690: A NASA apresentou o seu plano para destruir o asteróide do fim do mundo

JPL / NASA

Detectar e destruir: este é o novo plano da NASA para afastar asteróides potencialmente perigosos da Terra. A agência espacial norte-americana acredita que pode destruir asteróides ou quaisquer outros objectos espaciais indesejados.

Na quarta-feira, o Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia dos EUA divulgou um relatório no qual descreve como é possível proteger a Terra de asteróides que representem um perigo real para a Humanidade, de acordo com a AP.

Segundo o especialista da NASA responsável pela defesa planetária, Lindley Johnson, os cientistas já descobriram 95% de todos os objectos na proximidade da Terra com diâmetro superior a um quilómetro. No entanto, alerta que os objectos espaciais não precisam de ser grandes para terem uma força destrutiva – tal como aconteceu quando caiu o meteorito de Chelyabinsk a 15 de Fevereiro de 2013.

O diâmetro deste meteorito era apenas de 20 metros, mas libertou um poder explosivo equivalente a 500 mil toneladas de TNT,  30 vezes a energia libertada pelas bombas nucleares lançadas sobre as cidades japonesas de Hiroshima e Nagasaki em 1945.

De acordo com o relatório divulgado, se um desses meteoritos caísse directamente sobre uma cidade populosa, mataria milhões de pessoas.

No entanto, este assunto implica várias dificuldades. De acordo com Johnson, para prevenir a ameaça proveniente da queda de um asteróide ou meteorito, é necessário saber com antecedência quando é que o corpo celeste chegaria à Terra, e o seu local de impacto.

Nesse caso será possível construir uma nave especial para interceptar o asteróide ou evacuar a população do lugar da sua possível queda. Além disso, o especialista sublinha que há numerosos objectos perigosos, que voam em torno do Sol e se aproximam de nós do lado iluminado pela luz do dia.

Projecto HAMMER

A NASA já tinha divulgado um plano, conhecido como HAMMER, para destruir objectos espaciais potencialmente perigosos. Este plano consiste em enviar uma nave até ao asteróide, para que esta penetre no objecto perigoso e detone uma carga nuclear, destruindo-o.

Este plano deveria ser aplicado se o asteróide não fosse detectado a tempo. Caso possa ser detectado, os cientistas também enviarão a nave, mas com uma carga convencional.

O HAMMER – Hypervelocity Asteroid Mitigation Mission for Emergency Response – é fruto da colaboração entre a Administração Nacional de Segurança Nuclear dos EUA, a NASA e os departamentos de energia de duas empresas norte-americanas. Até o momento, o plano  continua apenas a ser um projecto, não tendo ainda a nave sido construída.

Existe ainda outro projecto elaborado pela NASA e pelo Laboratório de Física Aplicada da Universidade Johns Hopkins, nos EUA, que prevê acções necessárias para afastar asteróides que sejam grandes demais para serem destruídos –  trata-se do Teste de Reorientação de Asteróides Duplos (DART).  O DART será a primeira missão da NASA que prevê o ataque contra um asteróide para mudar a trajectória de seu voo.

Estes planos são na prática retratados em filmes de ficção científica como Armageddon, com Bruce Willis, ou Deep Impact, com Morgan Freeman. Em ambos os casos, a humanidade reage à chegada iminente do “meteorito do fim do mundo” enviando ao seu encontro uma nave (ou duas, no caso de “Armageddon”) com a missão de o destruir.

Mas pelo menos na ficção científica, este conceito não é propriamente novo. Há quase 40 anos, já o filme Meteor, com Sean Connery , explorava a ideia de enviar uma nave espacial carregada de armas nucleares ao encontro de um asteróide potencialmente apocalíptico.

ZAP // Sputnik News / Space.com

Por SN
26 Junho, 2018

[SlideDeck2 id=1476]

[powr-hit-counter id=7664f226_1530005371233]

363: NASA planeia nave para destruir asteróide que pode colidir com a Terra em 2135

JPL-Caltech / NASA

Em 2135 há uma pequena probabilidade de um asteróide atingir a Terra. Por isso, os cientistas começaram a desenhar uma nave espacial que usa armas nucleares para rebentar com o corpo celeste.

Os cientistas da NASA desenvolveram um plano para “tratar” de um asteróide que tem 1 em 2.700 hipóteses de atingir a Terra a 21 de Setembro de 2135. A solução? Desfazê-lo com armas nucleares.

O asteróide, conhecido como Bennu, está actualmente em órbita do Sol a cerca de 16 mil milhões de quilómetros da Terra e provavelmente nunca chegará a atingir a Terra, mas o Governo dos EUA quer estar preparado para todas as situações.

A NASA e dois laboratórios de armas do Departamento de Energia reuniram-se para projectar uma nave espacial que pode explodir Bennu caso este se chegue demasiado perto do planeta Terra.

De acordo com o Buzzfeed News, a Missão de Mitigação de Asteróides a Hipervelocidades, Hammer, poderia usar uma de duas tácticas para combater um impacto.

Se um asteróide é suficientemente pequeno, o HAMMER usaria um “impactor” de 8,8 toneladas para esmagar o objecto. Se o asteróide for muito grande, a nave espacial usa um dispositivo nuclear para o explodir.

O físico David Deadborn, do Laboratório Nacional Lawrence Livermore, sugeriu que várias embarcações do HAMMER poderiam atirar-se para a frente do asteróide de forma a diminuí-lo e obrigá-lo a mudar de rumo.

A ideia do HAMMER surgiu de um relatório de 2010 publicado na revista Acta Astronáutica sobre a defesa do nosso planeta a partir de objecto próximos da Terra. “As duas respostas realistas consideradas são o uso de uma nave espacial que funciona como um pêndulo cinético ou um transportador explosivo nuclear para desviar o objecto que se aproxima”, afirmava o relatório.

Infelizmente, a nave espacial nunca pôde ser construída e os cientistas da NASA recusaram-se a fornecer uma estimativa do custo do projecto. A recente missão OSIRIS-REx – já em direcção a Bennu -, custou mais de 800 milhões de dólares (646 milhões de euros), pelo que o custo pode ser um sério impedimento à aprovação do HAMMER.

Os cientistas por trás do projecto vão apresentar o seu trabalho em maio de 2018 na oficina de disrupção Catastrófica no sistema Solar, no Japão.

Estar preparado, especialmente se os cientistas estão conscientes da probabilidade de uma colisão de asteróides, é imperativo, mas é improvável que este asteróide cause qualquer tipo de cenário do dia do juízo final semelhante ao do filme Armageddon.

ZAP // Futurism

Por ZAP
11 Março, 2018

[SlideDeck2 id=1476]

[powr-hit-counter id=6a32656c_1520773770626]