1284: Chefes das urgências de cirurgia do Santa Maria demitem-se

– E só ao fim de vários ANOS é que constataram isso??? Ah! As eleições…!!!

SAÚDE PÚBLICA/MÉDICOS/DEMISSÕES

Médicos concretizam ameaça feita no passado dia 10. Queixam-se da sucessiva degradação do serviço nos últimos anos.

Os dez chefes da equipa de urgências de cirurgia do Hospital de Santa Maria, em Lisboa, demitiram-se esta segunda-feira, avançou a RTP.

Os médicos, que tinham dado precisamente o dia de hoje como prazo para a resolução do problema das escalas de serviço, concretizaram assim a ameaça de demissão feita no passado dia 10.

Na altura, em carta entregue à direcção clínica, os médicos referiam também que o serviço tem vindo a degradar-se nos últimos anos, tendo sofrido recentemente um agravamento devido ao facto de os assistentes hospitalares se recusarem a fazer mais do que as horas extraordinárias estipuladas na lei.

A 10 de Novembro, Jorge Roque da Cunha, secretário-geral do Sindicato Independente dos Médicos, tinha adiantado que os chefes de equipa deste serviço estavam “fartos das promessas do director clínico”, sendo que também estavam em causa “as condições de trabalho, contratação, remuneração das próprias chefias, falta de investimento em material, a incapacidade geral de fixar os que estão”.

“A minha expectativa sempre é que a situação se resolva o mais rapidamente e que haja o menos de entropia no processo”, disse na altura António Lacerda Sales.

Questionado sobre os motivos alegados pelos médicos, o governante disse reconhecer o problema neste e noutros hospitais e que o Ministério da Saúde estava a fazer “um esforço em resolver o problema juntamente com os conselhos de administração”.

“Na grande maioria destes hospitais os problemas têm-se resolvido com diálogo (…). E é com diálogo que vamos continuar a trabalhar com os profissionais de saúde para irmos resolvendo estes casos”, vincou na altura.

Em actualização.

Diário de Notícias
DN
22 Novembro 2021 — 14:49

© ® inforgom.pt e apokalypsus.com são domínios registados por F. Gomes