4188: Um asteróide do tamanho de um carro “quase acertou” na Terra

CIÊNCIA/ASTRONOMIA

Provavelmente desvalorizamos o facto de existirem muitos asteróides “por perto” e podermos um dia destes estar na rota de colisão com um dos “monstros”. Temos confiança nos sistemas que vigiam os espaço e entendemos que estes controlam realmente as trajectórias destas rochas. Contudo, no passado dia 16 de Agosto, um asteroide passou perto da Terra, a 2.950 km, e só foi detectado seis horas depois.

Era pequeno, do tamanho de um carro, mas poderia causar problemas. Sobrevoou o planeta e seguiu a sua rota.

Asteróide chegou, entrou, partiu e ninguém deu por ela

Asteróides que penetram na Terra são algo que esperamos evitar. Imagine se tal impacto acontecesse numa das nossas principais cidades, os efeitos seriam catastróficos. É por isso que existem invenções como o motor iónico da NASA, por exemplo.

Então, quando um asteroide quase do tamanho de um carro passou perto do nosso planeta no domingo e ninguém percebeu até depois do fato, as notícias são bastante preocupantes.

Percorreu apenas 1.830 milhas (2.950 km) pela Terra, de acordo com o Business Insider.

O quase acidente

Tanto quanto foi registado, o voo do asteróide foi o mais próximo de voar pela Terra de todos os tempos. Foi captado por um programa financiado pela NASA, que chamou o asteroide 2020 de QG.

Mesmo que o asteróide tivesse colidido com a Terra, devido ao seu tamanho, não teria causado nenhum dano enorme. O que é preocupante é que ninguém o viu a chegar até que já tivesse passado.

O asteróide aproximou-se sem ser detectado da direcção do Sol. Nós não previmos isso.

Explicou Paul Chodas, director do Centro de Estudos de Objectos Perto da Terra da NASA.

Foi o Observatório Palomar quem primeiro notou o caminho do asteróide.

Segundo Chodas, a aproximação deste asteróide é a mais próxima registada, se não contarmos alguns asteróides conhecidos que realmente chocaram com o nosso planeta. O 2020 QG sobrevoou o hemisfério sul, e Tony Dunn no Twitter criou uma simulação para mostrar a sua velocidade – 12,4 km por segundo. As imagens mostram o voo impressionantemente perto da Terra.

Foto do perfil, abre a página do perfil no Twitter em uma nova aba
Tony Dunn
@tony873004
Newly-discovered asteroid ZTF0DxQ passed less than 1/4 Earth diameter yesterday, making it the closest-known flyby that didn’t hit our planet. @renerpho Simulation: orbitsimulator.com/gravitySimulat

Uma vez que as leituras do telescópio mostraram que o asteróide era do tamanho de um carro, este deveria ter entre dois e 5,5 metros de largura. Assim, se este asteróide tivesse causado impacto na Terra, provavelmente teria explodido na atmosfera e não teria um efeito maior nas pessoas do que o sentir de alguns sons distantes.

O problema do Sol

O problema com este asteróide era que ele vinha da direcção do Sol e, como tal “não há muito que possamos fazer sobre a detecção de asteróides vindos da direcção do Sol, já que os asteróides são detectados a usar apenas telescópios ópticos (como ZTF), e só podemos procurá-los no céu nocturno.” referiu Chodas.

A ideia é que os descubramos numa das suas passagens anteriores pelo nosso planeta, e então façamos previsões com anos e décadas de antecedência para ver se eles têm alguma possibilidade de impacto.

Concluiu o investigador da NASA.

NASA afirma que nenhum asteróide registado vai colidir com a Terra nos próximos 100 anos

Há hoje uma preocupação maior relacionada com os asteróides. Ameaças do asteróide do Apocalipse ou do Deus do Caos estão a ser vigiadas pela NASA que desdramatiza os possíveis casos de colisão com a … Continue a ler NASA afirma que nenhum asteroide registado vai colidir com a Terra nos próximos 100 anos

18 Ago 2020

 

Avatar