4922: O géiser mais activo do mundo acordou, mas Yellowstone mantém-se na mesma

CIÊNCIA/GEOLOGIA/VULCANOLOGIA

James St. John / Wikimedia
Géiser Steamboat

A reactivação do géiser mais activo do mundo, no Parque Yellowstone, não representa um alerta de erupção nesta área turística, localizada numa grande caldeira vulcânica.

Em 2018, quando o géiser Steamboat, o mais activo do mundo, despertou após três anos e meio de inactividade, alguns cientistas especularam que poderia ser um prenúncio de erupções vulcânicas explosivas na bacia de géiseres do Parque Yellowstone.

No entanto, um novo estudo, que será publicado no dia 12 de Janeiro na Proceedings of the National Academy of Sciences, encontrou poucas evidências de movimento de magma subterrâneo, um pré-requisito para uma erupção, na área do géiser Steamboat.

“As explosões hidrotérmicas (água quente que explode porque entra em contacto com a rocha quente) são um dos maiores perigos em Yellowstone”, disse Michael Manga, professor de ciências terrestres e planetárias da Universidade da Califórnia, em Berkeley, em comunicado.

Estas explosões – que lançam lama, areia e pedras para o ar e libertam vapor quente – são problemáticas porque “são muito difíceis de prever”, completou o investigador.

A equipa que Manga liderou descobriu que, apesar de o solo ter subido e a sismicidade ter aumentado ligeiramente antes de o géiser despertar, nenhum outro géiser dormente na bacia deu sinais de alerta. Além disso, a temperatura do lençol freático que desencadeou as erupções do Steamboat não aumentou.

“Não encontramos nenhuma evidência de que uma grande erupção está iminente. Acho que é uma conclusão importante“, rematou o líder da investigação.

Maior géiser activo de Yellowstone entra em erupção novamente (e ninguém sabe porquê)

  Os cientistas não acreditam que este fenómeno conduza a uma devastadora erupção do temido super-vulcão, mas não descartam essa…

Ler mais

Liliana Malainho, ZAP //

Por Liliana Malainho
8 Janeiro, 2021


4513: Há 800 anos, um géiser de Yellowstone “adormeceu” (e pode acontecer de novo)

CIÊNCIA/GEOLOGIA/YELLOWSTONE

dhilung / Flickr
Géiser Old Faithful em Yellowstone

As explosões de água quente e vapor, alimentadas pela actividade geotérmica do super-vulcão Yellowstone, surgem com tanta pontualidade que podem até ser previstas, uma característica que lhe valeu a alcunha de Relógio da Eternidade. Mas o géiser Old Faithful nem sempre foi assim tão fiel.

Há 800 anos, o géiser Old Faithful, o mais famoso do Parque Nacional de Yellowstone, parou de entrar em erupção durante décadas devido a uma forte seca que afectou aquela área.

De acordo com o Russia Today, o géiser do parque norte-americano era conhecido pelos seus jactos de água quente com dezenas de metros de altura, que eram projectados em intervalos regulares de cerca de 90 minutos.

Agora, um novo estudo sugere que o aquecimento global pode colocá-lo “em espera” outra vez. As descobertas foram publicadas no dia 7 de Outubro na Geophysical Research Letters.

Recentemente, um grupo de geólogos descobriu madeira petrificada no monte Old Faithful. Como as árvores não sobrevivem às rajadas de água alcalina lançadas pelo géiser, a descoberta sugere que as erupções regulares pararam, provavelmente no final da chamada Anomalia Climática Medieval, uma época em que muitas partes do mundo passaram por logos períodos de clima quente e seco.

“Sabemos que Yellowstone era mais quente e seco. A linha superior das árvores era mais alta nas encostas e há evidências de mais incêndios durante este período”, explicou Cathy Whitlock, paleoclimatologista da Universidade Estadual de Montana, nos EUA. “Os fluxos também foram mais pequenos e as secas extremas na região duraram décadas.”

“Encontramos copas de raízes no topo do monte, o que significa que quando as árvores cresceram, o monte Old Faithful tinha quase a mesma estrutura que tem actualmente”, acrescentou o hidrólogo Shaul Hurwitz.

Os resultados da investigação sugerem que, devido às mudanças climáticas e às secas cada vez mais constantes no oeste dos Estados Unidos, o Old Faithful poderia entrar em erupção com menos frequência no futuro – ou até parar completamente.

“Os modelos climáticos projectam secas cada vez mais severas e grandes incêndios em meados do século, que irão levar a uma grande transformação dos ecossistemas de Yellowstone”, rematou a equipa.

ZAP //

Por ZAP
18 Outubro, 2020

 

3292: Géiser de Yellowstone bateu o recorde de erupções (e não se sabe porquê)

CIÊNCIA/GEOLOGIA

(CC0/PD) Steppinstars / pixabay

A fonte termal activa mais alta do mundo, que se localiza no Parque Nacional de Yellowstone, nos Estados Unidos, entrou em erupção mais vezes em 2019 do que em qualquer outro ano.

O géiser Steamboat, que pode lançar água a mais de 90 metros de altura, entrou em erupção pelo menos 45 vezes este ano, ultrapassando os 32 registados no ano passado. Nos três anos anteriores, a fonte térmica não registou nenhuma actividade. Assim, segundo o Serviço de Parques Nacionais, o géiser está num período estranhamente activo, surpreendendo cientistas e visitantes.

“Na década de 1960, houve outro período em que ocorreram mais de 20 erupções por ano”, disse Erin White, hidrologista do Parque Nacional que ressalta que, antes, os períodos de latência tinham mais de 50 anos, em declarações à NPR.

Em relação ao aumento da actividade da fonte térmica, que começou há vários meses, cientistas do Programa de Riscos Vulcânicos do US Geological Survey apontaram que isso não significa que exista um risco relacionado com o super-vulcão de Yellowstone.

No entanto, há muito que os especialistas ainda conhecem pouco sobre a operação dos géiseres, especialmente em relação aos seus ciclos de erupção e porque é que param de tempos a tempos.

Devido às erupções peculiares desta primavera, o Steamboat tornou-se o centro das atenções de um grande número de turistas nos últimos anos. “A nossa hipótese da razão é que o Steamboat é um géiser tão grande e tão alto que a água fica armazenada numa maior profundidade. Quanto mais profunda a água é armazenada, mais energia pode ter. E quanto mais energia, maior a erupção“, explicou Michael Manga, da Universidade da Califórnia.

O Steamboat localiza-se dentro do sistema Caldeira de Yellowstone, um super-vulcão do tamanho de Rhode Island. Este super-vulcão produz as famosas fontes termais no parque. A última erupção do super-vulcão de Yellowstone ocorreu há 630 mil anos e a próxima poderá ocorrer daqui a centenas a dezenas de milhares de anos.

NASA inventa forma bizarra (mas criativa) de evitar erupção do supervulcão de Yellowstone

Uma eventual erupção do super-vulcão de Yellowstone pode causar uma tremenda devastação. No entanto, cientistas acreditam que a catástrofe pode…

ZAP //

Por ZAP
31 Dezembro, 2019

 

 

541: Maior géiser activo de Yellowstone entra em erupção novamente (e ninguém sabe porquê)

(CC0/PD) Steppinstars / pixabay
Géiser Steamboat

Os cientistas não acreditam que este fenómeno conduza a uma devastadora erupção do temido super-vulcão, mas não descartam essa possibilidade.

O géiser Steamboat, localizado no Parque Nacional de Yellowstone, nos Estados Unidos, é actualmente o maior do mundo em actividade. Actualmente, os cientistas têm concentrado a sua atenção neste géiser, já que no dia 4 deste mês entrou em erupção pela quarta vez desde que o ano começou.

O comportamento incomum desta nascente termal causou espanto entre os visitantes do parque natural, mas também a preocupação devido a uma possível erupção catastrófica.

Os especialistas não têm certeza de quais condições geralmente causam um aumento na actividade dos géiseres, mas, segundo Michael Poland, director do Observatório Vulcanológico de Yellowstone (OVY), Steamboat parece ter um sistema de condutas internas menos estável do que outras fontes termais.

“Quando está estável, esperamos que o comportamento seja um pouco mais previsível ou mais regular”, disse a Poland, citado pela Wyoming Public Media. No entanto, embora não descarte tal possibilidade, o especialista indica que a actividade não é, provavelmente, devida a uma erupção latente do temido super-vulcão que fica debaixo do parque natural.

“Estas erupções irregulares de géiseres são, em grande escala, uma consequência das mudanças na superfície e do fluxo de água que ocorrem nas centenas de metros mais próximos da superfície”, explicou o cientista, indicando que o magma causaria uma erupção vulcânica.

O géiser Steamboat, capaz de disparar água a uma altura de cerca de 90 metros, entrou em actividade nos dias 15 de Março, 19 de Abril, 27 de Abril e 4 de maio. Segundo o Observatório Vulcanológico de Yellowstone, a última vez que ocorreram mais de três erupções em apenas um ano foi há mais de três décadas.

ZAP // RT

Por ZAP
15 Maio, 2018

[vasaioqrcode]

[SlideDeck2 id=1476]

[powr-hit-counter id=3464abbf_1526379340528]