5191: O Remanescente de Super-nova da Nebulosa da Medula

CIÊNCIA/ASTRONOMIA

IMAGEM DO MÊS

O que é que alimenta esta nebulosa invulgar? CTB-1 é a concha de gás em expansão que foi deixada para trás quando uma estrela massiva na direcção da constelação de Cassiopeia explodiu há cerca de 10.000 anos. A estrela provavelmente detonou-se quando ficou sem elementos, perto do seu núcleo, que poderiam criar pressão estabilizadora com fusão nuclear. O remanescente de super-nova resultante, apelidado de Nebulosa da Medula devido à sua forma semelhante a um cérebro, ainda brilha no visível graças ao calor gerado pela sua colisão com o gás interestelar confinante. A razão porque a nebulosa também brilha em raios-X, no entanto, permanece um mistério. Uma hipótese sustenta que foi co-criado um pulsar energético que alimenta a nebulosa com um vento que se move rapidamente para fora. Seguindo esta pista, foi recentemente encontrado um pulsar no rádio que parece ter sido expelido pela explosão de super-nova a mais de 1000 km/s. Embora a Nebulosa da Medula pareça tão grande quanto uma Lua Cheia, é tão fraca que foram necessárias 130 horas de exposição com dois pequenos telescópios no estado norte-americano do Novo México para obter a imagem em destaque.

Crédito: Russell Croman
Astronomia On-line
23/02/2021