140: Malditas alergias. O que precisa de saber para sobreviver à Primavera

 

Os pólenes estão aí. Mesmo que nos próximos dias acalmem com a chuva, se sofreu no passado não se limite a tomar anti-histamínicos. Mais vale prevenir e ir ao médico. Luís Delgado, presidente da Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica e médico no Hospital de S. João, e Susana Piedade, imunoalergologista da Cuf, respondem às dúvidas

i21032014Quais são as alergias mais comuns nesta altura do ano? O problema da Primavera para quem tem alergias é ser o pico da polinização na maioria das plantas mais alergénicas. Em Portugal as principais causas de alergia a pólen são as gramíneas, fenos. Estas começam a polinizar no início da Primavera e atingem o pico entre Maio e Junho. Também é frequente a alergia à erva parietária, do grupo das ervas daninhas e que tem um período de polinização que começa na Primavera mas em alguns pontos do país repete no início do Outono.

Em relação aos pólenes das árvores, o mais alergénico é o da oliveira. Luís Delgado explica que os do pinheiro, ao contrário do que pensam muitas pessoas, são pólenes de maior dimensão e pouco alergénicos – os mais prejudiciais são invisíveis. É o caso também dos pólenes amarelos que se encontra em cima do carro, com os quais não se deve preocupar. “Apesar de raramente causarem alergia, podem servir de aviso que a época de polinização já começou.”

Em algumas zonas de clima mais frio e seco, na Primavera também é mais frequente a alergia aos ácaros, por que a temperatura amena promove a sua replicação. Muitas vezes estas duas alergias aparecem conjugadas nesta altura.

In Jornal i online
Por Marta F. Reis
publicado em 21 Mar 2014 – 22:00

101: Níveis de pólenes vão aumentar nos próximos dias

 

Boletim Polínico

A Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica (SPAIC) prevê um “significativo acréscimo” dos níveis de pólenes nos próximos dias, principalmente nas regiões do sul do país, segundo o Boletim Polínico hoje divulgado.

O Boletim Polínico efectua a divulgação semanal sobre os níveis de pólenes existentes no ar atmosférico, recolhidos através da leitura de vários postos que fazem uma recolha contínua dos pólenes em várias regiões do país.

“Na próxima semana [29 de março a 04 de Abril], na ausência de precipitação, espera-se um significativo acréscimo dos níveis polínicos, prevendo-se, em geral, níveis moderados a elevados de pólen atmosférico para as regiões do norte do país”, adianta a SPAIC.

São ainda esperados níveis elevados a muito elevados para as regiões do sul do país e níveis baixos para os arquipélagos dos Açores e da Madeira.

O alerta da Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica vai particularmente para os pólenes de erva parietária, plátano, pinheiro e carvalhos.

Para as regiões de Trás-os-Montes, Alto Douro e Vila Real, prevêem-se níveis baixos a moderados de pólenes, com destaque para os de pinheiro, carvalho, gramíneas e erva parietária.

No Douro Litoral e região do Porto, os pólenes encontram-se em níveis moderados a elevados, com predomínio dos pólenes de pinheiro, plátano, carvalho e erva parietária.

Já para a região da Beira Litoral e Coimbra são esperados níveis elevados de pólenes, predominando os de pinheiro, plátano, erva parietária, carvalho e cipreste.

Na Beira Interior e na região de Castelo Branco, onde são esperados níveis baixos a elevados de pólenes, evidenciam-se os pólenes de carvalho, erva azeda, pinheiro, cipreste e gramíneas.

Prevêem-se níveis elevados a muito elevados de pólenes para as regiões da Estremadura e Lisboa, onde dominarão os pólenes de plátano, carvalho, cipreste, erva parietária e pinheiro.

Para o Alentejo e o Algarve são também esperados níveis elevados a muito elevados de pólenes, com predomínio dos pólenes de azinheira, plátano, cipreste, pinheiro, ervas azeda e parietária.

Nos Açores e na Madeira, os pólenes encontram-se em níveis baixos, dominando os de cipreste, erva parietária, eucalipto e gramíneas.

In Diário de Notícias online
28/03/2013
por Lusa, publicado por Ana Maia

71: Concentrações muito elevadas de pólen nos próximos dias

 

Portugal Continental vai registar concentrações muito elevadas de pólen no ar nos próximos dias, informou hoje a Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica (SPAIC).

Nos Açores e na Madeira são esperadas concentrações moderadas a elevadas, adianta o Boletim Polínico da SPAIC.

O alerta para a semana de 8 a 14 de Junho vai particularmente para os doentes com alergia aos pólenes de gramíneas, oliveira e erva parietária.

O Boletim Polínico faz a divulgação semanal sobre os níveis de pólenes existentes no ar atmosférico, através da leitura de vários postos que fazem uma recolha contínua dos pólenes, em diversas regiões do País.

In SOL online
Lusa/SOL
8 de Junho, 2012

64: Concentrações muito elevadas de pólen em Portugal

 

Saúde

A Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica (SPAIC) alertou hoje para “concentrações muito elevadas” de pólen atmosférico em todo o território continental para a próxima semana.

No Boletim Polínico divulgado pela SPAIC, para a semana entre 25 e 31 de maio, prevê-se também “concentrações moderadas a elevadas” nos arquipélagos dos Açores e da Madeira.

O alerta da SPAIC visa particularmente os pólenes das árvores oliveira, carvalho e sobreiro, e para os pólenes das ervas gramíneas, parietária (conhecida por alfavaca) e tanchagem (conhecida por tarrajó).

A SPAIC recolhe a informação constante do Boletim Polínico através da leitura de vários postos que fazem uma recolha contínua dos pólenes em várias regiões do país.

In Diário de Notícias online
24/05/2012
por Lusa

49: Níveis do pólen no ar mais baixos por causa da chuva

 

Alergias

Os níveis de pólen no ar estarão mais baixos nos próximos dias devido à chuva, prevendo-se concentrações baixas a moderadas em todo o país, à excepção do Sul, onde deverão atingir ainda valores muito elevados.

Segundo o boletim divulgado hoje pela Sociedade Portuguesa de Alergologia para o período de 04 a 10 de maio, o alerta vai sobretudo para o pólen de árvores como a oliveira e o sobreiro, bem como de ervas (gramíneas, tanchagens e erva paritária).

Em Trás-os-Montes e Alto Douro e região de Vila Real, verificam-se níveis baixos de pólen de pinheiro, oliveira, carvalho, gramíneas e tanchagens.

No Douro Litoral e região do Porto, predominam o pólen de pinheiro, erva paritária, carvalho e gramíneas, com baixas concentrações.

Para a beira litoral e região de Coimbra, prevêem-se concentrações também baixas de pólen de oliveira, pinheiro, gramíneas, tanchagens, carvalho e erva paritária.

Na beira interior e região de Castelo Branco, são esperadas baixas concentrações de pólen de pinheiro, carvalho, oliveira e gramíneas.

Para a Estremadura e região de Lisboa, o Boletim Policlínico indica níveis baixos a moderados de pólen de oliveira, erva paritária, gramíneas, sobreiro, tanchagens, pinheiro e azinheira.

No Alentejo, deverão ser ainda muito elevados os níveis de pólen de sobreiro, gramíneas e azinheira.

Para o Algarve, a previsão é de concentrações muito elevadas para o pólen de oliveira e moderadas a elevadas para gramíneas

In Diário de Notícias online
por Lusa
03/05/2012

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...