4016: Golfinho extinto há 25 milhões de anos era o principal predador da sua comunidade

CIÊNCIA/BIOLOGIA

(dr) Robert W. Boessenecker
Ankylorhiza tiedemani

Extinto há cerca de 25 milhões de anos, este golfinho feroz, com quase cinco metros de comprimento, foi o principal predador da sua comunidade.

Uma equipa de cientistas identificou, recentemente, um esqueleto quase completo de um ancestral de golfinho com 4,8 metros de comprimento que viveu na actual Carolina do Sul durante a época do Oligoceno, há cerca de 25 milhões de anos.

Além de ser muito comprido, o animal tinha dentes grandes e parecidos com presas e parece ter sido capaz de caçar a alta velocidade como uma orca. O artigo científico foi publicado no dia 9 de Julho na Current Biology.

De acordo com o Science Alert, o esqueleto foi encontrado na década de 1990, mas foi classificado incorrectamente: trata-se do primeiro esqueleto de Ankylorhiza tiedemani (quase completo) a ser analisado. Até agora, esta criatura só foi estudada a partir de um fóssil parcial do focinho.

Os cientistas acreditam que o animal era um predador violento e que reunia em si uma mistura das características da baleia-assassina e do golfinho, o que proporciona uma maior compreensão sobre a evolução paralela destas duas espécies de animais marinhos. As características terão evoluído paralelamente, em vez de terem sido herdadas do mesmo ancestral.

Robert Boessenecker, investigador do College of Charleston, explicou que a evolução paralela terá acontecido devido aos ambientes aquáticos semelhantes que os dois animais ocupavam. Apesar de parecer óbvio que os animais do mesmo ambiente desenvolvem características semelhantes, não se trata necessariamente de um padrão.

Os golfinhos gigantes extinguiram-se há cerca de 23 milhões de anos. Desde então, outras baleias e golfinhos surgiram na Terra, ainda que, actualmente, a única baleia predadora (e temível) seja a orca.

“As baleias e os golfinhos têm uma história evolutiva longa e complicada e podemos não ter noção disso mesmo, com base nas espécies modernas. O registo fóssil abriu esse longo e sinuoso caminho evolutivo. Fsseis como Ankylorhiza ajudam a esclarecer toda a história” rematou Boessenecker.

ZAP //

Por ZAP
19 Julho, 2020

 

spacenews