1338: Descoberta água na atmosfera de um exoplaneta a 179 anos-luz da Terra

W. M. Keck Observatory / Adam Makarenko / C. Alvarez
O exoplaneta HR 8799c é 7 vezes maior que Júpiter

Reunir informações detalhadas sobre exoplanetas é extremamente difícil. Mas, agora, astrónomos detectaram a presença de água na atmosfera de um planeta a 179 anos-luz de distância.

O sistema está na constelação de Pégaso e é constituído pela estrela HR 8799 e os planetas: HR 8799 b, c, d e e. A estrela tem 30 milhões de anos e é notável por vários motivos, incluindo as suas propriedades estelares estranhas.

Em 2008, investigadores anunciaram que tinham observado directamente três exoplanetas em redor da estrela – HR 8799b, c e d. Já em 2010, anunciaram a descoberta de um quarto planeta, HR 8799 e.

As novas observações são da HR 8799 c, observada pela primeira vez em 2008. É um jovem planeta gasoso gigante, com cerca de 7 vezes a massa de Júpiter e que orbita a sua estrela a cada 200 anos. De acordo com a equipa de investigação, pode ser confirmada a presença de água na atmosfera do exoplaneta, bem como a falta de metano.

Os investigadores utilizaram uma potente combinação de duas tecnologias no telescópio do Observatório Keck, nos EUA. O primeiro é a óptica adaptativa, que neutraliza os efeitos de desfocagem da atmosfera da Terra. O segundo é um espectrómetro de alta resolução no telescópio Keck 2, que trabalha com luz infravermelha.

“Este tipo de tecnologia é exactamente o queremos usar no futuro para procurar sinais de vida num planeta semelhante à Terra. Ainda não chegámos lá, mas estamos a caminho”, disse Dimitri Mawet, professor associado de astronomia no Instituto de Tecnologia da Califórnia e investigador no Jet Propulsion Laboratory.

W. M. Keck Observatory / Adam Makarenko / C. Alvarez
Sistema HR 8799

Até agora, os astrónomos já fotografaram directamente mais de uma dúzia de exoplanetas. Uma vez tiradas, a composição química nas suas atmosferas podem ser analisadas.

Ao combinar a espectrografia com a óptica adaptativa, os investigadores fizeram medições mais precisas do planeta, confirmando a presença de água e a ausência de metano. A nova descoberta foi publicada a 20 de Novembro no The Astronomical Journal.

“Agora já podemos aprender sobre a física e a dinâmica destes gigantes planetas exóticos, que não são nada como os planetas do sistema solar”, referiu Ji Wang, autor do estudo.

A equipe de Mawet já está a preparar-se para o próximo e mais novo instrumento no Observatório Keck, chamado de KPIC. O KPIC usará óptica adaptativa e espectroscopia, mas para um efeito ainda melhor. Com o KPIC, os astrónomos poderão observar planetas ainda mais fracos e mais próximos das suas estrelas do que HR 8799c.

“Por enquanto, estamos a aprender muito sobre como os planetas do nosso universo se formaram”, rematou Mawet.

ZAP // Science Alert

Por ZAP
26 Novembro, 2018

[vasaioqrcode]