1228: Revelado vídeo do momento em que falhou o foguetão que levava astronautas à Estação Espacial

Os dois tripulantes da Soyuz fizeram uma aterragem de emergência que lhes salvou a vida

© Roscosmos

As imagens do momento em que o foguetão russo que falhou após a descolagem quando transportava dois astronautas para a Estação Espacial Internacional (ISS na sigla inglesa) foi esta quinta-feira revelado pela agência espacial Roscosmos.

As imagens são de uma câmara instalada na lateral do engenho e mostra o lançamento até ao momento em que um dos reactores auxiliares falha a ejecção.

Veja aqui (o incidente acontece ao minuto 1.22)

Também esta quinta-feira foi revelado que um sensor danificado durante a montagem esteve na origem do incidente, ocorrido no passado dia 11.

“Ficou demonstrado e confirmado por documentos que a culpa foi desse sensor e esta [deformação do sensor] só pode ter sido provocada durante a montagem no cosmódromo de Baikonur”, disse Nikolái Sevastiánov, da comissão de investigação ao caso, em conferência de imprensa.

Sevastiánov, director do TsNIIMash, centro de investigação da indústria espacial russa, explicou que o sensor defeituoso impediu a abertura de uma tampa e provocou o acidente.

No passado dia 11, a nave espacial Soyuz MS-10, com dois tripulantes a bordo, foi obrigada a aterrar de emergência, tendo na altura sido apontada uma falha no motor. A Soyuz transportava o cosmonauta russo Alexei Ovchinin e o astronauta norte-americano da NASA, Nick Hague.

A nave devia transportar os dois tripulantes para a Estação Espacial Internacional onde permaneceriam durante seis meses.

Na Estação Espacial Internacional encontram-se, desde Junho, os membros da Missão 57, o comandante Alexander Gerst da Agência Espacial Europeia, a piloto da NASA, Serena Auñon-Chancellor e o piloto da Roscosmos Serguei Prokópiev.

Diário de Notícias
Ricardo Simões Ferreira com Lusa
01 Novembro 2018 — 22:34

[vasaioqrcode]

 

1025: SpaceX irá levar passageiro privado numa viagem à volta da Lua

A SpaceX quer tornar o sonho de viajar pelo Espaço numa realidade e não para de trabalhar para alcançar esse objectivo. Aos poucos a empresa de Elon Musk vai fazendo progressos que inspiram o mundo.

A SpaceX anunciou via Twitter que um passageiro privado se registou para uma viagem à volta da Lua no foguetão BFR da empresa. Na próxima segunda-feira, Elon Musk irá desvendar mais detalhes num evento da SpaceX, ao qual pode assistir através da Internet.

O papel do BFR da SpaceX…

O foguetão BFR da SpaceX ainda se encontra em fase de desenvolvimento. Será o foguetão mais poderoso alguma vez construído e será capaz de transportar cem passageiros de cada vez nas viagens a Marte que se espera que realize daqui a alguns anos.

A principal missão deste novo foguetão da SpaceX será ajudar os primeiros astronautas em Marte durante a fase de colonização. Espera-se também que sirva de apoio em missões no planeta vermelho e que tenha outras funções que ainda iremos descobrir mais à frente.

A empresa do ramo Espacial de Elon Musk vê o BFR como o foguetão do futuro e o objectivo passa por, eventualmente, parar a produção de outros foguetões mais antigos e deixar que o Big Falcon Rocket assuma a liderança.

No futuro, o BFR deverá ser capaz de colocar satélites em órbita, ajudar na limpeza de lixo Espacial e até servir como meio de transporte no nosso planeta. O objectivo é estabelecer ligação entre qualquer cidade em menos de uma hora.

Actualmente, ainda estamos um pouco longe disso mas sabemos que alguém, em breve, irá numa viagem à volta da Lua no BFR e queremos saber que é…

O misterioso passageiro do BFR…

Para já, mesmo sem saber quem é este passageiro, podemos dizer que esta será uma viagem épica e que nunca ninguém esquece. Ainda assim a curiosidade existe e aumenta.

Elon Musk, através do Twitter deu-nos a primeira pista. Um utilizador da rede social, perguntou-lhe se seria ele o primeiro passageiro e o multi-milionário respondeu apenas com um emoji da bandeira do Japão.

Até à data de hoje, apenas 24 seres humanos foram até à Lua e ninguém visita este nosso satélite natural desde a missão Apollo 17 em Dezembro de 1972.

Para já a identidade do passageiro, tal como o objectivo da missão ainda são um mistério. Vamos aguardar pela próxima segunda-feira, dia 17 de Setembro, para ficarmos a conhecer mais pormenores.

pplware
14 Set 2018
Tomás Santiago

[vasaioqrcode]

See also Blogs Eclypse and Lab Fotográfico

454: Vídeos da SpaceX afinal são contra a lei

O foguetão Falcon 9 teve apenas autorização parcial para emitir imagens | REUTERS/Gene Blevins

Há oito anos que os fãs do espaço seguem a par e passo os vídeos do foguetão Falcon 9 da SpaceX. À margem parece que estava apenas a Administração Nacional Atmosférica e Oceânica (NOAA, na sigla em inglês) que só agora percebeu que este foguetão não tem licença para transmitir vídeos do espaço.

Foi preciso a própria SpaceX ter pedido à NOAA – entidade governamental que controla os sistemas lançados para o espaço pelos americanos – autorização para emitir vídeos do espaço, para o lançamento do satélite Iridium, a 30 de Março. A questão foi que a NOAA apenas emitiu uma licença parcial, o que levou a SpaceX a justificar-se perante os subscritores do seu canal, refere o site Quartz.

Questionada pelos jornalistas, a NOAA referiu ter alterado a sua análise em relação aos objectos que são lançados no espaço e emitem imagens ainda que por curta duração. Os produtores de foguetões não pedem normalmente licenças porque não consideram que os seus veículos, que apenas estão em órbita algumas horas, antes de serem abandonados, estejam na mesma categoria de satélites que são enviados para ficar anos em órbita.

Depois da primeira explicação dada pela NOAA, o porta-voz veio explicar que esta agência estatal mudou o seu entendimento em relação a estes objectos. E que agora se querem transmitir imagens têm de pedir licenças.

DN
11 DE ABRIL DE 2018 | 00:20

[vasaioqrcode]

[SlideDeck2 id=1476]

[powr-hit-counter id=98bfd4f4_1523435921875]

426: NASA lança foguetão com para-quedas a pensar em missão a Marte em 2020

A agência espacial norte-americana NASA lançou hoje um foguetão com um para-quedas que poderá ter um papel importante na futura missão a Marte em 2020.

O foguetão foi lançado às 12:20 locais (17:20 em Lisboa) da ilha Wallops, na costa leste do estado norte-americano da Virgínia.

Conforme o previsto, o aparelho alcançou, dois minutos após o lançamento, uma altitude de 50 quilómetros e o para-quedas abriu com sucesso.

A carga do foguetão submergiu no Oceano Atlântico, a 65 quilómetros da ilha de Wallops. Durante a tarde, cientistas e engenheiros da NASA vão recuperar o conteúdo que caiu no mar e analisar os detalhes do lançamento.

A NASA iniciou em 2012 um programa que visa o lançamento de um veículo de exploração de Marte em 2020.

DN
31 DE MARÇO DE 2018 20:48
DN/ Lusa

[vasaioqrcode]

[SlideDeck2 id=1476]

[powr-hit-counter id=7cb07f2d_1522593778454]

 

281: O foguetão mais poderoso do mundo faz a primeira viagem (e leva um Tesla ao espaço)

Space X
Starman ao volante de um Tesla Red Roadster a caminho de Marte

O foguetão gigante Falcon Heavy, com o qual a SpaceX espera realizar missões para Marte no futuro, vai descolar esta terça-feira no Cabo Canaveral, na Florida, Estados Unidos, para uma viagem de teste com um carro desportivo a bordo.

Estamos prestes a viver um momento histórico, no que é mais um emocionante episódio da aventura da Humanidade no espaço. Elon Musk, presidente da SpaceX e da Tesla, confirmou esta terça-feira na sua conta no Twitter que “todos os sistemas têm luz verde para o lançamento” do Falcon Heavy, o foguetão mais poderoso do mundo.

Esta viagem serve para testar se o Falcon Heavy, com 70 metros de altura e capaz de transportar mais de 66 toneladas, pode ser usado para transportar carga para o espaço. E a carga que vai ser testada é nada menos que um Tesla – com um passageiro especial.

De acordo com o Mashable, o veículo é propulsionado por 27 motores – nove em cada foguetão – que têm de funcionar em perfeita sintonia. Foi o que aconteceu no último teste antes do lançamento desta terça-feira, que ocorreu no dia 24 de Janeiro. O teste foi bem-sucedido e consistiu na ignição dos 27 motores do foguetão simultaneamente.

Este é o foguetão mais potente do mundo e viajará para o espaço a uma velocidade média de 11 quilómetros por segundo.

Segundo o site oficial do projecto, “o impulso de elevação do Falcon Heavy equivale aproximadamente a 18 aviões 747 a plena potência. O veículo pode levantar o equivalente a um avião 737 totalmente carregado – completo com passageiros, bagagem e combustível – para a órbita”.

Uma das características mais inovadoras do novo foguetão da SpaceX é que os foguetões propulsores laterais são recuperáveis, de uma forma invulgar: após o lançamento, voltam à Terra e aterraram sozinhos.

Segundo o plano original de Elon Musk, o Falcon Heavy deveria ter realizado o seu voo inaugural, em 2013, mas o design do foguetão revelou-se mais complexo do que o que se previa e em 2016, por exemplo, a SpaceX perdeu um outro foguetão – o Falcon 9 – que explodiu durante testes.

Todos os imprevistos fizeram com que a data para o teste de lançamento deste veículo – que junta três Falcon 9 – se arrastasse até esta terça-feira.

Um carro eléctrico da Tesla, vermelho, será a carga que o Falcon Heavy deixará numa órbita próxima de Marte se a missão decorrer como planeado. “Adoro imaginar um carro à deriva pelo espaço e talvez a ser descoberto por extraterrestres daqui a milhões de anos”, justificou o empresário.

Mas Musk não ficou por aqui. Como um carro não se conduz sozinho, o Tesla irá também levar um passageiro a bordo. Sentado ao volante do carro vermelho, irá o Starman, um manequim vestido de astronauta com um dos novos fatos espaciais da SpaceX.

Este é um dos lançamentos mais esperados desde as missões Apollo (1961-1972) que levaram o homem para a lua, tanto que os bilhetes foram colocados à venda e são esperadas milhares de pessoas no Cabo Canaveral, nos Estados Unidos.

Mas o que acontece se algo correr mal? A probabilidade de o lançamento não ser bem sucedido aumenta pelo facto de o Falcon Heavy ser um foguete novo e poderoso, com um elevado número de motores e quantidades maciças de combustível que irá ser testado pela primeira vez.

Embora seja possível um vasto número de percalços, existe uma única certeza: a de que, se o foguete explodir, seria melhor que não explodisse perto do Kennedy Space Center, plataforma de lançamento da NASA. Segundo o Mashable, que cita Elon Musk, “se ele explodir, e se explodir longe, já considero isso uma vitória, para ser honesto”.

O objectivo da empresa SpaceX é usar o foguetão gigante para transportar satélites mais pesados para o espaço e até, no futuro, seres humanos, graças à sua potência e capacidade apenas superados pela aeronave Saturn V, que actuou nas missões Apollo nas décadas de 60 e 70.

O futuro espacial não depende do sucesso desta missão. No entanto, caso o teste de lançamento corra bem, podem abrir-se portas para novas missões espaciais com o intuito de levar satélites e até mesmo operações para lá da órbita com carga e tripulantes humanos.

O teste de lançamento do potente veículo reutilizável que junta três Falcon 9 – o Falcon Heavy – foi agendado para esta terça-feira, entre as 18h30 e as 21h de Portugal Continental.

Enquanto o lançamento não acontece, podemos sempre deleitar-nos com o soberbo vídeo da simulação da missão – adequadamente acompanhado pelo maravilhoso “Life on Mars”, de David Bowie – que aqui lhe deixamos.

ZAP // Lusa

[vasaioqrcode]

[SlideDeck2 id=42]

[powr-hit-counter id=10f66b35_1517923685566]

 

265: Já há data de lançamento para o Falcon Heavy da SpaceX

A SpaceX, empresa que desenvolve e constrói veículos espaciais, está empenhada em colocar o Homem em Marte. Para alcançar este objectivo, a equipa de Elon Musk, deve primeiro aperfeiçoar as técnicas já usadas no que toca à reutilização de foguetões.

Actualmente, todas as atenções dos apreciadores de grandes obras de engenharia e amantes do Espaço estão concentradas no Falcon Heavy, cuja data de lançamento já está marcada.

O foguetão será lançado na base 39A

Apenas alguns dias depois da SpaceX ter efectuado um exigente e bem sucedido “test fire” ao foguetão Falcon Heavy, o dia 6 de Fevereiro foi reservado para o seu primeiro lançamento de sempre. Elon Musk, ou como muitos gostam de lhe chamar, o Mr. Tony Stark da vida real, utilizou o seu Twitter para anunciar esta importante data.

Há pelo menos 3 anos que a SpaceX está a planear o lançamento do Falcon mais potente da colecção mas, infelizmente, este evento foi sendo adiado constantemente. No entanto, apesar de todos os contratempos, todos os testes ao Falcon Heavy foram bem-sucedidos e este está pronto para ser lançado.


Um dos veículos Espaciais mais potentes de sempre…

No fundo o Falcon Heavy consiste em três Falcon 9 “colados” uns aos outros. Possui 27 motores e é, sem dúvida, um dos foguetões mais potentes de sempre.

Será lançado exactamente no mesmo local de onde partiram os foguetões das missões Apollo. Certamente, o lançamento do Falcon Heavy será transmitido ao vivo no canal da SpaceX no Youtube.


Conheça melhor o Falcon Heavy da SpaceX:

A espera terminou…

Depois de esperamos vários anos por este momento, o lançamento do Falcon Heavy vai mesmo acontecer dentro de poucos dias. O teste aos motores foi um sucesso e a equipa da SpaceX mostra-se optimista com a perspectiva de lançamento.

O CEO da SpaceX, Elon Musk, também já deu o seu parecer no Twitter confirmando que tudo parece estar encaminhado para que o lançamento seja efectuado dentro de uma semana.

Anunciado pela primeira vez em 2011, o lançamento do Falcon Heavy sempre foi o grande objectivo da SpaceX. No entanto, uma série de falhas em 2015 e 2016 obrigaram a equipa de Elon Musk a adiar o lançamento várias vezes.

O melhor foguetão da SpaceX

O Falcon Heavy é a versão “pesada” do principal foguetão da SpaceX, o Falcon 9. Basicamente, a versão Heavy consiste em três Falcon 9 juntos e consegue ter um extraordinário poder durante a descolagem.

E, tal como o Falcon 9, é parcialmente reutilizável. Assim, os 3 motores devem regressar à Terra para poderem ser reutilizados em futuros lançamentos.

Neste lançamento que irá ser realizado dentro de alguns dias, os motores laterais deverão ser os primeiros a regressar à Terra, seguidos do motor central. No entanto, ao contrário dos outros dois motores, o motor central deverá aterrar numa base da SpaceX no Oceano Atlântico.


Falcon Heavy: Uma grande obra de engenharia

De acordo com Elon Musk, o Falcon Heavy tornou-se uma obra de engenharia muito mais difícil de concretizar do que aquilo que era inicialmente esperado.

Mas quão difícil pode ser juntar três Falcon 9?

A verdade é que quando se faz algo do género tudo muda. De acordo com Elon Musk, a pressão exercida no veículo muda drasticamente, levantando problemas relacionados com a vibração. Além disso, toda a aerodinâmica do foguetão muda.

Por causa disso, Elon Musk afirmou que é possível que o Falcon Heavy não atinja a orbita desejada.

“I hope it makes it far enough beyond the pad so that it does not cause pad damage, I would consider even that a win, to be honest.”

Elon Musk

Mas se o lançamento for bem-sucedido, o Falcon Heavy irá tornar-se um foguetão extremamente avançado e pronto para ser usado em qualquer missão. Além disso, o Falcon Heavy pode abrir muitas portas para a concretização de missões espaciais ainda mais importantes.

A SpaceX já disse que espera, um dia, utilizar o Falcon Heavy para fazer transporte de mercadorias de Marte para a Lua e vice-versa.

pplware
Tomás Santiago
25 Jan 2018

[vasaioqrcode]

[SlideDeck2 id=42]

[powr-hit-counter id=4825b08a_1517157135928]