3630: Hubble celebrates 30 years in space with a gorgeous landscape of stars

SCIENCE/ASTRONOMY

The new image focuses on two nebulas

Happy Birthday Hubble! To celebrate the telescope’s three decades in space, the team of researchers behind the Hubble have released an amazing new image of two nebulas in the Large Magellenic Cloud, a smaller galaxy about 163,000 light-years from our Milky Way.

The larger, red nebula is NGC 2014, and the bright, newly formed stars at its heart are 10-20 times the size of the Sun, according to NASA. The blue nebula, NGC 2020, was formed when a star 200,000 times larger than our Sun ejected a huge amount of gas.

Researchers thought the image looked a lot like a coral reef, titling the resulting picture ‘Cosmic Reef.’

“It’s Hubble’s exquisite vision from its orbit above Earth’s atmosphere that gives us the ability to get a clear glimpse of this kind of incredible beauty and activity.” Jennifer Wiseman, Hubble Senior Project Scientist said in a video made to accompany the image’s release.

But 30 years ago, when it launched, the telescope wasn’t in great shape. “A tiny imperfection in the mirror meant that all of the images it took were fuzzy and out of focus, and it took five separate repair missions to get it to the excellent shape it’s in today.” Sean O’Kane wrote for the Hubble’s 25th anniversary.

“It was revolutionary to launch such a large telescope 30 years ago, and this astronomy powerhouse is still delivering revolutionary science today.” Thomas Zurbuchen, associate administrator for science at NASA said in a statement. “Its spectacular images have captured the imagination for decades, and will continue to inspire humanity for years to come.”

The Verge

 

spacenews

 

3629: NASA escolheu a SpaceX, Blue Origin e Dynetics para levar os seus astronautas à Lua

CIÊNCIA/ESPAÇO

Os planos da NASA estão bem definidos. Assim, em 2024 a agência espacial quer voltar à Lua e colocar novamente os seus astronautas no satélite natural da Terra. Nesse sentido, a NASA vai contratar empresas que vão tratar de todo o processo e agilizar os meio necessários.

Para tornar as missões Artemis numa realidade, a agência espacial revelou agora quais empresas que vão avançar e criar as suas propostas. As escolhidas foram a SpaceX, a Blue Origin e a Dynetics, que seguem agora para o próximo estágio.

Já se conhecem os finalistas da viagem à Lua

Foi no final da semana passada que a NASA revelou quais as empresas que irão avançar consigo para a criação dos módulos lunares das missões Artemis. Segundo as informações disponibilizadas, são 3 empresas que têm agora que desenvolver e maturar as suas propostas para novas avaliações.

A escolha, tal como previsto, recaiu sobre a SpaceX, Blue Origin e Dynetics. Contudo, estranhamento, houve uma empresa que ficou de fora. Falamos da Boeing, que esteve nos testes iniciais com a sua proposta e que seria uma das empresas quase óbvias.

Proposta da SpaceX

Os planos da NASA para o projecto Artemis

Conforme as ambições da nação, a criação destes módulos de alunagem é essencial para o sucesso destas missões da NASA, que vão levar a primeira mulher à Lua, acompanhada de outro astronauta. Este é um regresso importante dos EUA ao satélite natural da Terra.

Mesmo sendo uma proposta que vai contra os planos iniciais, esta deverá mesmo ser uma realidade em 2024. A ideia definida passava pela criação de uma estação lunar a orbitar o satélite natural da Terra.

Proposta da Blue Origin

SpaceX, Blue Origin e Dynetics são as escolhidas

A proposta da SpaceX assenta na sua nave Starship, que está a ser desenvolvida há alguns anos. O seu desenho está criado para permitir que alune com suporte do seu motor e que desça os astronautas por um elevador.

No caso da Blue Origin, a sua proposta é o Integrated Lander Vehicle (ILV), que é baseado no Blue Moon, que a empresa apresentou no ano passado. A construção ficará a cargo de várias empresas distintas.

Proposta da Dynetics

Dento de 1 ano será feita a escolha pela NASA

Por fim, a Dynetics tem como proposta o Dynetics Human Landing System. Fabricado por várias empresas, destaca-se pelos seus 2 painéis solares. As 2 últimas propostas vão ser colocadas na Lua pelo Space Launch System (SLS), que está a ser desenvolvido pela NASA e por um grupo de empresas, liderada pela Boeing.

Estas 3 empresas vão agora receber 967 milhões de dólares, divididos entre si. Assim, este dinheiro será usado para melhorar o design das suas propostas. Segundo as regras, estas propostas serão avaliadas dentro de 1 ano e vão dar origem à escolha final que será a base das missões Artemis.

Fonte: NASA
pplware
03 Mai 2020

 

spacenews

 

3628: Cientistas capturam imagem de buraco negro a cuspir jactos de plasma

CIÊNCIA/ASTRONOMIA

(dr) Boston University Blazar Program

Astrónomos norte-americanos publicaram imagens em alta resolução de um buraco negro super-massivo a emitir jactos de plasma.

Com a ajuda do projecto Event Horizon Telescope (EHT), cientistas da Universidade College London, no Reino Unido, observaram o jacto de plasma criado por um buraco negro super-massivo com uma precisão jamais conseguida. Com esta informação, os astrónomos vão ter mais material para profundar os seus estudos acerca destes fenómenos ainda tão misteriosos.

Este tipo de buracos negros ficam no centro de galáxias e consomem elevadas quantidades de energia e de matéria, podendo disparar plasma dos seus pólos magnéticos à velocidade da luz. Apesar de a reacção acontecer num abrir e fechar de olhos, os astrónomos conseguiram captar este exacto momento.

Event Horizon ‘Scope @ehtelescope

With the one-year anniversary of #EHTblackhole around the corner, the Event Horizon Telescope Collaboration has some interesting new results to share! Something is lurking in the heart of quasar 3C 279… Check what it is on our official website: https://eventhorizontelescope.org/blog/something-is-lurking-in-the-heart-of-quasar-3c-279 

O plasma foi expelido em direcção à Terra, o que permitiu aos cientistas observá-lo num ângulo vantajoso. Além disso, a câmara utilizada capturou este fenómeno com luz infravermelha, permitindo aos cientistas apurar o quão quente a matéria consegue ser.

Os investigadores adiantam que o plasma faz parte de uma estrutura conhecida como blazar, uma fonte de energia muito compacta associada a um buraco negro super-massivo do centro de uma galáxia activa e considerado um dos fenómenos mais violentos do universo.

Massimo @Rainmaker1973

The Event Horizon Telescope captured the first picture of a black hole back in 2019. Now it has produced observations of the motion of relativistic jet emanating from a galaxy in the Virgo constellation known as quasar 3C 279, over the course of one week https://buff.ly/2URQzXi 

De acordo com a equipa, o buraco negro canalizou toda a energia do seu disco de acreção e disparou o jacto a uma impressionante velocidade de cerca de 0,995 vezes a velocidade da luz.

Ziri Younsi, co-autor do artigo científico publicado no Astronomy & Astrophysics,o ângulo do blazar é “muito estranho“, o que pode indicar uma torção na base do jacto. No entanto, tudo isto ainda não passa de um mistério que precisa de ser desvendado, quem sabe se na próxima captura.

ZAP //

Por ZAP
3 Maio, 2020

 

spacenews