1498: Cientistas desenvolvem spray nasal para tratar e prevenir o Alzheimer

SAÚDE PÚBLICA/ALZHEIMER

wuestenigel / Flickr

Uma equipa de investigadores está a desenvolver um spray nasal que previne e cura a demência e a doença de Alzheimer em ratos. Os cientistas acreditam que funcionará da mesma forma em humanos.

Recentemente, uma equipa de cientistas japoneses criou um spray nasal que pode conter a chave para prevenir o desenvolvimento da doença de Alzheimer e da demência neuro-degenerativa.

O composto é constituído por rifampicina, um antibiótico genérico de baixo custo, e um suplemento dietético igualmente barato e comprovado, chamado resveratrol.

Segundo o El Confidencial, os investigadores já sabiam que a rifampicina tinha propriedades benéficas para travar a progressão da demência devido à acumulação de oligómeros amilóides, toxinas cerebrais associadas a doenças como o Alzheimer.

Experiências realizadas em laboratório mostraram que este antibiótico é capaz de parar a progressão destas doenças, se aplicado cedo. O senão é que a rifampicina afecta gravemente o fígado, tornando impossível a sua utilização contínua.

Em 2018, a equipa da Universidade Metropolitana de Osaka descobriu uma forma de contrariar este efeito tóxico: alterar o método de administração do medicamento. Em vez de utilizarem a via oral, mudaram para um spray nasal e os resultados foram promissores.

Além de conseguirem reduzir o efeito negativo no fígado, os cientistas também aumentaram o efeito positivo, elevando o nível do composto no cérebro, o que resultou numa melhoria cognitiva mais acentuada.

Para ajudar a contrariar os efeitos nocivos, os cientistas decidiram experimentar o suplemento dietético resveratrol, um polifenol natural.

De acordo com o artigo científico, publicado na Frontiers of Neuroscience, os níveis de enzimas hepáticas permaneceram estáveis durante os testes em animais.

Mas as boas notícias não ficam por aqui: a sinergia dos dois elementos “aumentou os níveis do fator neurotrófico derivado do cérebro (BDNF) e o seu precursor (pró-BDNF), no hipocampo” – isto é, o resveratrol aumentou o efeito benéfico da rifampicina, tornando-a ainda mais eficaz.

Em breve, o spray nasal será testado em ensaios clínicos com humanos.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que existam em todo o mundo 47.5 milhões de pessoas com demência, número que pode atingir os 75.6 milhões em 2030 e quase triplicar em 2050, para os 135.5 milhões.

  ZAP //
ZAP
12 Janeiro, 2022

© ® inforgom.pt e apokalypsus.com são domínios registados por F. Gomes

 

1442: Spray nasal que pode prevenir a transmissão da covid-19 começa a ser testado na Austrália

Devido ao nulo feedback e à quebra de visitas a este Blogue, será desactivado a partir de 31.12.2021.

Due to null feedback and broken visits to this Blog, it will be deactivated from 12.31.2021.

 

SAÚDE PÚBLICA/PANDEMIA/COVID-19/SPRAY NASAL

O spray deve ser eficaz contra todas as variantes. Caso seja aprovado, a sua distribuição deve ser fácil, já que se baseia num anticoagulante que já é usado no tratamento de ataques cardíacos.

Está a prestes a avançar um teste clínico inovador na Austrália a um medicamento anticoagulante comum que se acredita que pode vir a ser usado para o tratamento da covid-19. Administrado através de um spray nasal, os investigadores acreditam que o remédio pode impedir que o vírus infecte as células no nariz, escreve o New Atlas.

O teste baseia-se na hipótese que aponta que a infecção inicial pelo vírus acontece no nariz, através de uma molécula chamada sulfato do heparan. O aumento da proteína causado pelo vírus liga-se ao sulfato do heparan, o que aumenta a sua capacidade de infectar células humanas.

A heparina é um anti-coagulante muito usado que foi descoberto inicialmente há mais de um século. Desde então, tem sido usado para tratar ataques cardíacos e coágulos sanguíneos e é tão semelhante ao sulfato do heparan, que há hipóteses que apontam para que possa neutralizar as partículas do coronavírus quando é administrado directamente às células do nariz.

Os ensaios clínicos vão começar no estado australiano de Vitória e o plano é distribuir o medicamento em 400 casas num prazo de 24 horas depois de haver um caso confirmado, com os participantes a usar dois sprays três vezes por dia. Espera-se que seja eficaz contra todas as variantes.

O objectivo é saber se o spray previne o contágio em contactos próximos com casos confirmados, mas os casos activos também vão receber o medicamento para se averiguar se há uma redução na infecciosidade. O spray também não deve afinar o resto do sangue, visto que não entra na corrente sanguínea quando usado no nariz.

O ensaio deve durar seis meses. Caso se prove que é eficaz, não deve demorar muito até que o seu uso seja generalizado, visto que o medicamento já é usado em humanos, não exige refrigeração e pode ser facilmente distribuído em frascos de plástico. Mesmo assim, o tratamento não é uma alternativa à vacinação, sendo apenas mais uma ferramenta para evitar a transmissão e proteger os grupos de risco.

  ZAP //

ZAP
29 Dezembro, 2021

© ® inforgom.pt e apokalypsus.com são domínios registados por F. Gomes

 

500: Spray nasal com anticorpos de galinhas pode ser a próxima arma contra a covid-19

 

SAÚDE/COVID-19/MEDICAMENTOS

(CC0/PD) Alexas Fotos / Pexels

Foram iniciadas investigações sobre o uso de um spray nasal para proteger temporariamente a população do SARS-CoV-2, o vírus que causa a covid-19, em situações de alto risco. O produto usa anticorpos retirados de galinhas.

A ideia é que as pessoas possam aplicar um spray rápido no nariz antes de entrar no hospital, por exemplo, e revestir a cavidade nasal com anticorpos protectores. Enquanto permanecerem neste ambiente de risco, serão brevemente protegidas da covid-19.

Num ensaio clínico de fase I, cientistas da Universidade de Stanford e da Pesquisa Clínica Linear de Perth estão a investigar um spray nasal protector que usa anticorpos retirados de gemas de ovo de galinhas.

Conforme detalhado no site SPARK at Stanford, as galinhas são infectadas com a proteína spike do SAR-CoV-2, causando uma enorme resposta imune e a produção de anticorpos específicos para galinhas, conhecidos como imunoglobulina Y (IgY). Estes anticorpos devem chegar aos ovos, que os investigadores depois irão colher e integrar ao spray nasal.

Em teoria, os anticorpos deveriam bloquear a proteína spike do vírus e evitar que o patógeno invada as células.

“O agente de imunidade que estamos a testar não é uma vacina tradicional, que actua de modo a estimular o sistema imunológico de uma pessoa a reconhecer e combater permanentemente um vírus. Em vez disso, as gotas nasais fornecem protecção ao capturar e neutralizar o coronavírus que causa a covid-19 antes deste entrar no corpo”, explica Daria Mochly-Rosen, fundadora do SPARK, num comunicado.

Para testar a eficácia desse método, o spray nasal com anti-corpos de galinhas está a ser testado em 48 pessoas na Austrália. A conclusão do teste está prevista para Dezembro de 2020 e, se tudo correr bem, o tratamento pode estar disponível já no início do próximo ano.

O spray nasal protegeria apenas temporariamente contra o vírus e ainda não se sabe por quanto tempo a protecção pode durar, por isso esta só poderá ser uma solução a curto prazo.

No entanto, os investigadores estão optimistas de que podem fornecer uma maneira fácil de manter as pessoas mais ​​seguras durante a pandemia de covid-19 até que uma vacina seja desenvolvida.

As gotas nasais não irão substituir as vacinas e medidas como o uso de máscaras, distanciamento social e lavagem das mãos”, disse Mochly-Rosen. “Contudo, podem desempenhar um papel vital em manter as pessoas seguras enquanto a comunidade médica procura opções para acabar com a pandemia”, destaca.

Segundo o IFLScience, a equipa estima que o custo de uma dose dos anticorpos derivados de galinha seja apenas de 1 dólar (cerca de 84 cêntimos).

ZAP //

Por ZAP
15 Novembro, 2020