4822: Há um reservatório de gelo de água quase pura em Marte

CIÊNCIA/ASTRONOMIA/MARTE

Kevin Gill / Flickr

Um grande reservatório de gelo a pouca profundidade em Marte desconhecido até agora é constituído por água quase pura e formou-se nos últimos milhões de anos.

“A nossa análise de radar mostra que pelo menos um desses recursos tem cerca de 500 metros de espessura e quase 100% de gelo, com detritos cobrindo no máximo 10 metros de espessura”, disse Daniel C. Berman, cientista principal do Planetário. Instituto de Ciências, em comunicado.

O mapeamento global de características de fluxo viscoso (VFF), um agrupamento geral de características de fluxo rico em gelo no hemisfério sul de Marte, mostra uma concentração densa em Nereidum Montes, ao longo da borda norte da Bacia de Argyre.

Localizado dentro de uma sub-região a noroeste de Nereidum Montes, há um grande número de VFFs bem preservados e depósitos de manto ricos em gelo – potencialmente as maiores concentrações de qualquer região não polar no hemisfério sul.

Os dados processados ​​do instrumento Shallow Radar (SHARAD) a bordo da espaço-nave Mars Reconnaissance Orbiter da NASA foram usados ​​para analisar reflexos basais nos VFFs na região. Num caso particular, essas observações e análises indicam que é composto de gelo de água quase pura.

NASA/JPL/GSFC

As idades do modelo obtidas a partir da contagem de crateras e das suas distribuições de frequência de tamanho (SFD) associadas tanto em depósitos de manto ricos em gelo como em pequenos VFFs lobulados sugerem que os depósitos se estabilizaram há várias dezenas de milhões de anos na Época Amazónica tardia.

Aquele pequeno lóbulo de VFF provavelmente formou-se devido à mobilização de depósitos do manto.

“Os nossos resultados mostram que VFFs têm estados de conservação mais completos e diversos em Nereidum Montes do que características semelhantes noutras regiões de Marte. Esta região contém depósitos de manto excepcionalmente bem conservados associados a VFFs. Esta observação chave sugere que VFFs lobulados são formado pelo fluxo glacial de depósitos do manto nas encostas”, disse Berman.

“Esta região seria um local de pouso interessante devido à grande quantidade de gelo, que poderia ser usado como fonte de água”, disse Berman. “Infelizmente, é um terreno muito montanhoso e provavelmente seria muito difícil pousar lá.”

Este estudo foi será publicado em Fevereiro na revista científica Icarus.

Por Maria Campos
17 Dezembro, 2020