3759: É um polvo, chama-se Dumbo e mora a sete mil metros de profundidade (um novo recorde)

CIÊNCIA/BIOLOGIA

(dr) Marine Biology

Um polvo foi fotografado no leito do Oceano Índico, a sete mil metros de profundidade. É um novo recorde.

A descoberta de um polvo a 7 mil metros de profundidade, 6.957 metros mais especificamente, foi relatada pela equipa de investigadores na Marine Biology. No artigo científico, os cientistas explicam o nome que foi escolhido para baptizar o polvo “apanhado” nas profundezas do Oceano Índico.

O animal chama-se “Dumbo” por causa das barbatanas em forma de orelhas que fazem lembrar a famosa personagem do elefante da Disney. A estranha criatura marinha (Grimpoteuthis) foi observada duas vezes no no Java Trench, no leito do Índico, a 5.760 e 6.957 metros de profundidade.

Os cientistas mergulharam nos lugares mais profundos do mar durante um ano meio e fizeram esta descoberta em abril. À CNN, Alan Jamieson, ecologista marinho, disse que a equipa ficou muito surpreendida com a aparição de Dumbo: depois de 100 mergulhos, os investigadores da expedição The Five Deeps já tinham uma ideia dos animais que vivem nas águas mais profundas, mas não estavam à espera de ver o polvo.

“Como habitualmente, filmamos quase o mesmo material, mas, de repente, no meio de um mergulho a cerca de 6 mil metros, um polvo Dumbo simplesmente voa à frente da câmara”, contou. Depois da primeira aparição, os cientistas voltaram a mergulhar, mas, desta vez, um pouco mais fundo – a 7 mil metros.

Jon Copley @expeditionlog

6957 metres: the new depth record for direct observation of a cephalopod – in this case, a dumbo octopus – in the ocean…

…confirming suspicions from earlier trawls that they live in upper trenches.

New paper by Alan Jamieson & Michael Vecchione: https://link.springer.com/article/10.1007/s00227-020-03701-1 

First in situ observation of Cephalopoda at hadal depths (Octopoda: Op

The Cephalopoda are not typically considered characteristic of the benthic fauna at hadal depths (depths exceeding 6000 m), yet occasional open-net trawl samples have implied that they might be…

link.springer.com

Alan Jamieson foi o pioneiro na exploração das profundezas dos oceanos, usando um equipamento especial chamado lander. O equipamento é lançado ao mar por navios de investigação, ficam no leito do oceano e gravam o que por lá se passa.

O cientista considera que esta descoberta pode mudar a percepção das pessoas que acham que o fundo do mar é povoado por criaturas estranhas e assustadoras.

ZAP //

Por ZAP
29 Maio, 2020

 

spacenews

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.