2631: Eis o “Dragão Frio dos Ventos do Norte”, o maior pterossauro que voava pelos céus do Canadá

CIÊNCIA

David Maas
Ilustração artística de um Cryodrakon boreas

Há milhões de anos, um réptil tão grande como um avião voava sobre o que é hoje o Canadá. Esta espécie gigante – parte do grupo dos azhdarchidae – tem, finalmente, um nome: Cryodrakon boreas, que significa “dragão frio dos ventos do norte”.

Acreditava-se que os fósseis do Cryodrakon boreas, encontrados há décadas, pertencessem a outro azhdarchidae da América do Norte: Quetzalcoatlus, um dos maiores animais voadores conhecidos.

Porém, a descoberta de mais fósseis nos últimos anos levou à descoberta de que representavam, na verdade, uma nova espécie – e a primeira nova espécie de pterossauro gigante encontrada no Canadá.

Com base no tamanho de um enorme osso do pescoço que se acredita pertencer a um animal adulto, o pterossauro terá tido uma envergadura que se estende por cerca de dez metros de ponta a ponta, tornando-o comparável em tamanho ao seu monstruoso primo azhdarchid Quetzalcoatlus.

Todos os fósseis do Cryodrakon vieram do Parque Provincial de Dinosaur, em Alberta, e datam de há aproximadamente 77 a 74 milhões de anos, durante o período Cretáceo, segundo o estudo, que foi publicado este mês na revista especializada Journal of the Vertebrate Paleontology.

Os azhdarchids viviam em todos os continentes, excepto na Antárctica e na Austrália, e são conhecidos por terem cabeças super-dimensionadas, pescoços longos, pernas longas e pés grandes, segundo disse o principal autor do estudo, David Hone, director do programa de biologia da Universidade Queen Mary. Mas, apesar do tamanho maciço deste grupo, restam poucos fósseis dos gigantes voadores, disse Hone ao portal Live Science.

Os fósseis são tipicamente preservados quando restos de animais são enterrados em camadas de sedimentos e “trancados” longe de bactérias que decompõem a matéria orgânica. Muitos dos restos mais bem preservados de há milhões de anos pertenciam a animais que viviam perto de mares ou rios – e os pterossauros da época viviam principalmente no interior.

“Os seus ossos são incrivelmente finos, por isso são muito raros”, acrescentou. “Temos sorte de termos tanto material bom”.

O paleoartista David Maas ilustrou o pterossauro com um padrão distinto de vermelho e branco que provavelmente será imediatamente reconhecido por qualquer canadiano. Visto de cima com as asas abertas, as marcas nas costas e nas pontas das asas de Cryodrakon assemelham-se à bandeira do Canadá. “Foi uma escolha artística divertida, porque não há evidências fossilizadas sobre as cores e padrões do animal”, explicou Hone.

David Maas

Em termos de habitat e estilo de vida, o Cryodrakon terá vivido num ambiente tropical, deliciando-se com pequenos dinossauros, lagartos e mamíferos. Grandes tiranossauros e até crocodilos podem ter caçado Cryodrakon, mas não há evidências directas disso, sublinha o Gizmodo.

ZAP //

Por ZAP
14 Setembro, 2019

artigos relacionados: https://inforgom.pt/eclypsespacenews/2019/09/11/dragao-congelado-identificado-no-canada/