4373: O outono acaba de chegar ao hemisfério norte. E há uma razão para ter sido hoje

CIÊNCIA/ASTRONOMIA

Paul Bica / Flickr

Setembro é o mês do regresso às aulas e ao trabalho. Após os dias quentes de verão, chega o outono. Este ano, a estação começa hoje, dia 22 de Setembro, mais precisamente às 15h31, segundo os cálculos do Observatório Astronómico Nacional de Espanha. Mas por que razão o equinócio de outono ocorre no dia 22 e não no dia 21 ou 23? A chave está em cima das nossas cabeças.

Três, dois, um… o outono acaba de chegar, agora mesmo, à hora a que esta notícia viu a luz. O início das estações é normalmente regulado quando a Terra está em uma determinada posição na sua órbita ao redor do Sol. No caso do outono ocorre quando o centro do Sol, visto do planeta, cruza o equador celestial num movimento para o sul.

Quando isso acontece, a duração do dia e da noite praticamente coincidem. Este fenómeno é chamado de equinócio de outono – que acontece apenas no hemisfério norte, já que os países do sul recebem a primavera, explica o ABC.

O Observatório Astronómico Nacional espanhol indica que o equinócio desta estação pode ocorrer em quatro datas diferentes, ou seja, entre 21 e 24 de Setembro. Ao longo deste século (quase) que só será possível ver o início do outono a 22 ou 23 de Setembro, sendo que o início da estação um dia mais cedo só deverá acontecer em 2096. O último aconteceu em 2003, ocorrendo no dia 21.

As datas dos equinócios variam de um ano para o outro, devido aos anos não terem exactamente 365 dias, fazendo com que o momento preciso do equinócio varie ao longo de um período de dezoito horas, que não se encaixa necessariamente no mesmo dia.

O outono é a época do ano em que a duração do dia diminui mais rapidamente. Nas latitudes da península, o Sol nasce de manhã todos os dias mais de um minuto depois do dia anterior, e à tarde põe-se mais de um minuto antes. Desta forma, o tempo que o Sol está acima do horizonte, no início do outono, é reduzido em quase três minutos todos os dias nas latitudes da Península Ibérica.

Contudo, mesmo que a estação mude – e irá estar presente nos próximos 89 dias e 20 horas até ao dia 21 de Dezembro, dia em que começa o inverno –  ainda temos de esperar até o último domingo de Outubro para atrasar o relógio uma hora.

Em relação aos fenómenos astrológicos, a primeira lua cheia do outono deverá ocorrer a 1 de Outubro e a seguinte, 29 ou 30 dias depois. Quanto aos planetas, ao amanhecer o céu será dominado por Vénus, e ao anoitecer por Júpiter e Saturno. Marte será visível pela manhã no início do outono e deverá tornar-se visível ao anoitecer em meados de Outubro.

A 30 de Novembro, os amantes de astrologia vão poder assistir a um eclipse lunar visível na Ásia, Oceânia e América. No mês seguinte, no dia 14 de Dezembro, vai haver um eclipse solar total que poderá ser visto no Oceano Pacífico, América do Sul, Antárctica e Oceano Atlântico.

Nenhum destes dois eclipses será visível em Portugal.

ZAP //

Por ZAP
22 Setembro, 2020

 

 

29: Equinócio de Outono 2017

Em 2017, o Equinócio de Outono, ocorre no dia 22 de Setembro às 20h02 (tempo universal), 21h02 em Portugal continental e na Região Autónoma da Madeira, e às 20h02 na Região Autónoma dos Açores. Este instante marca o início do Outono no Hemisfério Norte. Esta estação prolonga-se até ao próximo Solstício que ocorre no dia 21 de Dezembro às 16h28 em Portugal continental.

Equinócio: instante em que o Sol, no seu movimento anual aparente, passa no equador celeste. A palavra de origem latina aequinoctium agrega o nominativo aequus (igual) com o substantivo noctium, genitivo plural de nox (noite). Assim significa “noite igual” (ao dia), pois nestas datas dia e noite têm igual duração, tal é a ideia que permeia a sociedade.

Sobre a duração igual das noites no equinócio, na realidade, não é bem assim… Os equinócios estão definidos como o instante em que o ponto central do sol passa no equador e, por isso, o centro solar nasce no ponto cardeal Este e põe-se exactamente a Oeste, encontrando-se durante 12 horas acima do horizonte matemático em qualquer lugar da Terra nestes dias.

Contudo este facto não resulta numa duração do dia solar de 12 horas, pois a luz directa no chão surge quando o bordo superior do sol nasce, tal como desaparece no ocaso, e o sol tem um diâmetro aparente de 32′ (minutos de arco). Além disso há refracção atmosférica: quando o bordo superior está no horizonte o centro do sol encontra-se ≈50′ abaixo do horizonte, mais do que o seu diâmetro.

Com estas condições físicas e devido ao movimento da translação terrestre, apenas no dia 26 de Setembro de 2017 haverá ≈12,014 horas com luz solar directa no solo. Nesse dia o disco solar nasce às 7h 28min e põe-se às 19h 27min em Lisboa, com apenas 51 segundos de desvio às 12h certas.

[vasaioqrcode]

[SlideDeck2 id=30]

[yasr_visitor_votes size=”medium”]

[powr-hit-counter id=fb861862_1506078547771]