2823: Encontrado túmulo egípcio com o mais antigo “mapa” do submundo

CIÊNCIA

The Gebel el-Silsila Project

Em 2012, os arqueólogos abriram um túmulo na necrópole egípcia do meio de Dayr al-Barsha. Embora grande parte do conteúdo tenha sido saqueada ou devorada por fungos, descobriram que um dos caixões estava inscrito com o texto de The Book of Two Ways, um misterioso “guia” ilustrado para o submundo.

Um novo estudo, cujos resultados foram publicados em Setembro deste ano na revista especializada The Journal of Egyptian Archaeology, sugere que poderia até ser a cópia mais antiga conhecida de “The Book of Two Ways”.

A cópia remonta a pelo menos quatro mil anos atrás. Os investigadores sabem disso porque o túmulo contém inscrições que mencionam o Djehutinakht I, um antigo monarca – governador provincial – entre os séculos 21 e 20 a.C. Embora anteriormente fosse assumido que o caixão continha o corpo de Djehutinakht I, este estudo destaca que o corpo pertencia a uma mulher desconhecida de elite chamada Ankh.

O túmulo parece ter sido visitado repetidamente por ladrões, que espalharam grande parte do conteúdo da sepultura pela câmara e removeram apenas alguns objectos de valor. No entanto, os arqueólogos conseguiram recuperar dois painéis de madeira, completos com algumas linhas de texto hieroglífico. Os fragmentos de texto eram pequenas secções do “The Book of Two Ways”.

Já foram descobertas por investigadores versões do livro, mas acredita-se que esta versão seja o exemplo mais antigo encontrado até agora. Escrito para oficiais do Reino Médio e para os seus subordinados também foram encontradas cópias do texto arcaico em paredes de túmulos, papiros, máscaras de múmias e outros caixões.

O nome do texto refere-se às duas rotas pelas quais os mortos podem navegar para o submundo, procurar protecção contra seres sobrenaturais e entrar no reino de Osíris, o deus egípcio do submundo e juiz dos mortos.

O livro faz parte de um grande corpo de trabalho conhecido como The Coffin Texts, que inclui 1.185 feitiços, encantamentos e escritos religiosos sobre a vida após a morte. Os textos também são um dos corpos de trabalho que compõem The Book of the Dead, a antiga colecção egípcia de textos funerários compostos por feitiços relacionados com a vida após a morte.

No entanto, pouco se entende completamente sobre os textos. Existe o risco de fazer suposições culturais sobre uma ideia antiga com a nossa mentalidade do século XXI. Porém, independentemente da sua interpretação precisa, “The Book of Two Ways” serve como um forte lembrete de como a morte e a vida após a morte têm desempenhado um papel importante na imaginação cultural dos seres humanos.

ZAP //

Por ZAP
12 Outubro, 2019