1733: NASA vai analisar amostras da Lua intactas há quase 50 anos

NASA

Vídeo incorporado

NASA

@NASA

We are going forward to the 🌔Moon by pushing science into the next generation. By studying lunar samples, we are discovering new resources like drinking water, oxygen and fuel. Learn about worlds beyond our own in pursuit of #Moon2Mars:https://go.nasa.gov/2J4duKZ 

Seis dos nove grupos em causa vão analisar cerca de 800 gramas de material nunca exposto à atmosfera da Terra e entrarão em contacto com as camadas rochosas da Lua. Os restantes três grupos vão debruçar o seu estudo em amostras congeladas ou que permaneceram em hélio desde que chegaram da Lua.

Especificamente, os especialistas vão tentar saber como se mantém a água na rocha altamente irradiada na superfície lunar, obtendo informações sobre o clima e a actividade vulcânica do nosso satélite natural. Segundo adiantou a NASA, as equipas vão também detalhar as características geológicas do local onde a Apollo 11 alunou para descobrir o seu potencial como “armadilha fria”, na qual a água poderia ter-se congelado.

Estas amostras são “um investimento no futuro” e a agência espacial guardou-as para “aproveitar a tecnologia mais avançada” que temos hoje em dia, visando “responder a perguntas” que os cientistas não sabiam à época que deveriam fazer, explicou Lori Glaze, directora interina da Divisão de Ciência Planetária da NASA, citada na mesma nota.

ZAP //

Por ZAP
18 Março, 2019

[vasaioqrcode]