2729: Tempestade solar pode atingir a Terra nos próximos anos

CIÊNCIA

(CC0/PD) Buddy_Nath

Uma equipa de cientistas alerta para uma potencial tempestade de radiação solar, que poderá afectar o nosso planeta nos próximos anos.

De acordo com os cientistas, a tempestade solar pode ocorrer a qualquer momento e pode causar apagões, prejudicar as redes telefónicas e, até, afectar contas bancárias.

Conforme explica a Sputnik News, o Sol sofre regularmente explosões de partículas altamente carregadas, também conhecidas como ejecções de massa coronal (CME). No entanto, poucas têm a potência necessária para causar danos no nosso planeta.

Mas, a cada 100 anos ou mais, ocorre uma série de explosões e ejecções super-potentes, conhecidas como tempestade solar, que são lançadas em direcção à Terra. Caso atinja o nosso planeta, esta tempestade tem poder suficiente para destruir satélites e redes eléctricas, desligar computadores e excluir contas bancárias.

Os cientistas alertam que há a previsão de que, nos próximos 100 anos, ocorram duas tempestades solares catastróficas. Num novo relatório, publicado na Space Weather, investigadores do Serviço Geológico dos estados Unidos alertam que uma tempestade solar pode atingir a Terra a qualquer momento.

Os cientistas analisaram uma tempestade solar, que ocorreu nos Estados Unidos em 1921 (conhecida como Tempestade Ferroviária de Nova York), e observaram que o evento climático causou grandes impactos tecnológicos e incêndios destrutivas. “O evento foi caracterizado por variações solares e geomagnéticas extremas, e auroras registadas em diversos locais ao redor do mundo.”

Segundo os cientistas, estudar este evento pode ser útil para nos prepararmos para uma eventual tempestade solar e reduzir o impacto deste evento. Os investigadores sublinham ainda que, em 2012, uma enorme ejecção de massa coronal que poderia ter destruído diversas tecnologias passou a apenas nove dias da Terra.

Apesar de estas tempestades não poderem ser contidas, os cientistas esforçam-se para tentar prever a sua ocorrência.

ZAP //

Por ZAP
28 Setembro, 2019

 

1069: Explosão solar vai lançar o caos na Terra (só não se sabe quando)

Uma avassaladora tempestade solar pode afectar a Terra, com consequências trágicas para “o mundo inteiro”. O alerta é de um especialista da Agência Espacial Europeia que avisa que a chegada deste evento, resultado de uma explosão solar, é uma certeza, só não se sabe quando vai acontecer.

As explosões solares resultam da reorganização ou do cruzamento das linhas do campo magnético situadas perto das manchas solares, como explica a NASA. Estas explosões de energia libertam “muita radiação para o espaço” e se forem “muito intensas” podem “interferir com as comunicações de Rádio” na Terra, acrescenta a agência espacial.

Por vezes, estas explosões solares são “acompanhadas por um evento conhecido como Ejecção de Massa Coronal (CME na sigla original em Inglês) que liberta “enormes bolhas de radiação e partículas do Sol”, sublinha-se no site da NASA.

Quando as partículas da CME “alcançam áreas próximas da Terra, podem despoletar luzes intensas no céu chamadas auroras”, mas quando é “particularmente forte” também pode “interferir em redes de energia eléctrica” e, “na pior das hipóteses, pode causar escassez de electricidade e falta de energia”, releva a NASA.

Estas são “as explosões mais poderosas do nosso sistema solar“, sustenta a agência. E “se houver uma grande erupção solar, o mundo inteiro será afectado”, alerta o chefe do Gabinete de Meteorologia Espacial da Agência Espacial Europeia (ESA na sigla original em Inglês), Juha-Pekka Luntama, em declarações divulgadas pelo jornal inglês Express.

Um evento destes poderia causar o caos na Terra, destruindo satélites, equipamentos tecnológicos e redes eléctricas, com danos potenciais que podem atingir as 14 mil milhões de libras (16 mil milhões de euros), como salienta o jornal.

“Se a radiação de uma explosão solar atingir a Terra, pode destruir satélites, perturbar telemóveis e outras formas de comunicação”, avisa também o astrofísico Brian Gaensler, da Universidade de Toronto, no Canadá, em declarações citadas pelo jornal inglês Star.

E esses efeitos negativos poderiam prolongar-se durante meses ou até anos.

“O nosso Sol parece ser bonito e tranquilo, mas na verdade não é”, frisa Luntama no Express. “Há estes eventos de partículas solares energéticas em que os protões e os electrões são ejectados do Sol e aproximam-se da velocidade da luz“, realça, notando que “quando atingem satélites, podem causar o seu mau funcionamento ou até destruir a sua electrónica”.

Luntama diz que a humanidade tem tido “sorte”, mas lembra o chamado “Evento Carrington” de 1859 quando um CME levou a que fios telegráficos se incendiassem em alguns locais. “Não tivemos nenhum tão grande desde então, mas se aconteceu uma vez, vai voltar a acontecer e temos que estar preparados”, alerta.

A missão Lagrange

As declarações de Luntama surgem no âmbito da apresentação da missão Lagrange, com a qual a ESA pretende colocar uma sonda em órbita ao redor do Sol para monitorizar a sua actividade.

Esta missão, cujo investimento previsto ronda os 500 milhões de euros, vai ajudar a supervisionar as explosões solares, bem como os CME e outras actividades em torno da estrela.

“Podemos ver estes eventos com instrumentos na Terra”, todavia “é um pouco como ser um guarda-redes com a bola a vir directamente em direcção a nós”, destaca Luntama.

Com a missão Lagangre, será possível “melhorar a capacidade de dar leituras mais precisas” e detectar estas explosões solares atempadamente para “alertar as pessoas que estão a operar satélites e sistemas de energia”, de modo a que consigam “tomar medidas para proteger os equipamentos“, nota o especialista da ESA.

SV, ZAP //

Por SV
25 Setembro, 2018

[vasaioqrcode]

See also Blogs Eclypse and Lab Fotográfico