2869: Os furacões podem provocar actividade sísmica tal como um terramoto

CIÊNCIA

NASA Goddard / MODIS Rapid Response Team

Uma equipa de cientistas descobriu um novo fenómeno geofísico no qual furacões ou fortes tempestades podem produzir vibrações no fundo do oceano tão fortes quanto um terramoto de magnitude 3.5.

“As tempestades, furacões ou ciclones extra-tropicais transferem energia para o oceano como fortes ondas oceânicas, e as ondas interagem com a terra sólida produzindo uma intensa actividade de fonte sísmica“, explicou Wenyuan Fan, professor de Ciências da Terra, Oceano e Atmosféricas na Universidade da Florida e principal autor de um novo artigo científico publicado na Geophysical Research Letters.

Os investigadores analisaram quase uma década de registos sísmicos e oceanográficos, de Setembro de 2006 a Fevereiro deste ano, e encontraram uma relação entre fortes tempestades e intensa actividade sísmica (vibrações na crosta terrestre).

Segundo o Europa Press, os cientistas encontraram evidências de mais de 10.000 terremotos entre 2006 e 2019 no alto mar da Nova Inglaterra, Florida e Golfo do México, nos Estados Unidos, bem como no alto mar da Nova Escócia, Terra Nova e Colúmbia Britânica, no Canadá.

“Podemos ter fontes sísmicas no oceano, assim como terramotos dentro da crosta“, resumiu Fan em comunicado. “A parte interessante desta investigação é que as fontes sísmicas causadas por furacões podem durar de horas a dias.”

Neste novo estudo, a equipa de cientistas da universidade norte-americana desenvolveu um novo método para detectar e localizar eventos sísmicos e determinar se tais eventos são terramotos. Com a ajuda desta técnica, descobriram que o furacão Bill, um intenso ciclone tropical que atingiu o leste do Canadá durante o final de Agosto de 2009, produziu vários terramotos na costa da Nova Inglaterra e Nova Escócia.

De igual forma, descobriram também que o furacão Ike, em 2008, causou uma actividade de tempestade no Golfo do México, e o furacão Irene, em 2011, fez exactamente o mesmo perto de Little Bahama Bank, na costa da Florida.

É preciso ter em conta que nem todos os furacões causam terramotos, mas quando ocorrem, os terramotos parecem concentrar-se em certos pontos críticos. No entanto, os cientistas não detectaram qualquer evidência de terramotos na costa do México ou na costa leste dos Estados Unidos, de Nova Jersey à Geórgia.

Mesmo o furacão Sandy, que ocorreu nos Estados Unidos, não causou terramotos, segundo os cientistas. Isto sugere que os terramotos são fortemente influenciados pelas características oceanográficas locais e pela topografia do fundo do mar.

ZAP //

Por ZAP
20 Outubro, 2019

 

2364: Raros crocodilos prosperam perto de uma central nuclear nos Estados Unidos

Nick Scobel / Flickr

Os canais junto da central nuclear de Turkey Point, localizada a 40 quilómetros da cidade de Miami, no estado norte-americano da Florida, tornaram-se o lar perfeito para centenas de crocodilos americanos (Crocodylus acutus).

De acordo com a agência AP, que avança com a notícia esta semana, a espécie caminhava para a extinção, mas a situação melhorou recentemente. Segundo o portal Live Science, estes animais estão agora a prosperar, tendo a espécie conseguido reproduzir-se ao ponto de passar de estar categorizada de “em perigo” para “ameaçada”.

O sistema de arrefecimento da central, com os canais artificiais de 270 quilómetros, tornou-se um dos três maiores habitats destes raros répteis nos Estados Unidos. Actualmente, centenas de crocodilos americanos vivem nas suas águas, representando cerca de 25% da totalidade de 2.000 espécimes existentes em todo o país.

A empresa Florida Power & Light, que administra a central nuclear, está a tentar aumentar a população de crocodilos americanos. Para isso, contratou uma equipa de biólogos que ajudam a proteger os répteis da caça e das mudanças climáticas. Os especialistas constroem ainda ninhos para os crocodilos e para as suas crias.

Na semana passada, a equipa capturou 73 filhotes destes crocodilos nos canais. Os filhotes foram medidos e foi-lhes implantando um micro-chip para que os cientistas possam continuar a acompanhar o seu desenvolvimento.

“Os crocodilos americanos têm má reputação, mas [estes animais] estão apenas a tentar sobreviver”, explicou Michael Lioret, um dos biólogos que trabalha na central, citado pela AP. “[Os crocodilos americanos] são tímidos e não querem nada connosco. Os seres humanos são grandes demais para estarem incluídos no seu cardápio”.

Os crocodilos americanos são nativos do sul da Florida, sendo também encontrados em regiões costeiras da América Central e do Sul, bem como no Mar das Caraíbas.

De acordo com o Serviço de Pesca e Vida Selvagem dos Estados Unidos, estes répteis podem crescer até aos seis metros de comprimento e pesar mais que 907 quilogramas, apesar de os indivíduos das populações dos EUA tendam a ser um pouco mais pequenos.

Tal como recorda o Live Science, foi a actividade humana que destruiu grande parte dos estuários que eram o habitat desta espécie durante o início do século XX, causando o seu declínio. Agora, as imediações desta central nuclear parecem ser o local perfeito para que estes espécimes possam recuperar – e não, os animais não são radioactivos.

ZAP //

Por ZAP
23 Julho, 2019

[vasaioqrcode]

 

959: Primo mais novo de Godzilla lança o pânico na Florida

CIÊNCIA

Jennifer Stahn / Flickr
Apesar de a espécie não ser nativa da Florida, estes animais estão espalhados por todo o estado norte-americano

Uma família da Florida tem medo de usar a sua piscina – e tem boas razões para isso. Na semana passada, a família viu um lagarto gigante (Varanus salvator) do tamanho de um humano adulto à espreita no seu quintal.

A família Lieberman vive em Davie, uma vila norte-americana localizada na Florida, e descobriu um estranho visitante a preambular no seu quintal – sem que para isso fosse convidado. Zack e Maria Lieberman, proprietários da habitação, disseram aos média locais que os animais eram tão grandes que temiam pela segurança dos seus dois filhos.

O enorme réptil – que foi identificado como uma lagarto monitor de água asiático (Varanus salvator) tem cerca de 2 metros de comprimento, de acordo com o Local 10 News. Durante vários dias, o gigante réptil aparece diversas perto da casa dos Lieberman, mas conseguiu sempre escapar aos caçadores locais e às autoridades da vida animal.

“O primo mais novo do Godzilla estava bem ali [no jardim]. Foi alarmante para mim e aterrorizador para a minha esposa e filhos”, disse Zach Lieberman.

Um vizinho da família alegou que o animal era um lagarto de estimação que tinha fugido. No entanto, como ninguém reportou o seu desaparecimento, o animal pode ser capturado por qualquer pessoa com uma permissão, segundo o Florida Fish and Wildlife Conservation Commission.

De acordo com o Miami Herald, um cão que está a ajudar as autoridades durante as buscas conseguiu rastrear o cheiro do réptil, levando os investigadores até uma toca que parecia promissora, mas que se encontrava vazia.

Enormes invasores

Os lagartos Varanus salvator pertencem a um grupo de répteis predadores com pescoços longos, línguas bifurcadas e caudas e corpos musculados. Estes animais são nativos da Ásia, África e Oceânia porém, muitos destes espécimes se tenham estabelecido nas Américas como espécie invasora.

O Varanus salvator é um familiar próximo do famoso dragão-de-Komodo (Varanus komodoensis), que é considerado o maior lagarto do mundo, podendo crescer até aos 3 metros de comprimento.

Felizmente para os habitantes da Florida, os dragões de Komodo só foram encontrados em habitats insulares da Indonésia, mas os seus familiares próximos foram levados para os EUA como animais de estimação exóticos, acabando por ser libertados na natureza.

Entretanto, a perseguição ao lagarto continua. As equipas continuam com as buscas, tentando atrair o enorme invasor com coxas de frango, revelou o 7 News Miami.

Por ZAP
4 Setembro, 2018

[vasaioqrcode]

See also Blogs Eclypse and Lab Fotográfico