3427: A 500 milhões de anos luz há algo que emite sinais de rádio regulares

CIÊNCIA/ASTRONOMIA

A descoberta foi feita por uma equipa canadiana de astrónomos. Vão-se dando passos significativos no estudo dos “Fast Radio Bursts”.

© M. KORNMESSER/European Southern Observatory/AFP

Uma fonte de rádio misteriosa localizada numa galáxia a 500 milhões de anos-luz da Terra está a pulsar com um ciclo de 16 dias, como um relógio, de acordo com um novo estudo revelado pela Vice. Isto marca a primeira vez que os cientistas detectam periodicidade nesses sinais, conhecidos como FRBs (Fast Radio Bursts, algo que pode ser traduzido livremente por Explosões Rápidas de Rádio), e é um passo importante para perceber as suas origens.

Os FRBs são um dos quebra-cabeças mais tentadores que o universo lançou aos cientistas nos últimos anos. Detectados pela primeira vez em 2007, essas poderosas explosões de rádio são produzidas por fontes energéticas – embora ninguém saiba ao certo quais podem ser. Os FRBs também são intrigantes porque tanto podem ser pontuais como repetitivos, o que significa que algumas explosões aparecem apenas uma vez numa determinada parte do céu enquanto outras emitem vários flashes para a Terra.

Até agora, os sinais dessas repetidas explosões pareciam um tanto aleatórios e discordantes no tempo. Mas isso mudou no ano passado, quando um grupo canadiano que se tem dedicado a observar e estudar FRB descobriu que um repetidor chamado FRB 180916.J0158 + 65 tinha uma cadência regular.

A equipa CHIME/FRB (sigla de Canadian Hydrogen Intensity Mapping Experiment Fast Radio Burst Project) acompanhou a repetição entre Setembro de 2018 e Outubro de 2019 usando o radiotelescópio CHIME, localizado na Colúmbia Britânica. Durante esse período, as explosões foram agrupadas num período de quatro dias e pareciam desligar-se pelos doze dias seguintes, por um ciclo total de cerca de 16 dias.

Alguns ciclos não produziram explosões visíveis, mas todos os que foram sincronizados foram-no nos mesmos intervalos de 16 dias. “Concluímos que esta é a primeira periodicidade detectada de qualquer tipo numa fonte FRB”, disse a equipa, num artigo publicado no final de janeiro. “A descoberta de uma periodicidade de 16,35 dias numa FRB repetida é uma pista importante para a natureza desse objecto.”

Recentemente, os cientistas rastrearam esse FRB especifico numa galáxia chamada SDSS J015800.28 + 654253.0, que fica a 500 milhões de anos-luz da Terra. Pode parecer uma grande distância mas o FRB 180916.J0158 + 65 é realmente o FRB mais próximo já detectado. Só que, sabendo-se onde este FRB está, não se sabe exactamente o que é e como é gerado.

A equipa da CHIME/FRB espera encontrar padrões semelhantes no punhado de explosões repetidas já conhecidas para ver se esses ciclos são comuns. Os pesquisadores também planeiam manter um olhar atento ao FRB 180916.J0158 + 6 enquanto estiver activo, a fim de detectar outros detalhes que possam apontar para a sua identidade.

Os FRBs confundem os cientistas há mais de uma década. Contudo, novos projectos como o CHIME/FRB vão revelando todos os anos novos detalhes sobre o fenómeno. Embora ainda não se saiba o que emite esses sinais bizarros, a descoberta de um FRB com um ritmo claro fornece uma vantagem significativa para os cientistas seguirem.

Diário de Notícias

DN
08 Fevereiro 2020 — 22:36

spacenews