3241: Asteróide com centenas de metros passará pela Terra depois do Natal

CIÊNCIA

Um asteróide com centenas de metros passará pela Terra logo após o Natal, de acordo com a agência espacial norte-americana (NASA), que frisa que corpo rochoso não apresenta qualquer perigo para o planeta.

O asteróide – baptizado de 310442 – alcançará o seu ponto mais próximo da Terra às 07h45 (UTC) de 26 de Dezembro. Estará a 0,05 unidades astronómicas do nosso planeta (cerca de 7,3 milhões de quilómetros do centro da Terra), segundo números avançados pelo Center for Near Earth Object Studies (CNEOS) da NASA.

Em declarações ao portal Newsweek, Paul Chodas, director do CNEOS, afirmou que esta é uma distância “próxima” do ponto de vista astronómico, mas não do ponto de vista humano. “No seu ponto mais próximo, este [o asteróide 310442] estará 19 vezes mais distante do que a Lua”, explicou.

Na sua aproximação à Terra, o corpo rochoso vai viajar a uma velocidade estimada de 12,3 quilómetros por segundo (44.280 quilómetros por hora).

Os astrónomos da CNEOS estimam que a rocha espacial tem um diâmetro entre 280 e 620 metros. Em termos de comparação, oscila entre a dimensão do Trump Building, em Manhattan (Estados Unidos), e da Shanghai Tower, na China.

“Ao longo de muitos séculos e milénios, [estes asteróides] podem evoluir para órbitas que atravessam a Terra. E, por isso, é prudente continuar a acompanhá-los nas próximas décadas e estudar como é que as suas órbitas podem estar a evoluir”, rematou Chodas.

Os asteróides e outros corpos são considerados próximos da Terra, recorde-se, quando passam a uma distância inferior a 1,3 unidades astronómicas do nosso planeta.

Apesar de ser muito pouco provável que um asteróide venha a colidir com a Terra nos próximos anos – a probabilidade é de 1 em 300.000, segundo a NASA -, as agências espaciais têm reunido esforços para melhorar os programas destinados para o acompanhamento e desvio destes corpos em rota de colisão com a Terra.

Nem Asteróide do Apocalipse, nem Deus do Caos. Nenhum asteróide (conhecido) vai colidir com a Terra nos próximos 100 anos

A NASA continua a afirmar que nenhum asteróide conhecido representa um risco significativo de impacto com a Terra nos próximos…

ZAP //

Por ZAP
21 Dezembro, 2019

 

spacenews

 

2955: Asteróide gigante aproxima-se da Terra no final de 2019

CIÊNCIA

2019 tornou-se num ano profícuo no que toca à visita de asteróides pela vizinhança da Terra. Nesse sentido, para fechar o ano, teremos a passagem de um asteróide que se chama 310442 (2000 CH59). Segundo informações do CNEOS – Centro de Estudos dos Objectos Próximos à Terra da NASA, a rocha espacial causará uma ameaça potencial ao planeta.

310442 (2000 CH59) é um asteróide que pertence a um grupo de asteróides chamados Aton. As órbitas destes objectos estelares cruzam-se ocasionalmente com a da Terra.

NASA classifica o asteróide como potencialmente perigoso

A NASA alertou que um asteróide, com cerca de 600 metros de largura, passará pela Terra no final do ano. Tendo em conta o seu tamanho e a sua velocidade actual, caso colidisse com a terra, poderia destruir uma cidade por completo.

Conforme informa o Centro de Estudos de Objectos Próximo à Terra da NASA, o 310442 (2000 CH59) voa pelo espaço a uma velocidade média de quase 40 000 quilómetros por hora.

Asteróide 310442 (2000 CH59) estará no dia 26 de Dezembro mais perto da Terra, Imagem: NASA

Segundo os investigadores, o asteróide passará perto do nosso planeta no dia 26 de Dezembro a uma distância de 7,2 milhões de quilómetros. Conforme sabemos, esta distância pode parecer longe demais em medidas terrestres. No entanto, num escala espacial, é muito perto.

Qual seria o impacto se colidisse com a Terra?

Bom, felizmente que não há vivida uma experiência com a colisão entre a Terra e um asteróide gigante. Contudo, alguns indícios deixados no planeta e outras experiências com asteróides e meteoritos menores deixam-nos perceber o que aconteceria num impacto destruidor. Como exemplo de uma experiência do género, temos o acontecimento de Chelyabinsk, em 2013.

Conforme já vimos diversas vezes, o objecto de Chelyabinsk foi um asteróide que entrou na atmosfera terrestre sobre a Rússia em 15 de Fevereiro de 2013. A sua invasão pela atmosfera terrestre criou uma bola-de-fogo. Posteriormente, esta rocha incandescente explodiu e causou inúmeros estragos e feridos.

O objecto cruzou os céus do sul da região dos Urais. Então, deu-se uma explosão sobre a cidade de Chelyabinsk, às 9:20:26 (horário local) ou 03:20:26 (UTC). Estima-se que o asteróide, dentro da atmosfera do nosso planeta, tivesse aproximadamente 10 000 toneladas de massa e 17 m de diâmetro.

A explosão libertou o equivalente a 500 quilo-toneladas de energia durante o evento. Assim, e numa comparação directa, a bomba nuclear lançada sobre Hiroxima libertou cerca de 13 quilo-toneladas de energia. Alguns dos fragmentos atingiram Chelyabinsk, embora que a maioria caiu no lago Chebarkul.

Portanto, em relação ao asteróide que passará no dia a seguir ao Natal pelo planeta, a NASA não tem qualquer simulação que mostre o impacto deste com a Terra nos próximos 100 anos.

NASA – Asteróide perigoso passará perto da Terra a uma velocidade de 40 mil km/h

No próximo dia 25, sexta-feira, passará “perto” da Terra um asteróide à velocidade de 40 mil km/h. De acordo com o Centro de Estudo de Objectos Próximos à Terra da NASA, o objecto 162082 … Continue a ler NASA – Asteróide perigoso passará perto da Terra a uma velocidade de 40 mil km/h