863: Mais 3.285 casos de covid-19 e oito mortes nas últimas 24 horas em Portugal

SAÚDE PÚBLICA/COVID-19/INFECÇÕES/MORTES

3.285 INFECTADOS e 8 MORTOS! A situação pandémica AGRAVA-SE a cada dia, mas a choldra de imbecis acéfalos continua a organizar, a promover, a realizar e a participar nas passeatas, caminhadas, casamentos, aniversários, baptizados e bebedeiras! Para quando a PSP e a GNR PÕEM COBRO A TODA ESTA MERDA? E também para quando o sr. inquilino do palácio de Belém, DECLARA, novamente, o ESTADO DE EMERGÊNCIA? Está à espera de quê? Que teimosia será esta?

Dados da DGS mostram que estão 603 pessoas com covid-19 internadas, das quais 130 em unidades de cuidados intensivos.

Enfermaria dedicada à covid-19 do Hospital de Santa Maria, em Lisboa
© Gerardo Santos / Global Imagens

Foram registados 3.285 novos casos de covid-19 em Portugal nas últimas 24 horas, refere o boletim epidemiológico da Direcção-Geral da Saúde (DGS). Desde 11 de Fevereiro que não eram reportados tantas novas infecções.

O relatório desta quarta-feira (7 de Julho) indica também que morreram mais oito pessoas devido à infecção pelo novo coronavírus. Não se registavam tantos óbitos desde 14 de Abril, dia em que também foram registadas oito mortes.

A autoridade de saúde dá conta de que o número de internados desce para 603 (menos 10 face ao reportado na terça-feira). Nas unidades de cuidados intensivos estão agora 130 doentes (menos três).

Portugal está a aumentar o ritmo de vacinação contra a covid-19, tendo batido um novo recorde de doses de vacinas administradas na terça-feira. ​​​​​​”Ontem ultrapassámos as 150 mil doses administradas”, disse, esta quarta-feira, a ministra da Saúde, Marta Temido, em comissão parlamentar.

Foram, no total, 154.600 pessoas inoculadas na terça-feira, o segundo dia a registar um número elevado na administração de vacinas. Em dois dias, foram administradas mais de 290 mil doses de vacinas contra o SARS-CoV-2.

“Sabemos que têm sido utilizadas as soluções que em cada momento são as mais eficientes”, afirmou a governante, sublinhando: “Somos neste momento um dos países da União Europeia [UE] que mais vacinas tem administradas, queremos fazer esta corrida contra a variante Delta através da vacinação”, referiu aos deputados.

A ministra da Saúde referiu que também a campanha de testagem tem “sido reforçada”. Nos primeiros dias de Julho, “a média diária de testes é a mais alta desde o início da pandemia, também acima de Janeiro”.

Estado de emergência? “Não há impossibilidades totais”, diz ministra

No primeiro mês de 2021, a média de testes efectuados por dia rondou os 52 mil, segundo dados divulgados em 29 de Janeiro pelo Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge (INSA).

Na Comissão de Saúde, a ministra da Saúde não descartou o regresso ao estado de emergência, embora tenha afirmado que este mecanismo não passa exclusivamente pelo Governo. “Não há impossibilidades totais, há necessidades de avaliação constante”, argumentou.

Também esta quarta-feira, Válter Fonseca, coordenador da Comissão Técnica de Vacinação Contra a covid-19, fez saber que está a ser analisada a vacinação das faixas etárias acima dos 12 anos, devendo ser emitido um parecer antes do arranque do ano letivo, revelou em entrevista à Lusa.

O parecer está a ser elaborado e “será naturalmente conhecido para que o planeamento da vacinação possa ser feito atempadamente”, como tem sido feito desde o início da campanha, referiu.

“Será feito um parecer (…) de forma atempada e para proteger a saúde pública, nos ‘timings’ mais adequados, também em função da evolução da cobertura vacinal da restante população, que continua a ser a nossa prioridade”, acrescentou.

Diário de Notícias
DN
07 Julho 2021 — 14:05

 

© ® inforgom.pt e apokalypsus.com são domínios registados por F. Gomes

 

469: “A situação está caótica”: Hospital de Penafiel com vários profissionais infectados

 

SAÚDE/HOSPITAIS/COVID-19

Caroline Blumberg / EPA

Colaboradores de vários grupos profissionais do Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa, em Penafiel, estão infectados com o novo coronavírus, disse esta terça-feira a administração daquela unidade, sem precisar o número de casos.

“Tal como em todos os hospitais, há profissionais infectados, de todos os grupos profissionais. Até ao momento, não está em causa o funcionamento do hospital”, lê-se num esclarecimento enviado à agência Lusa.

Um colaborador do CHTS ouvido pela Lusa relatou uma situação de “grande dificuldade” no hospital de Penafiel, incluindo na urgência, onde os doentes aguardam horas para serem atendidos, devido à insuficiência de profissionais.

“A situação está caótica, com os corredores cheios de doentes”, contou.

No esclarecimento do CHTS, que não responde à questão da Lusa sobre o número de profissionais infectados naquela unidade hospitalar, assinala-se que as dificuldades ocorrem devido à ausência de vários colaboradores.

Isto, acrescenta, “seja porque estão contaminados, seja porque estão de quarentena, por alguns contactos de risco com outras pessoas contaminadas”.

Sobre a questão na urgência, refere-se que “a grande causa de dificuldade de gestão do serviço, na actualidade, prende-se com o enorme afluxo inadequado de utentes somente com o objectivo de fazerem o teste”. Segundo o CHTS, “essa afluência tem inclusivamente ultrapassado os picos máximos habituais em tempo de gripe”.

O esclarecimento enviado à Lusa realça um apelo à população para que “só vá à urgência por motivos graves”. “A realização de testes deve ser feita por contacto com a linha SNS 24 ou com os médicos de família. As idas à urgência nesta altura, por motivos inapropriados, são totalmente desaconselhadas, até porque origina excessiva aglomeração, potenciadora de indesejáveis contaminações”, conclui o CHTS.

Em Portugal, morreram 2.213 pessoas dos 103.736 casos de infecção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direcção-Geral da Saúde.

ZAP // Lusa

Por ZAP
21 Outubro, 2020

 

[ratingwidget_toprated type=”posts” created_in=”all_time” direction=”ltr” max_items=”5″ min_votes=”1″ order=”DESC” order_by=”avgrate”]