1079: Provável pátria do primeiro asteróide interestelar revelada

M. Kornmesser / European Southern Observatory
Impressão de artista do primeiro asteróide interestelar: `Oumuamua.

Cientistas calcularam a trajectória do movimento do Oumuamua, o primeiro asteróide interestelar, mencionando alguns sistemas estelares de onde o asteróide pode ter saído em direcção ao Sol e à Terra há mais de um milhão de anos.

O astrónomo belga Olivier Hainaut e os seus colegas afirmaram que a pátria mais provável do Oumuamua poderá ser a anã vermelha HIP 3757 da constelação Cetus a 77 anos-luz da Terra.

Em Outubro do ano passado, através do telescópio automático Pan-STARRS1 foi descoberto o primeiro corpo celeste “interestelar”.

Este objecto foi classificado convencionalmente como sendo um “cometa” e recebeu o nome temporário de C/2017 U1. Depois de descoberto, dezenas de telescópios terrestres e orbitais começaram a vigiá-lo.

Antes de deixar o espaço próximo da Terra, os cientistas obtiveram um grande número de imagens e dados sobre as características físicas do “migrante”, revelando que ele é mais parecido com um asteróide do que com um cometa.

O asteróide foi renomeado para 1I/2017-U1, e mais tarde baptizado de Oumuamua, que tem um significa próximo a “um mensageiro longínquo que chegou primeiro” no idioma dos habitantes nativos das ilhas havaianas.

Os cientistas contaram todas as estrelas que estavam à distância de 2 parsecs da trajectória seguida pelo cometa em direcção ao Sol e à Terra e calcularam as condições em que o objecto poderia deixar esses sistemas estelares. A investigação foi publicada a 24 de Setembro no arquivo online arXiv.org.

Segundo o cientista belga Olivier Hainaut, apenas quatro das estrelas que a trajectória do Oumuamua atravessa poderiam gerar um objecto com tal tamanho e velocidade.

Além da anã vermelha HIP 3757, a pátria do Oumuamua pode ainda ser uma estrela semelhante ao Sol, chamada HD 292249, da constelação de Monoceros a 135 anos-luz. De acordo com os astrónomos, a distância de HIP 3757 e de HD 292249 até à Terra teria levado, respectivamente, um e quatro milhões de anos a percorrer.

Na lista dos cientistas entraram mais duas estrelas — a 2MASS J0233 e a NLTT 36959, das constelações Cetus e Virgo, a 66 e 300 anos-luz da Terra. As suas características tornam-nas semelhantes ao Sol e a outras anãs amarelas e laranja.

Contudo, os astrónomos ainda não descobriram sinais de presença de outros corpos celestes pequenos nas estrelas enumeradas, por isso não se pode concluir qual das hipóteses formuladas é na verdade a pátria do Oumuamua.

Em Março de 2018, uma publicação revelou que o asteróide teria vindo, provavelmente, de um sistema binário.

Por outro lado, a diminuição do número de candidatos a esse papel permite concluir que as estrelas geram com mais frequência este tipo de “viajantes interestelar” e qual a quantidade de viajantes no Sistema Solar.

Por SN
27 Setembro, 2018

[vasaioqrcode]

See also Blogs Eclypse and Lab Fotográfico