1517: A pandemia está a chegar ao fim (e Bill Gates já sabe quando)

SOCIEDADE/AS PROFECIAS DE BILL GATES/PANDEMIA

Thomas Hawk / Flickr
O bilionário Bill Gates, fundador da Microsoft

Bill Gates não tem sido parco em dar a sua opinião acerca da pandemia de covid-19 que há quase dois anos assola o planeta, e apresentou mais uma vez a sua estimativa para o fim do surto pandémico.

O bilionário fundador da Microsoft, Bill Gates, considera que a pandemia de covid-19 está a chegar ao fim, e que a doença poderá brevemente ser tratada como uma gripe sazonal.

Gates partilhou as suas opiniões acerca da evolução da pandemia, da propagação da variante Ómicron e dos esforços de vacinação numa “excitante” conversa no Twitter com Devi Sridhar, regente de Saúde Pública Global da Universidade de Edimburgo.

Segundo o bilionário, o fim da pandemia será acelerado pelo elevado grau de transmissibilidade da variante Ómicron. “Uma vez que a Ómicron passe por um país, no resto do ano veremos menos casos, e a covid-19 poderá ser tratada como a gripe sazonal”.

Segundo o New York Times, o número de novos casos de covid-19 começou a cair nas primeiras cidades norte-americanas atingidas pela nova variante — uma tendência que parece confirmar a queda significativa de novos casos registada na África do Sul e no Reino Unido após o aparente pico de infecções com Ómicron.

Gates realça que “a maior parte dos casos mais severos é em pessoas não vacinadas”. Mas, adverte, “à medida que os países enfrentem a sua onda de Ómicron, os seus sistemas de saúde serão desafiados“.

O fundador da Microsoft está optimista mas cauteloso em relação à evolução da situação pandémica global.

“A Ómicron vai criar muita imunidade durante pelo menos o próximo ano”, diz Gates. “Não é provável que apareça uma variante mais transmissível, mas já fomos surpreendidos muitas vezes durante esta pandemia.

Bill Gates / Twitter

Não é a primeira vez que o bilionário prevê o fim da pandemia. Gates tinha inicialmente sugerido, há um ano, que acabaria na primavera de 2021.

Em Abril, ainda antes do aparecimento da Ómicron, sugeriu que acabaria já em 2022 — e que o Reino Unido e os Estados Unidos deveriam ser os primeiros países a sair da pandemia.

Mais recentemente, em Dezembro do ano passado, Gates disse acreditar que podemos estar a entrar na “pior fase da pandemia”. “Justamente quando parecia que a vida voltaria ao normal, podemos estar a entrar na pior fase da pandemia. A Ómicron vai atingir-nos a todos“, escreveu então o milionário no Twitter.

“Em breve estará em todos os países do mundo”, profetizou, acertadamente, o fundador da Microsoft. E já então Bill Gates previa que, graças à rápida propagação da nova variante, a onda de infecções poderia terminar em cerca de três meses.

Mas as profecias de Bill Gates quanto a episódios pandémicos no nosso planeta não se cingem ao actual surto do novo coronavírus.

Em Novembro de 2020, Gates previu que “inevitavelmente” a humanidade enfrentará uma nova pandemia num futuro próximo, mas que o seu impacto seria ainda assim “menos destrutivo” do que a disseminação do SARS-CoV-2. “Poderá ser daqui a 20 anos, mas devemos assumir que pode ser dentro de três anos”, acrescentou.

Mas há notícias piores. Não estamos preparados para essa pandemia, advertiu em Setembro Bill Gates.

O bilionário, que até é acusado por algumas teorias da conspiração de ser ele próprio o causador da pandemia, tem sido capaz nos últimos anos, de profetizar com acerto a forma como o Mundo muda. Esperemos que tenha adivinhado o fim da actual, e falhado redondamente a profecia da próxima.

Armando Batista
15 Janeiro, 2022



[vasaioqrcode]