799: Descoberto um enorme lago de água líquida salgada em Marte

ESA / DLR / FU BERLIN
O Polo Sul de Marte esconde um gigantesco lago de água salgada

Marte “esconde” um vasto lago de água salgada sob uma camada de gelo no seu Polo Sul. Investigadores italianos anunciaram que pela primeira vez têm provas da presença de água liquida no Planeta Vermelho.

Sinais recolhidos durante três anos pelo radar da sonda europeia Mars Express indiciam a presença de um lago em Marte muito semelhante aos grandes lagos de água líquida encontrados debaixo do gelo da Antárctida e da Gronelândia, aponta um novo estudo publicado esta quarta-feira na revista Science.

“Foram anos de debate e investigação, ficamos anos a discutir se isso era mesmo possível. Mas agora podemos dizer: descobrimos água em Marte“, disse o astrónomo Roberto Orosei, investigador da Universidade de Bolonha e autor principal do estudo.

De acordo com a equipa de cientistas que conduziu a investigação, o lago marciano terá cerca de 20 quilómetros de largura e estará a 1,5 quilómetros da superfície, não sendo ainda possível calcular o volume total da água.

“Esta descoberta traz novas possibilidades para a busca de micro-organismos no ambiente marciano”, disse Elena Pettinelli, investigadora da Universidade de Roma, citada pelo jornal espanhol La Vangardia.

Actualmente, Marte é um planeta frio, deserto e árido, mas no passado, há pelo menos 3,6 mil milhões de anos, foi quente e húmido e tinha água líquida e lagos.

Os investigadores não descartam a possibilidade de ser encontrado um “depósito biológico”, uma vez que algumas bactérias podem sobreviver a baixas temperaturas e graças a substâncias salinas.

A procura de vestígios de água líquida em Marte tem sido uma meta incessante da comunidade científica, pois a água neste estado é uma condição essencial para a existência de vida tal como se conhece.

Em 2007, a sonda Mars Express já tinha confirmado a existência de água em Marte, perto do Polo Sul. Mais recentemente, em 2015, um estudo publicado na revista Nature Geoscience concluiu que as linhas escuras que aparecem sazonalmente na superfície de Marte correspondem a água líquida salobra que flui pelas encostas do planeta.

A conclusão suporta-se na análise de imagens recolhidas pela sonda norte-americana Mars Reconnaissance Orbiter.

Apesar de inóspito, Marte é considerado o planeta do Sistema Solar mais parecido com a Terra. Estruturas geológicas demonstram que, há muito tempo, água líquida abundava na superfície do ‘planeta vermelho’. Num passado remoto, advogam os cientistas, o planeta teve um oceano maior do que o Árctico.

ZAP // Lusa / BBC

Por ZAP
25 Julho, 2018

[vasaioqrcode]

[SlideDeck2 id=1476]

[powr-hit-counter id=a23b014e_1532556549055]

See also Blog

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *