3766: Júpiter é tão grande que o nosso Sistema Solar quase teve dois sóis

CIÊNCIA/ASTRONOMIA/JÚPITER

NASA/JPL-CALTECH/SWRI/MSSS
Imagem de Júpiter captada pela sonda Juno da NASA.

O nosso Sistema Solar tem apenas uma estrela e uma série de planetas relativamente pequenos. No entanto, Júpiter esteve muito perto de se tornar o irmão mais pequeno do Sol.

Júpiter é, de longe, o maior planeta do Sistema Solar. Este corpo celeste é tão grande que esteve muito perto de se tornar uma estrela.

Segundo escreve o astrónomo Paul Sutter, num artigo assinado no Universe Today, se Júpiter fosse 20 vezes maior do que é, seria suficientemente pesado para que a pressão e a temperatura do núcleo fossem suficientemente altas para inflamar a fusão nuclear e dar início a um Júpiter “a caminho do estrelato”.

“O material que formou o nosso Sistema Solar uniu-se para formar os planetas, e a maior parte acabou em Júpiter, que sofreu um crescimento exponencial descontrolado.” O cientista explica ainda que, apesar de 20 vezes parecer muito, a verdade é que, no mundo da astronomia, “isso equivale a um amendoim”.

Se nosso Sistema Solar fosse um pouco diferente, Júpiter, o planeta gigante composto principalmente por hidrogénio, “teria acabado a ascender e a iluminar como e fosse um segundo Sol”.

Apesar de esse cenário não descartar, necessariamente, a formação de planetas, tornaria a vida na Terra muito mais improvável, uma vez que os planetas que orbitam em sistemas binários quase nunca atingem o ponto ideal de temperatura necessário para impedir a água de evaporar ou, pelo contrário, de congelar.

Por cá, na Terra, “agradecemos a Júpiter por ser tal como é”, remata Sutter.

ZAP //

Por ZAP
1 Junho, 2020

 

spacenews

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.