3717: Descoberta a “casa” dos misteriosos neutrinos de alta energia detectados na Antárctida

CIÊNCIA/ASTROFÍSICA

Felipe Pedreros / IceCube / NSF

No início do ano, foram detectados neutrinos de alta energia na Antárctida. Agora, uma equipa de investigadores pode ter descoberto de onde vieram.

Os neutrinos são partículas misteriosos e evasivas: têm uma massa minúscula, sem carga eléctrica e interagem raramente com outra matéria. Além disso, são extremamente comuns. A qualquer momento, cerca de 100 mil milhões de neutrinos estão a fluir por cada centímetro quadrado do seu corpo. Os neutrinos foram produzidos pelo Big Bang e ainda estão a ser produzidos por tudo, desde estrelas a super-novas.

De acordo com o Universe Today, um dos mistérios mais recente começou quando alguns neutrinos foram detectados pela ANtarctic Impulsive Transient Antenna (ANITA). Ao contrário da maioria dos detectores de neutrinos que são grandes e sensíveis, o ANITA é um detector de rádio suspenso por um balão que só consegue detectar neutrinos de alta energia quando atingem o gelo antárctico para criar uma explosão de luz de rádio.

No início deste ano, a ANITA detectou sinais estranhos que pareciam ser desencadeados por neutrinos de energia extremamente alta – tão alta que pareciam desafiar o modelo padrão da física de partículas.

Os neutrinos de alta energia também foram detectados pelo detector de neutrinos IceCube na Antárctida, apesar de não serem tão energéticos como detectados pela ANITA.

Recentemente, uma equipa de investigadores analisou uma fonte possível para estes estranhos neutrinos: os buracos negros super-massivos dos quasares.

Buracos negros super-massivos são potências gravitacionais. Quando o gás quente em seu redor é comprimido pela gravidade e pelos campos electromagnéticos, pode emitir enormes quantidades de energia, incluindo neutrinos de alta energia.

A equipa comparou quatro dezenas de detecções de neutrinos no IceCube com observações de rádio do radiotelescópio russo RATAN-600 e descobriram que os neutrinos eram detectados quando um quasar experimentava um surto de rádio.

A explicação mais provável é que, quando os quasares são particularmente activos, são produzidos surtos de raios gama dentro da explosão do rádio. Os raios gama colidem com os átomos circundantes, desencadeando uma explosão de neutrinos.

Como os neutrinos viajam quase à velocidade da luz, chegam à Terra ao mesmo tempo da explosão de rádio.

Cientistas têm uma nova forma de detectar os esquivos e indescritíveis neutrinos

Uma equipa de cientistas da Universidade de Ohio, nos Estados Unidos, acaba de apresentar um novo procedimento que pode ajudar…

Segundo o ScienceAlert, este é apenas um estudo inicial e resolve parte do mistério dos neutrinos de alta energia.

Apesar de sabermos a forma como os neutrinos podem ser produzidos, a origem dos neutrinos mais energéticos permanece um mistério.

ZAP //

Por ZAP
20 Maio, 2020

 

spacenews

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.