5204: A imensa erupção do Etna surpreendeu até quem estuda vulcões

CIÊNCIA/GEOLOGIA/VULCANOLOGIA/ETNA

Orietta Scardino / EPA
Vulcão Etna em erupção

Há mais de uma semana que o vulcão Etna tem vindo a expelir lava, cinzas e rochas vulcânicas. Aquele que é considerado o vulcão mais activo da Europa foi o protagonista dos últimos dias na ilha Sicília, num cenário que surpreendeu os vulcanólogos.

Nos últimos dias, o Etna impressionou até os vulcanólogos mais experientes, com erupções gigantescas de lava a iluminar as paisagens da Sicília. A última erupção terminou na terça-feira de manhã, de acordo com o Instituto Nacional de Geofísica e Vulcanologia da Itália.

De acordo com o Phys, o vulcão italiano expeliu lava, cinzas e rochas vulcânicas regularmente durante uma semana. Na sequência destes eventos geológicos, o aeroporto de Catânia, localizado no lado este da ilha, teve de encerrar temporariamente.

Até ao momento, não houve relatos de danos ou feridos, mas os habitantes da cidade de Pedara contaram que, num determinado dia da semana passada, parecia que estavam a chover pedras enquanto uma espessa manta de cinzas cobria a cidade.

Boris Behncke, vulcanólogo do Instituto Nacional de Observação do Etna, acompanhou os últimos eventos com muita admiração e escreveu, no site do instituto, que, depois de “nos presentear com momentos de suspense” nas noites anteriores, o Etna explodiu na noite de segunda para terça-feira de uma forma que os investigadores “que trabalham nisto há décadas raramente viram“.

“Eu chamei o paroxismo do Etna de 20-21 de Fevereiro de ‘incrivelmente poderoso’? Bem, o seu sucessor, na noite de 22 para 23 de Fevereiro foi MUITO mais poderoso”, escreveu Behncke no Twitter. Nessa noite, as fontes de lava ultrapassaram os 1.500 metros.

Liliana Malainho Liliana Malainho, ZAP //

Por Liliana Malainho
24 Fevereiro, 2021

 

2089: O Etna voltou a acordar. O maior vulcão da Europa entra em erupção

Orietta Scardino / EPA

O vulcão Etna, situado na região italiana da Sicília, voltou a entrar em erupção esta quinta-feira, com novas fendas abertas na sua face sudeste.

Dois fluxos de lava percorrem algumas centenas de metros no cume do vulcão activo de maior altitude na Europa. A actividade é de intensidade média e caracterizada pela ejecção de cinzas, gases e rochas.

A erupção, no entanto, não afecta as operações no Aeroporto de Catânia, maior cidade dos arredores do Etna. “Estamos no início de uma nova fase eruptiva do Etna, que pode acabar rapidamente ou durar meses”, explicou o director do Instituto Nacional de Geofísica e Vulcanologia (INGV) em Catânia, Eugenio Privitera.

“Os fenómenos estão confinados ao cume do vulcão e não constituem um perigo para centros habitados e pessoas, mas é preciso controlar os fluxos de turistas na zona para sua própria segurança”, acrescentou.

Embora o Etna esteja activo há algum tempo, esta erupção foi significativa, já que foi a erupção do primeiro flanco (lateral), e não a erupção do cume, no Etna por mais de uma década. De acordo com o Programa Global de Vulcanismo da Smithsonian Institution, este paroxismo fazia parte de uma sequência vulcânica prolongada que começou em Setembro de 2013.

Apesar de ser um pouco imprevisível, o Etna está em erupção há anos. Já em Fevereiro deste ano, por exemplo, nuvens de cinzas foram vistas a subir em direcção ao céu a partir de uma série de pequenas explosões do chamado Telhado do Mediterrâneo.

Em Dezembro do ano passado, um sismo de magnitude 4,8 na escala de Richter atingiu a província de Catânia, na Sicília, junto ao monte Etna, fazendo pelo menos dez feridos e provocando alguns danos em edifícios. O sismo ocorreu dois dias depois de o Etna ter entrado em erupção, intensificando a actividade vulcânica na e actividade sísmica na região.

O vulcão do Monte Etna, na parte oriental da Sicília, está a escorregar lentamente para o mar. Um estudo mostrou que há um risco muito maior do que o anteriormente previsto de um colapso originar um tsunami. O Monte Etna está a deslizar para o Mediterrâneo a cerca de três a cinco centímetros por ano.

O Etna é o maior vulcão activo da Europa e um dos vulcões mais activos do mundo. É também a mais alta montanha da Sicília. A extensão total da sua base é de 1190 quilómetros quadrados, com uma circunferência de 140 quilómetros, o que o torna quase três vezes maior que o Vesúvio.

ZAP //

Por ZAP
1 Junho, 2019


[vasaioqrcode]