3629: NASA escolheu a SpaceX, Blue Origin e Dynetics para levar os seus astronautas à Lua

CIÊNCIA/ESPAÇO

Os planos da NASA estão bem definidos. Assim, em 2024 a agência espacial quer voltar à Lua e colocar novamente os seus astronautas no satélite natural da Terra. Nesse sentido, a NASA vai contratar empresas que vão tratar de todo o processo e agilizar os meio necessários.

Para tornar as missões Artemis numa realidade, a agência espacial revelou agora quais empresas que vão avançar e criar as suas propostas. As escolhidas foram a SpaceX, a Blue Origin e a Dynetics, que seguem agora para o próximo estágio.

Já se conhecem os finalistas da viagem à Lua

Foi no final da semana passada que a NASA revelou quais as empresas que irão avançar consigo para a criação dos módulos lunares das missões Artemis. Segundo as informações disponibilizadas, são 3 empresas que têm agora que desenvolver e maturar as suas propostas para novas avaliações.

A escolha, tal como previsto, recaiu sobre a SpaceX, Blue Origin e Dynetics. Contudo, estranhamento, houve uma empresa que ficou de fora. Falamos da Boeing, que esteve nos testes iniciais com a sua proposta e que seria uma das empresas quase óbvias.

Proposta da SpaceX

Os planos da NASA para o projecto Artemis

Conforme as ambições da nação, a criação destes módulos de alunagem é essencial para o sucesso destas missões da NASA, que vão levar a primeira mulher à Lua, acompanhada de outro astronauta. Este é um regresso importante dos EUA ao satélite natural da Terra.

Mesmo sendo uma proposta que vai contra os planos iniciais, esta deverá mesmo ser uma realidade em 2024. A ideia definida passava pela criação de uma estação lunar a orbitar o satélite natural da Terra.

Proposta da Blue Origin

SpaceX, Blue Origin e Dynetics são as escolhidas

A proposta da SpaceX assenta na sua nave Starship, que está a ser desenvolvida há alguns anos. O seu desenho está criado para permitir que alune com suporte do seu motor e que desça os astronautas por um elevador.

No caso da Blue Origin, a sua proposta é o Integrated Lander Vehicle (ILV), que é baseado no Blue Moon, que a empresa apresentou no ano passado. A construção ficará a cargo de várias empresas distintas.

Proposta da Dynetics

Dento de 1 ano será feita a escolha pela NASA

Por fim, a Dynetics tem como proposta o Dynetics Human Landing System. Fabricado por várias empresas, destaca-se pelos seus 2 painéis solares. As 2 últimas propostas vão ser colocadas na Lua pelo Space Launch System (SLS), que está a ser desenvolvido pela NASA e por um grupo de empresas, liderada pela Boeing.

Estas 3 empresas vão agora receber 967 milhões de dólares, divididos entre si. Assim, este dinheiro será usado para melhorar o design das suas propostas. Segundo as regras, estas propostas serão avaliadas dentro de 1 ano e vão dar origem à escolha final que será a base das missões Artemis.

Fonte: NASA
pplware
03 Mai 2020

 

spacenews

 

1427: Não um, não dois, não três, mas quatro foguetões podem ir hoje para o espaço

Space X, Blue Origin, Arianespace e United Launch Alliance têm previsto lançar foguetões para o espaço esta terça-feira

Imagem do foguetão Falcon 9 da Space X
© D.R.

Se não houver nenhum imprevisto de última hora, como refere a notícia da Bloomberg, quatro empresas privadas planeiam lançar foguetões para o espaço esta terça-feira. Evento inédito. Que pode revolucionar a exploração espacial a nível comercial.

As empresas são as norte-americanas SpaceX, Blue Origin, United Launch Alliance e a francesa Arianespace. A primeira foi fundada por Elon Musk, que foi também o fundador da Tesla Motors, tendo sido a primeira empresa a vender um voo comercial à Lua. A segunda foi fundada por Jeff Bezos, também fundador da Amazon, conhecida empresa transnacional de comércio eletrónico. A terceira empresa resulta de uma joint venture entre a Boeing e a Lockheed Martin Corp e a quarta é uma empresa francesa lançada em 1980.

O primeiro foguetão a ser lançado será o Falcon 9 da Space X, em Cabo Canaveral, na Florida, EUA. O lançamento será acompanhado pelo vice-presidente norte-americano Mike Pense e está marcado para as 09.11 locais, ou seja, 14.11 em Lisboa.

19 minutos depois será lançado o New Shepard da Blue Origin e, em terceiro lugar, ocorrerá o lançamento do rocket russo Soyuz pela francesa Arianespace a partir da Guiana Francesa. Em último, será lançado o foguetão Delta da United Launch Alliance, a partir da base aérea de Vandenberg, na Califórnia, nos Estados Unidos.

Diário de Notícias
18 Dezembro 2018 — 11:25

[vasaioqrcode]

 

742: Jeff Bezos quer criar a primeira colónia lunar até 2023

 

Jeff Bezos, o homem que recentemente substituiu Bill Gates como o mais rico do mundo, está com os olhos postos na lua. O director de negócios da empresa aeroespacial Blue Origin, fundada em Setembro de 2000, revelou que Jeff Bezos pretende colonizar a lua nos próximos 5 anos.

A missão tem o nome de código Blue Moon e é uma prioridade para a Blue Origin.

Ir para ficar…

No passado mês de Maio, Jeff Bezos revelou numa conferência em Seattle os seus planos para conquistar a lua. O dono da Amazon afirmou que está na hora de nós, seres humanos, regressarmos à lua mas com o objectivo de ficar. Assim, criar uma colónia na lua é para Jeff Bezos uma prioridade.

A Blue Origin procura, neste momento, apoio para esta missão e a ideia passa por criar um novo serviço de logística. Para além disso, a empresa de Jeff Bezos já possui tecnologia bastante avançada que deverá permitir a aterragem em segurança de carga de elevada massa na lua.

Jeff Bezos sugere estabelecer a colónia num dos pólos da lua, onde a luz solar não atinge directamente certas crateras que contêm gelo.

Penso que devemos construir uma colónia permanente num dos pólos da lua e está na altura de regressar mas desta vez para ficar.

Jeff Bezos

Como é que se prepara uma missão destas?

Preparar uma missão que envolve uma ida à lua para estabelecer uma colónia é um grande desafio. Apesar dos avanços tecnológicos que ocorreram desde a primeira ida à lua em 1969, a dificuldade daquilo que hoje queremos alcançar pode ser ainda maior.

Existe imensos factores a ponderar e muito equipamento para preparar antes de os seres humanos sequer pensem em passar uma noite na lua. Há equipamento que só pode ser montado à superfície e a Blue Origin pretende confiar essa tarefa à robótica e a avançados sistemas de machine learning.

Apesar da dificuldade, é possível concretizar a missão. Este é um passo muito importante pois a lua poderá tornar-se a base a partir da qual a humanidade conquistará o Espaço.

Na opinião de Jeff Bezos, teremos que deixar o planeta Terra e, ao fazê-lo vamos torná-lo melhor.

pplware
06 Jul 2018
Tomás Santiago
Tenho 19 anos, sou do Porto e adoro tecnologia! Estudo Ciência de Computadores na faculdade de Ciências da Universidade do Porto e escrevo para o Pplware.

[vasaioqrcode]

[SlideDeck2 id=1476]

[powr-hit-counter id=fe2d9f0f_1530916335743]

See also Blog