1079: Os bombardeios da Segunda Guerra Mundial chegaram até ao Espaço

CIÊNCIA

U.S. Air Force / Public Domain

As poderosas bombas lançadas durante a Segunda Grande Guerra deixaram profundas e claras cicatrizes em terra. Agora, um novo estudo sugere que estas consequências podem ter chegado mais longe – até ao Espaço.

De acordo com um novo estudo, publicado esta terça-feira na Annales Geophysicae, os bombardeamentos causaram ondas de choque que atingiram a borda do Espaço. Como resultado, estas ondas enfraqueceram a atmosfera superior da Terra, a ionosfera.

A investigação, levada a cabo por uma equipa de investigadores da Universidade de Reading, no Reino Unido, focou-se essencialmente nos grandes bombardeios das cidades alemãs que foram atingidas pelas forças aliadas.

Segundo a pesquisa, as ondas de choque produzidas pelas bombas lançadas sobre as cidades europeias há quase 80 anos foram fortes o suficiente para enfraquecer a atmosfera superior electrizada – a ionosfera – acima do Reino Unido – a 1000 quilómetros de distância.

Os investigadores estão a utilizar estes dados para melhor compreender de que forma é que as forças naturais – como raios, erupções vulcânicas e terramotos – também afectam a atmosfera superior da Terra, nota a Europa Press.

“As imagens das cidades da Europa reduzidas a escombros devido a ataques aéreos em tempo de guerra são um lembrete duradouro do tipo de destruição que as explosões artificias podem causar”, explicou Chris Scott, professor de Física do Espaço.

Contudo, frisa o investigador, “o impacto dessas bombas na atmosfera da Terra nunca tinha sido analisado até agora”. “O que não perceberam na época [da Guerra] é que os registos ionesféricos realmente contêm as assinaturas da guerra em si”.

É assombroso ver como é que as ondas causadas por explosões provocadas pelo Homem podem afectar a borda do Espaço. Cada ataque libertou uma energia de, pelo menos, 300 raios. E a enorme energia envolvida permitiu-nos identificar como é que os eventos na superfície da Terra podem também afectar a ionosfera”, continuou em comunicado.

Para o estudo, os investigadores observaram e analisaram os registos diários no Radio Research Center em Slough, Reino Unido, colectados entre 1943-45.

A ionosfera afecta várias tecnologias modernas, como comunicações de rádio, sistemas de GPS, radiotelescópios e alguns radares de alerta, no entanto, a extensão do impacto sobre as comunicações de rádio durante a Segunda Guerra Mundial não é ainda clara.

ZAP //

Por ZAP
27 Setembro, 2018

See also Blogs Eclypse and Lab Fotográfico