4706: Mesmo a tempo do Natal: Júpiter e Saturno vão parecer um planeta duplo pela primeira vez desde a Idade Média

CIÊNCIA/ASTRONOMIA

Animação que mostra os planetas Júpiter e Saturno a aproximarem-se um do outro. Cada “frame” corresponde a um dia, entre 6 de Dezembro e 31 de Dezembro. O pico da conjunção ocorre na noite de 21 de Dezembro. Dia 17 a Lua passa a menos de 8º do par planetário, sendo também uma boa oportunidade para astro-fotografia.
Crédito: Miguel Montes, Starry Night Pro Plus

Logo após o pôr-do-Sol, na noite de 21 de Dezembro, Júpiter e Saturno aparecerão mais próximos no céu nocturno da Terra do que desde a Idade Média, fornecendo às pessoas de todo o mundo um espectáculo celeste para celebrar o solstício de inverno.

Os alinhamentos entre estes dois planetas são bastante raros, ocorrendo uma vez a cada mais ou menos 20 anos, mas esta conjunção é excepcionalmente rara devido à pequena distância que separa os astros. Teríamos que voltar até um pouco antes do amanhecer de 4 de Março de 1226 para ver um alinhamento ainda mais íntimo entre estes objectos visíveis no céu nocturno.

Júpiter e Saturno têm vindo a aproximar-se um do outro a partir do ponto de vista do céu da Terra desde o verão. De 16 a 25 de Dezembro, os dois estarão separados por menos do que o diâmetro de uma Lua Cheia.

Na noite da maior aproximação, 21 de Dezembro, parecerão à vista desarmada um planeta duplo, separados por apenas 1/5 do diâmetro da Lua Cheia. Para a maioria dos observadores com telescópios, naquela noite cada planeta e várias das suas maiores luas estarão visíveis no mesmo campo de visão.

Embora as melhores condições de observação sejam próximo do equador, o evento será observável em qualquer lugar da Terra, caso a meteorologia o permita. A dupla planetária aparecerá baixa no céu a oeste cerca de uma hora depois do pôr-do-Sol a cada noite.

Quanto mais para norte estiver o observador, menos tempo terá para ter um vislumbre da conjunção antes que os planetas se desloquem para trás do horizonte. Felizmente, os planetas serão brilhantes o suficiente para serem observados ao crepúsculo.

Para Faro, por exemplo, a conjunção estará apenas 13º acima do horizonte aproximadamente uma hora depois do pôr-do-Sol (pelas 18:15). Será possível observá-los caso o tempo o permita e caso tenha uma vista desimpedida do horizonte a sudoeste.

Aqueles que preferirem esperar e ver Júpiter e Saturno tão próximos um do outro novamente, mas mais altos no céu, terão que aguardar até ao dia 15 de Março de 2080. Depois dessa data, o par só fará uma aparição idêntica algum tempo depois do ano 2400.

Astronomia On-line
24 de Novembro de 2020


4704: Júpiter e Saturno vão unir-se no céu como um “planeta duplo” pela primeira vez desde a Idade Média

CIÊNCIA/ASTRONOMIA

Júpiter e Saturno vão “unir-se” no céu, no próximo mês de Dezembro, como um “planeta duplo” pela primeira vez desde a Idade Média.

Estes gigantes do Sistema Solar estão actualmente muito próximos quando vistos da Terra e, logo após o pôr-do-sol de 21 de Dezembro, data do solstício do Inverno, estes mundos vão praticamente “colidir”, transformando-se num ponto de luz super-brilhante.

Os dois maiores planetas do Sistema Solar, presentes no céu nocturno há meses, parecem estar agora mais próximos um do outro do que já estiveram desde a Idade Média.

Se as condições climáticas permitirem, o evento astronómico poderá ser observado à noite a partir de qualquer lugar do planeta, apesar de a visibilidade para o fenómeno ser melhor perto do equador, escreve o portal Phys.org.

“Os alinhamentos entre estes dois planetas são bastante raros, ocorrem uma vez a cada 20 ou mais anos, mas esta conjunção é excepcionalmente rara devido à proximidade dos planetas”, explicou Patrick Hartigan, astrónomo da Rice University.

“Teríamos de recuar um pouco antes do nascer do Sol a 4 de Março de 1226 para encontrar um alinhamento mais próximo entre estes dois objectos visíveis no céu nocturno”.

“Na noite de maior aproximação, a 21 de Dezembro, [estes dois planetas] vão parecer-se com um planeta duplo, separados apenas por um quinto do diâmetro da Lua cheia“.

De acordo com o especialista, os planetas voltarão a estar tão próximos a 15 de Março de 2080 e depois no ano de 2400.

ZAP //

Por ZAP
24 Novembro, 2020