1138: Smartphone pode ser usado como alternativa ao estetoscópio

CIÊNCIA/SMARTPHONES/MEDICINA/TECNOLOGIA/SAÚDE

Investigadores da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP) concluíram que o ‘smartphone’ pode ser usado como alternativa ao estetoscópio tradicional, ao ser capaz de gravar os sons pulmonares com qualidade e de capturar os sons anormais.

Em comunicado, a FMUP revela hoje que o estudo, também desenvolvido por investigadores do CINTESIS – Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde, “testou com sucesso a eficácia da utilização dos microfones incorporados nos ‘smartphones’ para a auscultação pulmonar de doentes”.

A investigação, publicada na revista científica Sensors, mostrou que o ‘smartphone’ pode ser usado como alternativa ao estetoscópio tradicional, uma vez que é “capaz de gravar os sons pulmonares com qualidade e de capturar os sons anormais”, designados ruídos adventícios.

No estudo participaram mais de 130 doentes, maioritariamente com patologias respiratórias, seguidos num hospital português.

Numa primeira fase da investigação, os médicos realizaram a auscultação pulmonar com estetoscópios tradicionais em quatro locais e documentaram os sons adventícios registados, tendo, de seguida, feito a auscultação com recurso a um ‘smartphone’, que foi gravada duas vezes nos mesmos quatro locais.

“A utilização do ‘smartphone’ para a auscultação pulmonar poderá contribuir para detectar precocemente os períodos em que o estado do doente se agrava”, afirma a FMUP, acrescentando que tal permitirá implementar “intervenções oportunas”.

Numa época em que o número de consultas realizadas à distância tem aumentado, esta solução é, segundo os autores do estudo, “muito interessante para a implementação dos serviços de tele-medicina na monitorização de doenças respiratórias”, como a asma e fibrose quística.

Nesse sentido, os investigadores desenvolveram uma aplicação, intitulada AIRDOC, para apoiar a monitorização remota dos sons pulmonares nos doentes com doenças respiratórias crónica.

Citada no comunicado, Inês Azevedo, pediatra e professora na FMUP, afirma que a auscultação pulmonar “é essencial na monitorização deste tipo de patologias”.

“Acreditamos que pode ser uma tecnologia promissora, tanto para o contexto clínico como para a futura implementação da tele-medicina e das consultas remotas, e até mesmo para melhorar a monitorização realizada pelos próprios doentes”, afirma a coordenadora do estudo.

Também citada no comunicado, Cristina Jácome, investigadora da FMUP e do CINTESIS, explica que esta consiste no registo dos “sons pulmonares com um ‘smartdevice’ que depois podem ser classificados por clínicos ou analisados automaticamente com base nas características especificas do sinal”.

ZAP //  Lusa

© ® inforgom.pt e apokalypsus.com são domínios registados por F. Gomes

 

306: SNS vai ter consultas com imagem através de telemóvel

© Fornecido por RTP – Rádio e Televisão de Portugal, S.A.

O Serviço Nacional de Saúde vai disponibilizar, ainda este ano, consultas através de uma chamada com imagem no telemóvel. Os Serviços Partilhados do Ministério vão testar a aplicação já este semestre. A ideia é que seja possível realizar uma consulta, com o seu médico, utilizando para isso o telemóvel e uma chamada com imagem.

Um projecto-piloto que vai funcionar através de uma aplicação móvel, integrada na App “Mysnscarteira” que está disponível desde Janeiro de 2017 e que conta já com 330 mil pessoas.

Através de um smartphone, os utentes poderão ter, à distância, uma consulta com o médico de família ou um médico de especialidade. As consultas vão ser essencialmente úteis a doentes crónicos, mas dependem sempre da vontade do médico.

Uma solução de “tele-medicina que permite ligar a App do cidadão à App do médico”, disse ao Jornal de Notícias Henrique Martins, presidente do Consleho de Administração dos Serviços Partilhados do Ministério de Saúde.

Apesar de, à partida, a inovação estar centrada no Serviço Nacional de Saúde, a mesma vai poder ser utilizada por qualquer médico do privado, adiantou ao jornal este responsável.

msn lifestyle
RTP
19/03/2019

[vasaioqrcode]

 

199: Uma aplicação para fazer um exame à retina com o telemóvel

dn27112014Criadores do Peek lançaram campanha de “crowdfunding” para distribuir kit por clínicas de todo o mundo.

Os criadores do Peek, um sistema capaz de transformar um telemóvel num aparelho para fazer exames oftalmológicos, lançaram uma campanha de angariação de fundos para distribuir o kit por clínicas de todo o mundo.

O Peek (de Portable Eye Examination Kit, ou seja, um kit portátil de exame aos olhos) é composto por um adaptador e uma aplicação (app), que permitem conseguir imagens de boa qualidade do olho e da retina com um telemóvel inteligente. E, desta forma, ajudar os profissionais no terreno a diagnosticar cataratas, glaucoma e outras doenças dos olhos, com a ajuda de especialistas a quem podem enviar as imagens – sobretudo, nos locais onde não há acesso aos aparelhos necessários para fazer este diagnóstico.

Pensado por uma equipa de oftalmologistas, engenheiros informáticos e empresário, o Peek pode chegar a clínicas espalhadas por todo o mundo, através de uma parceria com os Médicos Sem Fronteiras. A campanha de crowdfunding, lançada na segunda-feira na página da Indiegogo, já conseguiu 24 mil libras, mas o objectivo é chegar às 70 mil.

“Com o Peek esperamos aumentar o acesso a cuidados oftalmológicos a milhões de pessoas que cegam sem necessidade”, explica Andrew Bastawrous, oftalmologista do International Centre for Eye Health em Londres.

In Diário de Notícias online
por Dn.pt
27/11/2014

[vasaioqrcode]

122: Inovação: Monitorizar doença de Parkinson à distância de um smartphone

O centro de investigação Fraunhofer Portugal AICOS está a participar num projecto europeu que pretende desenvolver um sistema de monitorização remota do estado de saúde de doentes com Parkinson, através de um conjunto de sensores ligados a um smartphone.

nm05092013

O sistema de monitorização REMPARTK pretende tornar possível o acompanhamento remoto do estado de saúde de doentes com Parkinson, dotando o paciente da capacidade de avaliar e detectar, em tempo real, estados motores de On/Off ou de Discinésia (movimentos involuntários).

O principal canal de comunicação entre o utilizador e o sistema é um smartphone que tem vários serviços como a gestão de medicamentos e lembranças para tomar medicação, ou questionários médicos, indica o site B!T.

O sistema completo será testado com 60 pacientes de quatro centros médicos.

Refira-se que este novo projecto se propõe reduzir o tempo de hospitalização dos doentes, introduzir melhorias no tratamento da doença, a detecção precisa do estado motor do paciente e o reforço do conhecimento médico sobre a doença.

In Notícias ao Minuto
12:02 – 05 de Setembro de 2013 | Por Notícias Ao Minuto