5312: Cientistas encontram meteorito vulcânico mais antigo do que a Terra

CIÊNCIA/ASTRONOMIA

(dr) A. Irving
Um pedaço do EC 002

Um pedaço de meteorito encontrado no deserto da Argélia pode ser um pedaço de um planeta bebé que não conseguiu ser bem-sucedido.

De acordo com o site Science Alert, o EC 002 (Erg Chech 002) foi encontrado, em Maio do ano passado, no deserto Erg Chech, no sudoeste da Argélia e foi rapidamente identificado como um objecto incomum pois, em vez de ter a composição dos habituais condritos, a sua textura era ígnea e tinha inclusões de piroxenas.

Portanto, foi classificado como acondrito, um meteorito feito do que parece ser material vulcânico, originado de um corpo que sofreu derretimento interno para diferenciar o núcleo da crosta – um proto-planeta (a condensação de matéria que constitui a fase inicial da evolução de um planeta).

Das dezenas de milhares de meteoritos que já foram identificados, apenas alguns milhares foram classificados como acondritos e a maioria deles vem de um dos dois corpos principais e são de composição basáltica.

Mas agora, de acordo com a nova análise de uma equipa de cientistas, descobriu-se que o EC 002 não é basáltico, mas um tipo de rocha vulcânica conhecida como andesito, o que o torna extremamente raro.

A análise sugere que esta é uma rocha antiga. A radioactividade dos isótopos de alumínio e magnésio mostra que estes dois minerais se cristalizaram há cerca de 4.565 mil milhões de anos, num corpo parental que se formou há 4.566 mil milhões de anos (para contextualizar, o planeta Terra tem 4.54 mil milhões de anos).

“Este meteorito é a rocha magmática mais antiga já analisada e ajuda a elucidar sobre a formação das crostas primordiais que cobriram os proto-planetas mais antigos“, escreveram os autores do estudo publicado, este mês, na revista científica PNAS.

Embora raramente seja encontrado em meteoritos, a recente descoberta de andesito em exemplares da Antárctida e da Mauritânia levou os cientistas a investigar como é que isto pode acontecer. Evidências experimentais sugerem que poderá formar-se a partir do derretimento do material condrítico.

Como os acondritos são tão comuns no Sistema Solar, é possível que a formação de protoplanetas com crostas de andesito também fosse comum. No entanto, quando a equipa comparou as características espectrais do EC 002 – a forma como interage com a luz – com as de asteróides, não encontrou nada que combinasse com ele.

Ainda segundo o Science Alert, como o EC 002 é mais velho do que a Terra, é até possível que os seus irmãos proto-planetários tenham ajudado a construir o nosso planeta a partir de um nó de material mais denso na nuvem de poeira que orbitava o Sol bebé.

Assim sendo, representa uma rara oportunidade de estudar os estágios iniciais da formação dos planetas e de aprender mais sobre as condições dos primeiros dias do Sistema Solar, quando os planetas que conhecemos ainda estavam em formação.

ZAP ZAP //

Por ZAP
12 Março, 2021