2912: A ave que canta mais alto do que o barulho de um avião

O corpo da araponga-da-amazónia é pequeno, mas não a impede de emitir o som mais elevado de um pássaro alguma vez registado.

Este ave tem apenas cerca de 30 centímetros e pesa pouco mais de 200 gramas, sendo ligeiramente menor do que um pombo comum. Ainda assim, investigadores mediram o volume do canto e dizem tratar-se da ave que emite o som mais alto do mundo jamais gravado.

Os machos da espécie, cujo nome científico é procnias albus, fazem um barulho especialmente elevado quando estão a tentar atrair as fêmeas para o acasalamento. Especialistas americanos e brasileiros não percebem como elas conseguem ficar tão perto sem danificar a audição. Para que tenhas maior noção, o som que a ave faz pode atingir 125 decibéis, mais do que uma banda de rock emite num concerto (até 120 decibéis), uma turbina de um avião (110 decibéis) ou uma serra elétrica (100 decibéis). O nível considerado seguro para os ouvidos humanos é de cerca de 85 decibéis.

A descoberta, publicada na revista científica “Current Biology”, foi feita pelos investigadores Mario Cohn-Haft, do Departamento de Coordenação de Biodiversidade (CBIO), do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazónia (INPA), e Jeff Podos, professor de biologia da Universidade de Massachusetts (EUA).

Além de terem um canto diferente, os machos são brancos, com pequenas manchas verdes, e têm uma carne escura com pontos brancos a pender do bico. As fêmeas são verdes e não têm a saliência.

A araponga-da-amazónia é vista frequentemente nas regiões brasileiras de maior altitude da floresta, nomeadamente na Serra do Apiaú, em Roraima e na serra dos Carajás, no leste do Pará. Embora não seja ainda considerada uma espécie ameaçada, está numa situação delicada de conservação, devido à ocupação humana e às alterações climáticas.

Assiste ao vídeo em baixo sem te preocupares porque o som já está a um nível seguro para a audição humana.

Jornal de Notícias
Texto: Bruna Sousa
JN TAG
27/10/2019