5375: Fortaleza de Berenike revela que uma erupção vulcânica pode ter forçado antigos egípcios a abandonar a cidade

CIÊNCIA/ARQUEOLOGIA/VULCÕES

S.E. Sidebotham / Antiquity

Manter o acesso a água doce não poluída era muito valioso para qualquer cultura antiga. Uma equipa de arqueólogos, que explorou um poço de água no antigo Egipto, descobriu evidências de que uma cidade costeira foi abandonada há mais de 2.000 anos, quando a nascente de água doce secou.

Há mais de 2.000 anos, os antigos egípcios abandonaram uma cidade costeira depois de terem deixado de ter acesso a água potável. De acordo com a equipa, uma grande erupção vulcânica, possivelmente do outro lado do mundo, pode ter desencadeado uma forte seca na região.

Segundo o New Scientist, os arqueólogos têm escavado Berenike, na costa do Mar Vermelho do Egipto, desde 1994. A cidade foi fundada entre 275 e 260 a.C., mas foi temporariamente abandonada entre 220 e 200 a.C., antes de ter sido repovoada durante muitos séculos.

Depois de o Egipto ter sido anexado pelo Império Romano em 30 a.C., Berenike tornou-se o porto mais meridional do império. Era “uma espécie de combinação de cidade e base militar”, explicou Marek Woźniak, do Instituto de Culturas Mediterrâneas e Orientais de Varsóvia, na Polónia.

Juntamente com James Harrell, da Universidade de Toledo, Woźniak encontrou um poço embutido no chão que acumula água até hoje.

Os arqueólogos acreditam que o poço terá secado entre 220 e 200 a.C.. A areia, que acabou por tapá-lo, continha duas moedas de bronze que datam das décadas anteriores a 199 a.C.. Numa outra parte da fortaleza, a equipa encontrou alguns artefactos da época, o que sugere que Berenike terá sido abandonada.

Woźniak acredita que um período de seca atingiu a região durante vários anos e fez com que o poço secasse. Segundo o artigo científico, publicado no dia 19 de Março na Antiquity, a causa mais provável é uma erupção vulcânica.

Um estudo de 2017, liderado por Jennifer Marlon da Universidade de Yale, descobriu que, em 209 a.C., uma erupção vulcânica libertou muitos aerossóis de sulfato na atmosfera da Terra, fazendo com que as chuvas de verão do Nilo diminuíssem. A falta de chuva pode explicar a seca do poço, que pode ter incentivado os moradores a abandonarem a cidade.

Não está claro que vulcão terá sido o responsável, mas Woźniak e Harrell colocam quatro hipóteses em cima da mesa: Popocatéptl no México, Pelée na ilha de Martinica nas Pequenas Antilhas, Tsurumi ou Hakusan, ambas no Japão.

Por Liliana Malainho
23 Março, 2021