Casos de Omicron no Belenenses SAD obrigam a plano de testagem “muito rigoroso”, diz Graça Freitas

SAÚDE PÚBLICA/PANDEMIA/COVID-19/INFECÇÕES/OMICRON

Os 13 infectados com a variante Omicron no Belenenses SAD apresentam uma “evolução favorável”, afirmou a directora-geral da Saúde. “Tratando-se de uma nova variante”, vai ser efectuada “uma identificação mais alargada dos contactos e proceder ao seu isolamento”, disse.

A directora-geral da Saúde, Graça Freitas
© Reinaldo Rodrigues/Global Imagens

A directora-geral da Saúde, Graça Freitas, afirmou esta segunda-feira que os 13 casos confirmados da nova variante Omicron em Portugal “não são exclusivamente em jogadores do Belenenses SAD, porque também há casos no staff”.

“Tratando-se de uma nova variante”, as autoridades vão avançar com “uma identificação mais alargada dos contactos e proceder ao seu isolamento”, adiantou a responsável pela DGS em declarações à rádio TSF.

Sobre o estado de saúde dos infectados, Graça Freitas disse à SIC Notícias que apresentam uma “evolução favorável”, alguns são assintomáticos, sendo que a maior parte destas pessoas estava vacinada contra a covid-19, “senão todas”. “Apesar de estarem vacinadas, sabemos que a vacina não é 100% efectiva, adquiriam a doença, no entanto, até agora a doença tem tido uma evolução favorável nas 13 pessoas infectadas”.

De acordo com a directora-geral da Saúde, a nova variante obriga a um plano de testagem “muito rigoroso”, com o objectivo de “quebrar cadeias de transmissão”.

Graça Freitas explicou que o objectivo é agora o de procurar intensivamente os contactos destes casos e os contactos que forem identificados, independentemente do seu estado vacinal e grau de exposição, vão ser testado. O plano contempla três testes, um quando são identificados, outro ao quinto dia e um ao 10º dia.

Jogadores do Benfica também vão ser testados por “precaução”

Também os jogadores que estiveram em campo no jogo de sábado frente ao Benfica vão entrar neste plano de testagem. Ainda durante esta segunda-feira, todos vão ser testados, por uma questão de precaução, disse à TSF. “Tratando-se de uma nova variante, temos de apertar a malha”, admitiu. O objectivo é testar e isolar para impedir a propagação da doença.

Por uma questão de “precaução”, também os jogadores do Benfica serão testados, embora não sejam contactos de risco, uma vez que os doentes já estavam isolados. Trata-se de uma intensificação das medidas habituais.

Devido às incertezas que esta nova variante suscita, vão ser testadas mais pessoas do que o habitual e vão ficar mais pessoas em isolamento, referiu Graça Freitas.

“O INSA [Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge] fará o trabalho de identificar o vírus e saber se [os casos] pertencem ou não à nova variante e, portanto. Estão estas duas frentes a trabalhar activamente”, disse em entrevista à TSF.

“Há um isolamento mais pro-activo, mais intenso e uma testagem também mais intensa dos contactos e, portanto, isso é o plano que está neste momento a ser feito e é o que nós podemos fazer”, resumiu.

Graça Freitas reiterou ainda o apelo às pessoas que tenham viajado da África Austral ou de países em que haja a variante que auto-monitorizem os seus sintomas e que entrem em contacto com o SNS 24.

Em relação às autoridades de saúde pediu para “mais uma vez” estarem “muito atentos” nos inquéritos epidemiológicos a possíveis ligações epidemiológicas dos casos que encontram e a outros casos que possam ter viajado para sítios onde a variante está a circular ou se os próprios casos vieram de outros locais.

Alertou ainda que “os vírus circulam e se esta variante tiver muita competência, por ser uma variante muito transmissível, vai instalar-se vai propagar-se por todo o mundo”.

“Temos que estar continuamente alerta porque de facto a pandemia não acabou e estas variantes podem surgir em qualquer sítio, sobretudo, em sítios que estão pouco vacinados porque há a possibilidade de isso acontecer e a possibilidade de uma variante se propagar, como disse a Organização Mundial da Saúde, para todo o mundo rapidamente”, salientou.

Devia ter sido adiado o jogo com o Benfica? “Não é da nossa competência”, diz Graça Freitas

Questionada sobre se o jogo devia ter sido adiado, afirmou que não é uma competência das autoridades da saúde.

O que acontece em termos de desporto não é da nossa competência, portanto, será de competência dos clubes da Liga, do que for, mas não é da competência da Saúde que isso fique absolutamente claro”, esclareceu Graça Freitas.

À saúde, rematou, “compete identificar doentes, isolar os doentes, procurar os seus contactos, estratificar o risco desses contactos (…) isso é nosso papel e depois às entidades desportivas compete, enfim, planear a parte desportiva do plantel que resta”.

O INSA anunciou esta segunda-feira que foram identificados em Portugal 13 casos da Omicron, a nova variante do coronavírus, que foi considerada como sendo de “preocupação” pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Com Lusa

Diário de Notícias
DN
29 Novembro 2021 — 10:27

© ® inforgom.pt e apokalypsus.com são domínios registados por F. Gomes

 

1324: Identificados 13 casos da variante Omicron em Portugal associados a jogadores do Belenenses SAD

– Não, não vou “malhar” nos Walking Deads, nos negacionistas, nos acéfalos indigentes intelectualóides & afins, porque estou-me completamente borrifando para essa choldra. A minha nota é que neste D.N. já li várias formas de escrever a nova variante: “Omicrom” (com M no final), “Ómicron” (com acento no Ó) e “Omicron” (com N no final e sem acento no O). Em que ficamos e qual delas é realmente a verdadeira?

SAÚDE PÚBLICA/PANDEMIA/COVID-19/INFECÇÕES/OMICRON

O Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge indica que os 13 casos estão associados a jogadores do Belenenses SAD, sendo que um deles terá tido uma viagem recente à África do Sul.

© EPA/ANTONIO COTRIM

Foram identificados 13 casos da variante Omicron em Portugal, anunciou, esta segunda-feira, o Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA), adiantando que as 13 amostras positivas estão “associadas a casos de infecção de jogadores do Belenenses SAD, dado que um dos casos positivos terá tido uma viagem recente à África do Sul”.

Os ensaios preliminares efectuados no INSA sugerem, fortemente, que todos os 13 casos associados aos jogadores da Belenenses SAD estejam relacionados com a variante de preocupação Omicron”, lê-se no comunicado do INSA enviado às redacções (entretanto, Graça Freitas, directora-geral de saúde, esclareceu que os casos não são apenas entre jogadores, também há casos no staff).

Para garantir a quebra de cadeias de transmissão e seguindo o princípio da precaução em Saúde Pública, “enquanto se aguardam mais informações relativamente à transmissão, impacto e efectividade vacinal contra a variante Omicron”, o instituto refere que autoridades de saúde “determinaram o isolamento profilático dos contactos dos casos de infecção associados a este surto, independentemente do estado vacinal e do nível de exposição”.

“Estes contactos permanecem isolados e serão submetidos a testagem regular, o mais precocemente possível, ao 5.º e ao 10.º dia”, diz o instituto.

O INSA indica ainda que analisou também amostras de “218 passageiros de um voo com origem em Maputo que aterrou, dia 27 de Novembro, no aeroporto de Lisboa”.

Neste voo proveniente da capital de Moçambique, “apenas se detectaram dois positivos, estando um deles associado à variante Delta e não permitindo o outro a correta identificação”, sendo que o INSA iniciou a sequenciação do genoma para confirmação final destes casos”. No entanto, “o valor preditivo dos ensaios já realizados é muito elevado”.

O Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge recorda que a nova variante, inicialmente identificada na África do Sul e em alguns países da África Austral, foi identificada também nos últimos dias em alguns países europeus. “Contudo, não existem ainda quaisquer dados científicos que suportem a sua maior transmissibilidade ou a sua capacidade para diminuir a eficácia das actuais vacinas”, refere o INSA no comunicado.

Tal como outros países, também Portugal tomou medidas face a esta nova variante, considerada de “preocupação” pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Diz o INSA que em todo o território as autoridades de saúde “reforçam a vigilância epidemiológica, procedendo à implementação de medidas de controlo, com o isolamento profilático dos contactos de casos de infecção pela variante Omicron ou com história de viagem à África Austral nos 14 dias anteriores, independentemente do estado vacinal, pelo princípio da precaução em Saúde Pública”.

O INSA continua a monitorizar as variantes genéticas do novo coronavírus, realçando que “Portugal está atento a esta situação, mantendo o seu programa contínuo de monitorização de variantes a nível nacional”.

As autoridades de saúde nacionais continuam a apelar ao auto-isolamento e testagem de pessoas que tenham sintomas sugestivos de covid-19, devendo contactar o SNS24.

Diário de Notícias
DN
29 Novembro 2021 — 08:15

© ® inforgom.pt e apokalypsus.com são domínios registados por F. Gomes