resultado de uma patente que apresentou e que ainda está pendente. No vídeo esta espécie de ecrã de invisibilidade que foi desenvolvido, dobra a luz para fazer os objectos desapareceram. Poderia ser usado para esconder tanques ou tropas, ou até remover edifícios intrusivos da paisagem

No vídeo recente apresentado pela Hyperstealth, o que parece que uma mesa vazia atrás de um fundo claro, percebe-se depois, à medida que a câmara de mexe, que está a esconder um capacete e uma pessoa. A Hyperstealth desenvolve este material chamado Quantum Stealth desde 2011, mas o que pareciam alegações impossíveis na altura, parecem ser agora realidade.

Em comunicado, a empresa (Hyperstealth Biotechnology Corp.) explica com mais pormenor que fez quatro pedidos de patentes, todos relacionados com o seu Quantum Stealth (que chama material leve e moldável), também conhecido como Manto da Invisibilidade. “As informações contidas nas quatro patentes foram divulgadas incluindo mais de 100 minutos de vídeos que demonstram os materiais protótipos disponíveis [estão todos no site da empresa]”, diz em comunicado.

Guy Cramer, presidente e CEO da Hyperstealth é também o inventor dos quatro pedidos de patente e explica alguns pormenores: “A verdadeira invisibilidade era considerada impossível pela maioria dos físicos. O material do Quantum Stealth não apenas oculta um alvo do espectro visível, mas também demonstramos que ele também funciona com infravermelhos ultravioleta, infravermelhos normais e de ondas curtas, enquanto bloqueia também o espectro térmico, tornando-o uma verdadeira ‘capa de invisibilidade em toda a linha’”.

Outros pormenores que é possível conhecer do comunicado é que não é necessária fonte de energia e o material é fino como papel e consegue ser barato. “Pode esconder uma pessoa, um veículo, um navio, naves espaciais e edifícios” e a patente aborda um total de 13 versões do material, permitindo várias configurações diferentes. “Um pedaço de Quantum Stealth pode funcionar em qualquer ambiente, em qualquer estação do ano, a qualquer hora do dia ou da noite, algo que nenhuma outra camuflagem é capaz”, é garantido.

O segundo pedido de patente é um novo “Amplificador de painel solar”, que usa o mesmo material ao estilo lente, uma componente essencial das quatro patentes. Indica a empresa que o material mostrou fornecer mais do que o triplo da produção de um painel com a mesma espessura. Guy Cramer alega assim que este material também tem uso como painel solar mais eficaz, que torna o seu em latitudes muito mais longe do Equador bem mais viável.

O terceiro pedido de patente é chamado de “Sistema de exibição” e pretende ser capaz de produzir imagens holográficas com a ajuda de um projector ligado à electricidade, ou seja, poderá conseguir reproduzir um ambiente circundante como hologramas, como se estivéssemos noutro local. “O Holodeck de Star Trek está mais perto”, promete o comunicado da empresa.

O quarto pedido de patente é denominado de Dispersão, Desvio e Manipulação de laser: nos vídeos, Guy demonstra a divisão de um único laser em mais de 3.888.000 lasers menores. O que se pode fazer com tantos lasers, pergunta a empresa? Podem ser adicionador a um sistema LIDAR como aqueles usados nos carros autónomos que normalmente usa um laser, um espelho giratório e um receptor óptico para determinar o ambiente circundante.

Aumentar um laser para milhões deles “deverá permitir uma resolução elevada a distâncias muito maiores, permitindo que os computadores determinem condições ou objectos perigosos muito mais rapidamente, permitindo um trânsito muito mais seguro para o veículo, para pedestres e animais próximos às estradas”.

A empresa tem sonhos ambiciosos indicando que a tecnologia também poderia permitir a detecção e rastreamento de aeronaves e funcionaria em aeronaves convencionais ou furtivas a longas distâncias aplicadas em ambiente de guerrilha “permitindo detalhes sem precedentes aos soldados indicando a localização de equipamentos adversários, independentemente das suas tentativas de camuflagem”.

Resta saber como se desenvolvem as várias patentes e que empresas as podem desenvolver para produtos concretos, aqui mais associado ao exército norte-americano que buscava este tipo de soluções. As alegações da empresa podem também levar a novas regras específicas para o uso deste tipo de equipamentos.

dn_insider