1962: Descoberto dinossauro do Jurássico que voava com asas de morcego

CIÊNCIA

Uma nova investigação, levado a cabo por paleontólogos da Academia Chinesa de Ciências, descobriu uma espécie de dinossauro nunca antes documentada, que tem penas e asas semelhantes às de um morcego, utilizadas para planar. 

De acordo com o novo estudo, cujos resultados foram esta semana publicados na revista científica Nature, o fóssil analisado foi encontrado em 2017 na província de Liaoning, na China. Ambopteryx longibrachium pertence à ordem dos Scansoriopterygidae e terá habitado a Terra há cerca de 163 milhões de anos, durante o Jurássico.

A espécie, de pequenas dimensões (32 centímetros de comprimento e 306 gramas de peso) – da mesma envergadura de uma pega -, tinha uma membrana larga, lisa e macia, que se estendia do corpo aos antebraços.

Em 2007, outro aparente dinossauro desta espécie tinha sido encontrado na província de Henbei. Na época, foi baptizado de “Yi qi” (que significa “asa estranha”). Os especialistas sugeriram que se tratava de um dos primeiros animais planadores, já que tinham asas semelhantes às de um morcego, contudo a sustentação não foi aceite pela comunidade científica até a descoberta deste novo espécime.

Apesar de pertencer à mesma família, o Ambopteryx apresenta diferenças notáveis comparativamente com o seu primo descoberto em 2007: o osso das extremidades superiores é mais largo, possui uma cauda curta que termina em vértebras fundidas e tem ainda membros posteriores mais alongados.

“As descobertas de Ambopteryx e Yi mudam completamente a nossa visão sobre a origem do voo das aves”, afirmou Min Wang, paleontólogo do Instituto de Paleontologia e Paleontologia de Vertebrados da Academia Chinesa de Ciências e líder da equipa de investigadores.

O novo estudo fornece novas informações sobre a evolução dos dinossauros para se adaptarem ao voo. “Durante muito tempo, pensamos que as asas com penas eram o único dispositivo de voo” na evolução das aves, apontou Wang.

“No entanto, as novas descobertas mostram claramente que as asas membranosas também evoluíram em alguns dinossauros intimamente relacionados com as aves. Em conjunto, a amplitude e a riqueza da experimentação relacionada com o voo são maiores do que se pensava até então durante a transição dinossauro-pássaro. Estamos só a ver a ponta do icebergue”, completou o cientista.

Ambopteryx era certamente capaz de planar, assegurou o cientista, o mais difícil é saber é se conseguia “voar” a partir de uma posição estática (por impulso). Provavelmente omnívoros, estes espécimes viveram um estilo de vida arbóreo, rematou o cientista.

ZAP //

Por ZAP
12 Maio, 2019


[vasaioqrcode]