219: Protecção Civil avisa população para se prevenir contra o mau tempo

 

🇵🇹 🌦️ METEOROLOGIA // ⛈️ MAU TEMPO //
ANEPC 🌩️🌨️

Em causa a chuva, vento forte e agitação marítima previstos para os próximos dias.

A Autoridade Nacional de Emergência e Protecção Civil (ANEPC) avisou esta sexta-feira a população para adoptar medidas preventivas face ao esperado agravamento do estado do tempo, com chuva, vento forte e agitação marítima previstos para os próximos dias.

A Protecção Civil alerta, em comunicado, que podem ocorrer inundações em zonas urbanas, cheias devido ao transbordo de rios e ribeiras, deslizamentos de terras, contaminação de fontes de água potável ou arrastamento de objectos soltos e estruturas móveis para as estradas, aumentando dessa forma os riscos de acidentes de viação e recomenda que sejam desobstruídos os sistemas de escoamento e fixadas correctamente estruturas soltas ou suspensas.

As recomendações incluem ainda cuidado na circulação junto a áreas arborizadas ou perto do mar, não praticar actividades marítimas, reduzir a velocidade na condução nas estradas e não atravessar zonas que registem inundações.

“A Autoridade Nacional de Emergência e Protecção Civil (ANEPC) recorda que o eventual impacto destes efeitos pode ser minimizado, sobretudo através da adopção de comportamentos adequados”, refere o comunicado.

Na mesma nota, a Protecção Civil indicou as previsões do Instituto Português do Mar e da Atmosfera para os próximos dias, que antecipa “períodos de chuva ou aguaceiros, por vezes fortes, acompanhados de trovoada e ocasionalmente de granizo” em todo o continente (em especial no Norte e no Centro), ventos de 55 quilómetros por hora e rajadas até 90 quilómetros por hora, e agitação marítima com ondas até quatro metros de altura no domingo no litoral Norte e Centro.

DN/Lusa
15 Setembro 2023 — 17:50


Ex-Combatente da Guerra do Ultramar, Web-designer,
Investigator, Astronomer and Digital Content Creator



published in: 2 semanas ago

Loading

199: Chuva forte, granizo e trovoada. Sete distritos sob aviso laranja

 

🇵🇹 METEOROLOGIA // 🌧️ CHUVA // emoji 🌨️ cloud with snow svg png GRANIZO // TROVOADA ⛈️

Durante o dia de sábado, vários locais do norte do país sofreram com as condições climáticas, incluindo a Serra da Estrela que ficou coberta de granizo no verão.

© Facebook

Sete distritos de Portugal continental estão sob aviso laranja, o segundo mais grave de uma escala de três, devido à previsão de chuva forte, granizo e trovoada, de acordo com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera.

O aviso laranja para Santarém, Setúbal, Lisboa, Leiria, Castelo Branco, Coimbra e Portalegre vigora entre as 09:00 e as 21:00 deste domingo devido à previsão de aguaceiros, por vezes fortes, e ocasionalmente de granizo, acompanhados de rajadas fortes, além de trovoada, frequente e dispersa.

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) emitiu ainda aviso amarelo para 11 outros distritos portugueses igualmente devido à previsão de aguaceiros fortes e trovoada.

Bragança, Viseu, Évora, Porto, Guarda, Faro, Vila Real, Viana do Castelo, Beja, Aveiro e Braga vão estar sob aviso amarelo entre as 09:00 e as 21:00 na sua grande maioria, terminando pelas 18:00 nos distritos de Beja, Faro e Évora.

O aviso laranja indica situação meteorológica de risco moderado a elevado e o amarelo é emitido sempre que existe uma situação de risco para determinadas actividades dependentes da situação meteorológica.

Em pleno verão, a Serra da Estrela ficou este sábado coberta de branco, devido à tempestade de granizo que começou às 14h00.

Prevendo a situação, a Protecção Civil apelou no sábado à população para que tomasse medidas preventivas face à mudança do estado do tempo, do interior para o litoral, com previsão de precipitação, por vezes forte, acompanhada de granizo, trovoada e rajadas.

Em comunicado, a Autoridade Nacional de Emergência e Protecção Civil (ANPC) recordou que os episódios típicos das estações de transição, com as primeiras chuvas, são propícios à “ocorrência de inundações urbanas, causadas por acumulação de águas pluviais por obstrução dos sistemas de escoamento”.

Além disso, segundo a autoridade, é possível a “ocorrência de cheias, potenciadas pelo transbordo do leito de alguns cursos de água, rios e ribeiras”, além de deslizamentos e derrocadas “motivados pela infiltração da água, fenómeno que pode ser potenciado pela remoção do coberto vegetal na sequência de incêndios rurais, ou por artificialização do solo”.

A Protecção Civil recordou que estes possíveis efeitos podem ser minimizados, sobretudo através da adopção de comportamentos adequados, pelo que recomenda, em particular nas zonas historicamente mais vulneráveis, a adopção das principais medidas preventivas.

Também deve evitar-se a circulação e permanência junto da orla costeira e zonas ribeirinhas “historicamente mais vulneráveis a galgamentos costeiros”.

A autoridade apelou também para que não sejam praticadas actividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando ainda o estacionamento de veículos muito próximo da orla marítima.

A Protecção Civil apelou ainda à adopção de uma condução defensiva, com redução de velocidade e ao não atravessamento de zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas.

DN/Lusa
03 Setembro 2023 — 09:46


Ex-Combatente da Guerra do Ultramar, Web-designer,
Investigator, Astronomer and Digital Content Creator



published in: 3 semanas ago

Loading

196: Possibilidade de cheias. Protecção Civil apela a medidas preventivas face à mudança do estado do tempo

 

🇵🇹 PORTUGAL // 🌡️ METEOROLOGIA // 🌧️ CHEIAS

A Autoridade Nacional de Emergência e Protecção Civil afirma que é possível a “ocorrência de cheias, potenciadas pelo transbordo do leito de alguns cursos de água, rios e ribeiras”.

© Reinaldo Rodrigues/Global Imagens

A Protecção Civil apelou este sábado à população para que tome medidas preventivas face à mudança do estado do tempo, do interior para o litoral, com previsão de precipitação, por vezes forte, acompanhada de granizo, trovoada e rajadas.

Em comunicado, a Autoridade Nacional de Emergência e Protecção Civil (ANPC) adianta que, segundo a informação do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), é “expectável a partir da tarde deste sábado, 2 de Setembro, uma mudança gradual das condições meteorológicas, com a ocorrência de precipitação, por vezes forte, acompanhada de granizo, trovoada e rajadas convectivas, em especial nos dias 2 e 3”.

De acordo com a ANPC, os episódios típicos das estações de transição, com as primeiras chuvas, são propícios à “ocorrência de inundações urbanas, causadas por acumulação de águas pluviais por obstrução dos sistemas de escoamento”.

Além disso, segundo a autoridade, é possível a “ocorrência de cheias, potenciadas pelo transbordo do leito de alguns cursos de água, rios e ribeiras”, além de deslizamentos e derrocadas “motivados pela infiltração da água, fenómeno que pode ser potenciado pela remoção do coberto vegetal na sequência de incêndios rurais, ou por artificialização do solo”.

A Protecção Civil recorda que o estes possíveis efeitos podem ser minimizados, sobretudo através da adopção de comportamentos adequados, pelo que, e em particular nas zonas historicamente mais vulneráveis, se recomenda a adopção das principais medidas preventivas.

Desta forma, a autoridade apela a que se garanta a “desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objectos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas”.

A ANPC apela ainda a que se tenha “especial cuidado” na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, com atenção para a possibilidade de queda de ramos e árvores, em virtude de vento mais forte.

Também a circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas “historicamente mais vulneráveis a galgamentos costeiros” deve ser tida em conta, evitando a circulação e permanência nestes locais.

A autoridade apela também que não sejam praticadas actividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando ainda o estacionamento de veículos muito próximos da orla marítima.

A Protecção Civil apela ainda à adopção de uma condução defensiva, com redução de velocidade e ao não atravessamento de zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas.

O IPMA colocou este sábado dez distritos de Portugal continental sob aviso Amarelo devido à previsão de aguaceiros fortes e trovoadas.

DN/Lusa
02 Setembro 2023 — 14:43


Ex-Combatente da Guerra do Ultramar, Web-designer,
Investigator, Astronomer and Digital Content Creator



published in: 3 semanas ago

Loading