1579: Há um misterioso asteróide a orbitar muito perto do Sol

NASA

Pelo que se sabe do Sistema Solar, há uma ordem mais ou menos conhecida: Sol, planetas, cintura de asteróide, mais planetas e, depois, mais asteróides. Mas uma nova descoberta pode alterar um pouco as coisas.

Trata-se de um asteróide chamado 2019 AQ3, cuja órbita elíptica é quase sempre mais próxima do Sol do que Vénus – e até se aproxima de Mercúrio. Precisa de apenas 165 dias para orbitar o Sol – o ano mais curto já visto num asteróide do Sistema Solar.

“Encontrámos um objeto extraordinário cuja órbita mal se desvia além da órbita de Vénus – isto é um grande problema”, disse o astrónomo Quanzhi Ye, do Centro de Processamento e Análise de Infravermelho (IPAC) da Caltech. “Pode haver muitos asteróides ainda não descobertos por aí como eles.”

O objeto foi visto pela primeira vez a 4 de Janeiro de 2019 em dados do Zwicky Transient Facility (ZTF), um projecto automatizado de levantamento do céu feito pelo Palomar Observatory da Caltech. Não demorou muito para que a sua natureza incomum intrigasse outros astrónomos e múltiplos telescópios foram instalados para estudá-lo a 6 e 7 de Janeiro.

Além disso, os arquivos do telescópio Pan-STARRS 1 no Observatório Haleakalā, no Hawai, revelaram evidências anteriormente não percebidas do asteróide, que remontam a 2015.

Com base nos dados de arquivo e nas novas observações, os investigadores conseguiram fazer um cálculo preciso da órbita do 2019 AQ3. O asteróide viaja a um estranho loop que o leva para cima e para baixo do plano orbital do Sistema Solar – estranho porque a maioria das coisas no Sistema Solar dentro da Nuvem Oort seguem este plano.

E, como mencionado, a sua proximidade com o Sol também é estranha. De todos os asteróides do Sistema Solar – e existem muitos – encontramos apenas 19 (incluindo 2019 AQ3) cujas órbitas estão completamente contidas na órbita da Terra.

Estes asteróides são conhecidos como asteróides de Atira, asteróides de Apohele ou Objectos no Interior da Terra (IEOs) e, embora não representem uma ameaça actual, isto pode mudar no futuro se as suas órbitas forem perturbadas por Vénus ou Mercúrio.

O tamanho do 2019 AQ3 parece ser considerável. Não conhecemos muitos asteróides do mesmo tamanho. Embora seja impossível fornecer dimensões exactas com base nas observações limitadas até o momento, as estimativas actuais indicam que o seu diâmetro seja de até 1,6 quilómetros.

“Este é um dos maiores asteróides com uma órbita inteiramente dentro da órbita da Terra – uma espécie muito rara“, disse Ye. “De muitas maneiras, 2019 AQ3 é um asteróide excêntrico.”

Procurar asteróides Atira e asteróides e cometas próximos da Terra potencialmente perigosos para a Terra é apenas um dos objectivos da ZTF. Com seu amplo campo de visão e rápida leitura electrónica, é projectado para capturar objectos que se movem ou ocorrem rapidamente, chamados de eventos transitórios.

No geral, o projecto identificou 50 asteróides próximos da Terra, incluindo 2018 NX e 2018 NW. Também identificou dois buracos negros.

Os artigos a descrever as descobertas serão publicados numa edição especial da revista ZTF da publicação Publications of the Astronomical Society of the Pacific.

ZAP // Science Alert

Por ZAP
11 Fevereiro, 2019