4292: China lançou um avião espacial secreto (e pode ter deixado algo na órbita da Terra)

CIÊNCIA/ESPAÇO/CHINA

NASA/Marshall Space Flight Center
O avião espacial da China pode ser semelhante ao avião espacial dos Estados Unidos, o X-37B

A China testou com sucesso uma “nave reutilizável”, amplamente considerada um avião espacial que poderia permitir o acesso frequente e de baixo custo ao Espaço -, mas a missão continua envolta em mistério.

Este domingo, a agência de notícias estatal Xinhua relatou que o veículo tinha regressado ao seu “local de pouso programado” após uma missão de dois dias em órbita. O avião foi lançado um foguete Long March 2F na sexta-feira passada do Centro de Lançamento de Satélites de Jiuquan, no Deserto de Gobi.

“O voo bem-sucedido marcou o avanço importante do país na pesquisa de naves espaciais reutilizáveis e espera-se que ofereça transporte de ida e volta conveniente e de baixo custo para o uso pacífico do Espaço”, escreveu a Xinhua.

De acordo com a revista Forbes, acredita-se que o local de pouso tenha sido no deserto de Taklamakan, no noroeste da China, embora isso não tenha sido confirmado oficialmente.

Segundo observadores independentes no solo, o veículo atingiu uma altitude de cerca de 350 quilómetros. O avião foi inicialmente lançado com uma inclinação orbital de cerca de 45 graus, mas realizou uma “manobra dogleg” para mudar a sua inclinação para 50 graus logo após o lançamento.

No entanto, a natureza exacta do veículo em si e o que fez no Espaço permanece um mistério. Sabe-se que a China tem desenvolvido tecnologia de aviões espaciais, mas o anúncio repentino do lançamento “surgiu do nada”.

Não se sabe se o veículo do foguete era um protótipo de avião espacial projectado para, um dia, transportar humanos, ou algo semelhante ao avião espacial X-37B da Força Aérea dos Estados Unidos, usado para missões desconhecidas na órbita da Terra.

Uma fonte militar não identificada citada pelo jornal chinês South China Morning Post parece sugerir o último, dizendo, em relação ao veículo chinês,  “talvez se possa olhar para o X-37B dos Estados Unidos”. Segundo a mesma fonte, houve “muitas novidades neste lançamento”, o que significa que havia uma “necessidade de garantir que haja segurança extra” e, portanto, o sigilo em torno do lançamento.

Há também sugestões de que, como o X-37B, o veículo da China pode ter lançado algo em órbita. Relatos sugeriram que algo foi lançado duas órbitas antes do avião espacial regressar à Terra.

Misterioso avião espacial dos EUA vai voltar ao Espaço. Desta vez, sabemos porquê

O avião espacial militar super-secreto dos Estados Unidos vai voltar ao Espaço para mais uma missão em 16 de maio….

Ler mais

“As cápsulas da tripulação chinesa lançaram anteriormente pequenos satélites companheiros Banxing para monitorização”, escreveu o jornalista espacial da China Andrew Jones no SpaceNews. “Uma nave espacial experimental de nova geração lançou um módulo de tecnologia de descida e reentrada inflamável de teste em maio. A experiência sofreu uma anomalia durante a reentrada”.

Se este for realmente um avião espacial, a China será a terceira nação a ter enviado com sucesso tal veículo em órbita após os Estados Unidos e a União Soviética.

ZAP //

Por ZAP
7 Setembro, 2020

 

 

3659: Misterioso avião espacial dos EUA vai voltar ao Espaço. Desta vez, sabemos porquê

CIÊNCIA/ESPAÇO/X37B

 

– Mais uma vez tive de recorrer a um editor de captura de écran (screen capture) para gravar o vídeo acima dado que não existe, no original, qualquer link para o reproduzir. Lamentável…

O avião espacial militar super-secreto dos Estados Unidos vai voltar ao Espaço para mais uma missão em 16 de Maio. Ao contrário das outras vezes, o Departamento da Defesa explicou o que lá vai fazer.

O avião espacial X-37B das Forças Armadas dos Estados Unidos está prestes a ser lançado para a sua sexta missão. A aeronave vai ser lançada a partir da Estação da Força Aérea de Cabo Canaveral, na Florida, em 16 de maio. A Força Espacial dos Estados Unidos será responsável pelo lançamento, operações em órbita e pouso.

O X-37B é um veículo orbital desaparafusado que se assemelha a uma mini-versão do vaivém espacial da NASA, medindo apenas 8,8 metros de comprimento. De acordo com o portal IFLScience, esta será a sua primeira missão a usar um compartimento para hospedar experiências.

Uma das experiências vai testar a reacção de “materiais significativos” às condições do Espaço e outra vai estudar o efeito da radiação do ambiente nas sementes das plantas. A terceira experiência vai transformar a energia solar em energia de micro-ondas por radiofrequência e a transmissão dessa energia para a Terra.

A missão também implantará o FalconSat-8, um pequeno satélite construído e projectado por cadetes da US Force Academy que realiza cinco experiências separadas.

“Esta sexta missão é um grande passo para o programa X-37B”, afirmou Randy Walden, director executivo do programa do Departamento do Escritório de Capacidades Rápidas da Força Aérea, em comunicado. “Esta será a primeira missão X-37B a usar um módulo de serviço para hospedar experiências. A incorporação de um módulo de serviço nessa missão permite-nos continuar a expandir os recursos da espaço-nave e hospedar mais experiências do que qualquer uma das missões anteriores”.

O X-37B completou a sua última missão em Outubro de 2019, depois de orbitar a Terra por 780 dias.

Há muito pouca informação oficial publicada sobre as suas missões anteriores. O site da Força Aérea dos EUA afirma vagamente que os “objectivos principais do X-37B são duplos: tecnologias de espaço-naves reutilizáveis ​​para o futuro da América em experiências espaciais e operacionais que podem ser devolvidos e examinados na Terra”.

A falta de detalhes passada alimentou uma quantidade razoável de conspirações sobre as verdadeiras intenções do avião espacial. Uma teoria popular defende que está a testar propulsores numa órbita relativamente baixa, com o objectivo de lá colocar satélites de reconhecimento no futuro próximo.

Outros sugeriram que está a ser usado actualmente para algum tipo de aplicação militar ou de inteligência. De acordo com um relatório da revista Spaceflight publicado em 2012, a órbita do X-37B seguiu de perto a do antigo laboratório espacial da China, Tiangong-1, levando a especulações de que estava a ser usado para a vigilância do Espaço contra estados estrangeiros.

Um avião espacial orbita a Terra há 719 dias (mas não se sabe porquê)

Um avião militar sem tripulantes, movido a energia solar, quebrou o seu recorde de duração de voo espacial e passou…

Juntas, as missões X-37B acumularam 2.865 dias em órbita, durante sete anos de testes de tecnologia.

ZAP //

Por ZAP
8 Maio, 2020

 

2735: Novo avião hipersónico vai permitir voar de Londres a Sidney em 4 horas

DINHEIRO

A Agência Espacial do Reino Unido anunciou a construção da “primeira ponte espacial do mundo” graças a um verdadeiro avião espacial

A Agência Espacial do Reino Unido anunciou esta semana, na Conferência Espacial do Reino Unido 2019, que vai trabalhar com a Agência Espacial Australiana para a construção da “primeira ponte espacial do mundo”.

O projecto, nomeado de Synergetic Air-Breathing Rocket Engine (SABRE), está a ser desenvolvido pela Reaction Engines, que conta com o financiamento da BAE Systems, da Rolls-Royce e da Boeing HorizonX.

O resultado do projecto promete ser uma boa surpresa para os entusiastas dos voos supersónicos. A barreira do som não era quebrada desde que o Concorde parou de voar em 2003. Em Abril deste ano, a Reaction Engines anunciou testes bem-sucedidos, que simulavam uma velocidade três vezes mais alta do que a do som. Ou seja, 50% mais rápido que a velocidade do já defunto Concorde, que conseguia fazer a viagem entre Nova Iorque e Paris em cerca de 3,5 horas, e corresponde ao recorde de velocidade dos jactos mais rápidos já feitos.

No entanto, de acordo com a CNN, o motor está a ser construído para que possa atingir cinco vezes mais do que a velocidade do som. O SABRE “respira” o ar da atmosfera, o que permite uma maior eficiência do combustível e diminuição do peso. Em comparação com os outros motores existentes, o SABRE sai na frente, uma vez que, todos os outros precisam transportar o seu próprio suprimento de oxigénio.

“Os foguetões realmente não progrediram nos últimos 70 anos, enquanto os motores aeronáuticos tornaram-se muito eficientes. No entanto, ao combinar um motor aeronáutico e um foguetão, pode-se ter um sistema de propulsão muito leve e eficiente e, na prática, criar um avião espacial”, explica Shaun Driscoll, director de projectos da Reaction Engines, na Conferência Espacial do Reino Unido 2019.

Diário de Notícias
DN/Dinheiro Vivo
29 Setembro 2019 — 11:57

 

2541: Nave espacial da Força Aérea dos EUA está a orbitar secretamente a Terra…

O que andará a fazer?

A Força Aérea dos EUA gabou-se recentemente de que a sua nave/drone X-37B acaba de bater um recorde ao orbitar a Terra durante 719 dias consecutivos.

Se o recorde é uma façanha, o alvo da curiosidade não é este ato, mas sim, o que andará a nave a fazer lá em cima há tanto tempo?

Conforme o que é referido nas informações fornecidas pela Força Aérea norte-americana, este é o Projecto X-37B. O seu objectivo é desenvolver naves espaciais não tripuladas e reutilizáveis “para o futuro da América no espaço”. Estas serão assim capazes de hospedar experiências que podem ser levadas de volta à Terra para análise.

Mas o que é o Projecto X-37B?

A primeira coisa a entender é o que é afinal este projecto. Na realidade, tudo nasceu a 1999 na NASA com o “Projecto X-37”. Na altura, a agência americana foi responsável pelo projecto de um “avião espacial” fabricado pela Boeing. Sendo também parte de um desenvolvimento conjunto entre a NASA, a DARPA e a Boeing.

O avião é autónomo com a capacidade de ser operado remotamente. Além disso, a sua energia é obtida através de painéis solares que lhe permitem operar por longos períodos de tempo… neste caso, vários anos.

O futuro

Trata-se de uma aeronave que não requer muito dinheiro para ser construída e que também é reutilizável. Por isso, em 2004 a DARPA decidiu assumir o projecto para tarefas militares. Assim, levou a NASA a descartar os modelos X-37A que tinha na altura. A DARPA fez alguns ajustes e encomendou à Boeing melhorias que deram vida à X-37B. Nomeadamente, reduzindo o seu tamanho, aumentando as suas capacidades de comunicação e ainda a sua autonomia.

Corria o ano de 2010 e a Força Aérea dos EUA adoptava esta aeronave para missões classificadas como “Orbital Test Vehicle” (OTV). Segundo a informação pública da agência, até hoje esta aeronave completou quatro missões bem-sucedidas e estará com a quinta missão em andamento.

A primeira missão OTV durou 224 dias em órbita, enquanto a OTV-4 bateu o recorde ao passar 717 dias, 20 horas e 42 minutos em voo. Agora, o OTV-5 tem orbitado a Terra desde 7 de Setembro de 2017 e pretende estar lá por mais vários meses, embora não seja assim tão claro o que está lá a fazer.

De acordo com as informações do Daily Beast, o X-37B foi “concebido para transportar cargas úteis experimentais de câmaras de alta tecnologia de vários tipos, sensores electrónicos e radares de cartografia do solo”.

Em resumo, tecnologia tem muita, informação sobre o que anda a fazer existe pouca. Mas ainda vai lá ficar por muito tempo.

pplware
28 Ago 2019
Imagem: U.S. Air Force
Fonte: Space.com

artigo associado: Um avião espacial orbita a Terra há 719 dias (mas não se sabe porquê)

 

2537: Um avião espacial orbita a Terra há 719 dias (mas não se sabe porquê)

Um avião militar sem tripulantes, movido a energia solar, quebrou o seu recorde de duração de voo espacial e passou mais de 719 dias a orbitar a Terra.

O avião espacial X-37B pertence à Força Aérea dos Estados Unidos (USAF) e esta é a sua quinta missão — o Orbital Test Vehicle 5 (OTV-5). No entanto, os resultados das suas missões permanecem confidenciais.

Na segunda-feira, o avião quebrou o recorde estabelecido pela missão anterior, o OTV-4, que permaneceu no ar por 717 dias, 20 horas e 42 minutos. O OTV-5 bateu esse às 10 horas e 43 minutos, no dia 26 de Agosto. Hoje, o avião está quase no final do dia 719.

Embora a USAF não evite falar sobre o avião espacial, usa termos muito gerais. Mas, é de conhecimento público que a USAF tem, pelo menos, duas aeronaves movidas a energia solar, construídas pela Boeing.

A última missão foi lançada a 7 de Setembro de 2017 pelo foguete Falcon 9 da SpaceX e ainda está activa. Não está claro quando termina a sua missão, mas o avião está preparado com rodas para aterrar na pista.

De acordo com a USAF, os objectivos primários do X-37B são pesquisar tecnologias de veículos espaciais reutilizáveis para o futuro dos EUA no espaço e, conduzir experiências que se possam trazer para a Terra para as examinar.

Segundo a Space, as tecnologias testadas no programa incluem: orientação avançada, navegação e controlo, sistemas de protecção térmica, aviónica, estruturas e vedações de alta temperatura, isolamento reutilizável conforme, sistemas electromecânicos de voos leves, sistemas avançados de propulsão, materiais avançados, voo orbital autónomo, reentrada e aterragem.

No passado, o mistério em torno desta missão levou à especulação de que os militares podiam estar a testar um EM Drive no espaço — um hipotético sistema de propulsão sem combustível que foi estudado pela NASA e que a China alega já estar a testar.

Outras especulações sugeriam que a USAF podia estar a usar o X-37B para pesquisa de armas ou operações de vigilância da órbita. Contudo, em 2010 a Força Aérea negou que o programa envolvesse qualquer “capacidade ofensiva”.

“O programa apoia a redução de riscos tecnológicos, a experiência e o desenvolvimento de conceitos operacionais”, disse um porta-voz na altura.

Independentemente da missão do avião, este foi projectado para um tempo de órbita de apenas 270 dias. O facto de ter sido capaz de mais do que duplicar o tempo é uma conquista para as aeronaves movidas a energia solar.

DR, ZAP //

Por DR
28 Agosto, 2019