824: Testes rápidos feitos nas farmácias dão acesso a certificado digital

SAÚDE/COVID-19/FARMÁCIAS/TESTES/CERTIFICADO DIGITAL

ell brown / Flickr

De acordo com o Ministério da Saúde, caso a modalidade escolhida seja o certificado de testagem, e através de um teste rápido de antigénio, os testes feitos nas farmácias permitem a emissão do documento, desde que os resultados sejam comunicados ao SINAVE e mediante o “respectivo relatório laboratorial”.

Numa altura em que o certificado digital covid está prestes a entrar em vigor em Portugal, o gabinete de Marta Temido explica ao ECO que os testes feitos nas farmácias também são válidos para adquirir o comprovativo, mas têm de ser “testes rápidos de antigénio, com emissão de relatório e respectiva comunicação ao SINAVE Lab”.

O ministério explica que são considerados válidos os testes “que dão origem a um relatório laboratorial”.

Ou seja, para efeitos de pedido de emissão do certificado digital apenas são considerados os testes PCR (com validade de 72 horas) e os testes rápidos de antigénio (neste caso a validade é encurtada para 48 horas), estando, portanto, excluídos os auto-testes vendidos nas farmácias e para-farmácias, tal como tinha sido referido pela ministra da Presidência, após o Conselho de Ministros de quinta-feira.

O certificado digital Covid atesta o estado de imunização do seu portador com base em três critérios: se foi vacinado contra o novo coronavírus, se desenvolveu anticorpos contra o Sars-CoV-2, por ter sido infectado ou se fez, recentemente, um teste negativo à covid-19 (os testes PCR têm uma validade de 72 horas, ao passo que nos testes rápidos a validade é encurtada para 48 horas).

O documento pode ser obtido no portal do SNS 24, através de aplicação móvel ou enviado ao titular para o endereço de correio electrónico registado no Registo Nacional de Utente ou no Registo de Saúde Electrónico.

ZAP //

Por ZAP
28 Junho, 2021

 

© ® inforgom.pt e apokalypsus.com são domínios registados por F. Gomes

 

792: Câmara de Lisboa oferece testes ilimitados a todos os cidadãos

 

SAÚDE/COVID-19/TESTES ILIMITADOS EM LISBOA

O plano municipal de testagem à covid-19 “deixou de estar limitado a dois testes mensais por morador na cidade de Lisboa, passando a oferecer um número de testes ilimitados, independentemente de ser ou não residente” na capital.

© André Luís Alves / Global Imagens

Os testes gratuitos à covid-19 nas farmácias de Lisboa vão ser ilimitados e disponíveis a todos os cidadãos, inclusive não residentes na cidade, no âmbito do plano municipal de testagem, anunciou esta segunda-feira a Câmara lisboeta

Segundo a autarquia, o plano municipal de testagem à covid-19 “deixou de estar limitado a dois testes mensais por morador na cidade de Lisboa, passando a oferecer um número de testes ilimitados, independentemente de ser ou não residente” na capital.

Através do plano municipal de testagem à covid-19, o número de testes efectuados nas farmácias e postos móveis organizados pela Câmara Municipal e pela Cruz Vermelha “mais do que duplicou na última semana, passando de uma média diária de 1.000 testes para mais de 3.500 testes/dia, nos dias 17 e 18 de Junho”.

“Desde o dia 31 de Março, quando o programa começou, já foram realizados nas farmácias mais de 60 mil testes gratuitos a moradores de Lisboa”, informou a Câmara Municipal em comunicado.

No último mês, foram efectuados 31 teste a trabalhadores do comércio e restauração

Neste âmbito, a rede de pontos móveis de testagem, que está agora presente em 17 locais, vai ser reforçada a partir desta semana, assim como a regularidade nos pontos de maior procura.

De acordo com a autarquia, as equipas dos serviços de protecção civil municipal de Lisboa vão estar presentes a partir desta segunda-feira nas principais artérias comerciais, para “sensibilizar, porta a porta, o comércio local e restauração para a necessidade de testar os seus funcionários”.

“No último mês apenas foram efectuados 31 testes ao abrigo do programa de testes gratuitos que a Câmara de Lisboa disponibilizou para os trabalhadores do comércio e restauração”, referiu o município.

Lisboa e Vale do Tejo é a região com o maior número de novos casos

O processo de testagem massiva e gratuita em Lisboa teve início em 31 de Março, mas, a partir de 15 de Abril, a Câmara Municipal decidiu alargar a testagem nas farmácias à covid-19 a todos os moradores, deixando o programa de estar limitado às freguesias com maior incidência da doença, nomeadamente com mais de 120 casos por 100 mil habitantes.

Na altura, a autarquia salientou que “o alargamento do número de testes, efectuados de forma massiva e universal na cidade, é uma medida central de prevenção da propagação do vírus e na promoção da saúde pública”.

A região de Lisboa e Vale do Tejo tem registado os maiores números de infecção por covid-19. No domingo, registou 641 dos 941 novos casos.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.862.364 mortos no mundo, resultantes de mais de 178,1 milhões de casos de infecção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram mais de 17 mil pessoas e foram confirmados mais de 865 mil casos de infecção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direcção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, detectado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Diário de Notícias
DN/Lusa
21 Junho 2021 — 12:40

 

© ® inforgom.pt e apokalypsus.com são domínios registados por F. Gomes