3693: Astrónomo amador usa dados da NASA e ESA para descobrir novo cometa

CIÊNCIA/ASTRONOMIA

No início da sua formação, a Terra não tinha condições compatíveis com a vida

Foi com base nos dados recolhidos pelo satélite SOHO que o astrónomo amador Michael Mattiazzo encontrou o cometa SWAN, que pode ser visível a olho nu a partir do hemisfério Sul

O satélite SOHO (de Solar and Heliospheric Observatory) é mantido em parceria pela Administração Nacional da Aeronáutica e do Espaço dos EUA (NASA) e pela Agência Espacial Europeia (ESA), com os dados observados a serem disponibilizados à comunidade científica. Foi com base nesse repositório, mais concretamente nos dados do instrumento SWAN, ou Solar Wind Anisotropies, que Michael Mattiazzo, um astrónomo amador, encontrou  um novo cometa que está a ser apelidado igualmente de cometa SWAN (C/2020 F8).

A agência espacial norte-americana reconhece a descoberta no seu site e explica que o cometa SWAN pode ser detectado a olho nu a partir do hemisfério sul, ainda que para já de forma ténue.

O SWAN vai passar a 53 mil milhões de milhas da Terra nesta quarta-feira, que marcará o ponto de maior aproximação da sua trajectória. Por outro lado, a passagem mais próxima do Sol deve acontecer a 27 de maio.

Os cientistas salientam que é muito difícil prever o comportamento dos cometas que fazem abordagens tão próximas do Sol. O cometa SWAN foi o 3932º a ser descoberto com dados da plataforma SOHO, informa ainda a NASA.

Exame Informática
15.05.2020 às 09h49

 

spacenews