341: Lavar as mãos

 

 

Já vi tantas “lições” de como se deve lavar as mãos, não só neste tempo de pandemia do COVID-19, como em tempos normais, grande parte deles erradamente dados como correctos, que não resisti a fazer um pequeno vídeo da forma como eu SEMPRE lavo as minhas mãos.

 

340: Lista de Compras para a Quarentena (Socialmente Responsável)

 

SAÚDE/CORONAVIRUS/QUARENTENA

Não, não vão precisar de 10 litros de desinfectante, 5 embalagens de papel higiénico e 30 latas de atum. Mais importante do que ter mantimentos para a quarentena, é assegurar que não estamos a prejudicar os outros.

Não se fala de outra coisa: o número de infectados pelo Coronavírus em Portugal tem aumentado, a OMS declarou pandemia e recomenda tomar precauções essenciais. Prevê-se que precisemos de ficar em casa por alguns dias e surge uma questão importante: a Lista de Compras para a Quarentena. O que compramos? Quanto compramos? Onde compramos?

Antes de mais, estas decisões devem partir de uma noção de responsabilidade social. Afinal, o consumo responsável é um dos pilares da gestão equilibrada de uma epidemia. O objectivo não é garantir que ficamos em casa com mantimentos para 2 meses, mas sim que todos os cidadãos portugueses conseguem ter acesso ao necessário para um par de semanas.

Neste artigo, apresentamo-vos uma lista de compras socialmente responsável para quarentena e para casos de infecção pelo COVID-19, falamos sobre alternativas aos bens escassos, sobre como fazer compras sem sair de casa e sobre a importância de sermos uns para os outros.

Lista de Compras para a Quarentena

Precisamos de ter duas coisas em mente antes de fazer compras para um eventual período de quarentena:

1. O acesso aos supermercados não vai ser cortado. Nada indica que não poderemos ir às compras, mesmo que fiquemos em quarentena preventiva. Também nada indica que ninguém poderá fazê-lo por nós se estivermos doentes, ou que os serviços de home delivery parem de funcionar. Como tal, não precisamos de comprar quantidades absurdas de produtos: o carrinho de compras habitual, com alguns ajustes, é o ideal.

2. Vivemos em comunidade. É importante comprar de forma consciente para que não estejamos a prejudicar os outros, quer por comprarmos quantidades desnecessárias, quer por comprarmos todos os produtos mais baratos, deixando famílias mais carenciadas sem alternativas.

Tendo isto em conta, esta lista de compras para a quarentena poderá ajudar-vos a não se esquecerem de nada de que possam precisar:

  • Congelados
    Ao contrário de algumas situações, como é o caso dos terramotos, não está prevista a perda de electricidade durante um eventual período de quarentena, Assim, pode ser muito útil comprar congelados ou congelar alimentos: legumes, comida pré-preparada, pão, fruta. Assim, poderão garantir que mesmo que comprem com alguma antecedência, os alimentos não se vão estragar.
  • Enlatados
    A escolha mais óbvia, os enlatados têm longos prazos de validade. Das salsichas aos cogumelos e à fruta, é bom ter em casa mas não façam deles a base da vossa alimentação: afinal, estes não são os alimentos mais saudáveis e é importante que ingiram alimentos que fortaleçam o sistema imunitário.
  • Bolachas e snacks
    Frutos secos (ricos em calorias), fruta desidratada, pipocas de micro-ondas e aqueles biscoitos e bolachas que são famosos lá em casa e não se estragam com facilidade.
  • Chocolate
    Rico em calorias, é um dos alimentos mais recomendados para ter em casa.
  • Arroz, massa e leguminosas
    Feijão, grão, arroz, massa, quinoa, lentilhas e outros produtos não perecíveis. Compre as quantidades habituais, sem exagero. É bom ter um pouco de cada.
  • Leite, iogurtes e queijos
    De origem animal ou vegetal, fazem sempre falta.
  • Produtos de Cosmética e Limpeza
    Principalmente sabonete e detergente da loiça. Quando aos restantes, não faz sentido comprar mais do que o habitual.Recomenda-se fazer uma limpeza diária de objectos como as maçanetas das portas, tampos de mesa, sanitas e telefones, que são muito tocados ao longo do dia.
  • Água
    O coronavírus não afecta a água, pelo que podemos continuar a beber água da torneira tranquilamente. Caso costumem comprar água engarrafada, comprem alguns garrafões, sem exageros.

O que devo comprar em caso de infecção?

Antes de mais, caso verifique sintomas de infecção por Coronavírus, deve manter-se em isolação e entrar em contacto com a linha de saúde 24: 808 24 24 24 ou contactar o 112, que lhe darão indicações do que fazer.

De momento, não existe nenhuma recomendação de medicamentos antivirais para tratar o COVID-19. Assim, o tratamento que poderá existir é direccionado ao alívio dos sintomas. Para tal, é útil ter em casa analgésicos, antipiréticos e medicamentos para a tosse. Para além disto, recomenda-se aos doentes muito descanso, ingestão de líquidos e banhos quentes.

Não encontrei o que queria no supermercado. E agora?

Todos temos em nós um bocadinho de avó portuguesa: “E se o arroz não chega? E se as crianças ficam sem papel higiénico? Mais vale ter a mais do que a menos!”.

A verdade é que este tipo de mentalidade é contra produtivo em situações de epidemia, em que o consumo consciente se torna ainda mais importante pelos efeitos que pode ter a curto prazo. Deixamos algumas dicas para que não falte nada nem aí em casa nem nas outras casas:

Alimentos e bens essenciais

Em muitos supermercados, começa a notar-se a escassez de alguns produtos.

Em Portugal, somos privilegiados. Temos acesso a uma variedade enorme de alimentos e produtos, todos com várias alternativas. O que é crucial neste cenário, é conseguir racionar estes bens para que todos possamos ter um acesso justo àquilo de que necessitamos.

Ficam algumas dicas para que não falte nada (a ninguém):

  • Não faça da sua lista de compras para a quarentena uma regra: há pouca massa no supermercado? Leve antes arroz. Os legumes frescos estão a esgotar? Se calhar pode levar menos, comprar alguns congelados e deixar stock disponível para outras famílias.
  • Não exagere nas quantidades: por norma, dependendo do tamanho das famílias, temos em casa mantimentos suficientes para 1-2 semanas de alimentação. Mesmo que passemos por um cenário de quarentena preventiva, não faz sentido acumular numa só casa alimentos suficientes para 3-4 semanas. Planeie as refeições conscientemente e não compre mais do que necessário.
  • A variedade ajuda a combater a escassez: comprar alimentos e marcas diferentes faz com que não faltem com tanta facilidade. Caso tenha possibilidades, opte por comprar produtos, marcas e preços diferentes em vez de contribuir para escassez de um em específico.

Desinfectante e Máscaras

Lavar as mãos é o método mais eficaz para prevenir o contágio pelo coronavírus. Devemos recorrer aos desinfectantes apenas quando não nos é possível lavar as mãos.

Quanto às máscaras, só se recomenda o seu uso por pessoas infectadas pelo COVID-19, para evitar o contágio de mais pessoas.

Portanto, descansem se não têm 3 litros de desinfectante e 2 caixas de máscaras em casa: provavelmente não os iriam usar de qualquer forma.

Caso sejam daquelas pessoas que têm quantidades extraordinárias, verifiquem se as pessoas à vossa volta estão precavidas. Afinal, é mais eficiente todos termos um pequeno boião de desinfectante do que apenas alguns terem muitos boiões.

Se ficar em casa, decerto não vai precisar de desinfectante. Garanta que tem uma quantidade normal de sabonete, e basta lavar as mãos.

Se não consegue encontrar desinfectante ou se a sua reserva chegar ao fim, existem sempre opções:

  • Faça o seu próprio desinfectante caseiro: precisa apenas de álcool (no mínimo 60%) e de glicerina ou gel de aloe vera em proporção 4/3.
  • Transporte consigo pequenas toalhas ou lenços de papel embebidos em álcool ou em água e sabonete. São úteis para limpar mãos e superfícies.
  • Leve sabonete e uma garrafa de água consigo, para que possa lavar as mãos em qualquer lugar.

Compras sem sair de casa

Não se esqueçam desta opção: quer estejam em isolação, tenham receio de ir ao supermercado ou simplesmente não tenham tempo, existem vários supermercados em Portugal que permitem fazer compras online, que são entregues directamente em sua casa.

Esta é uma opção muito útil para as pessoas que fazem parte dos grupos de risco. Para além disto, é possível verificar online se os produtos que pretende comprar ainda estão disponíveis, podendo optar por outros de forma prática e simples.

Muito importante: as compras dos outros

O vizinho precisa de desinfectante? A avó, que faz parte do grupo de risco, precisa de comprar comida? Sejamos uns para os outros.

Se temos algum produto de que eles precisam, podemos partilhar. Se não fazemos parte de um grupo de risco nem partilhamos casa com alguém que faz, podemos ir às compras por quem mais precisa.

Esta lista de compras para a quarentena é uma sugestão pessoal da Pumpkin. As nossas recomendações são baseadas nas directivas da DGS  e da OMS e no muito que temos lido sobre o assunto. Achamos que faz falta, no meio de tanta informação, o apelo ao cuidado sem pânico e à consciência social, para que as famílias possam passar por esta fase da forma mais ilesa possível.

Não desesperem. Vamos garantir que temos todos os cuidados possíveis, ajudar os outros e manter a cabeça fresca: em breve a tranquilidade (e o papel higiénico de folha tripla) regressarão.

Também vos pode interessar:

  • Coronavírus: sabem que os sintomas são semelhantes aos da gripe?

Pumpkin Famílias Felizes
Mar.2020

 

339: Lavar as mãos ou usar gel desinfectante? O que é mais eficaz?

 

SAÚDE/CORONAVIRUS

O que faz, afinal, o sabão ao vírus? E o gel pode ser usado com o mesmo grau de eficiência? Há várias regras a cumprir para que sejam, de facto, ambos eficazes. Saiba quais.

Lavagem frequente das mãos é uma das medidas mais eficazes para travar a epidemia
© EPA/Zsolt Szigetvary

O novo coronavírus SARS-CoV-2 progrediu rapidamente através do mundo e está agora a infectar as populações de mais de 110 países, com a Itália, no coração da Europa, a liderar o número de novos doentes diários – só nesta terça-feira foram identificados mais 977 casos, elevando ali para mais de dez mil as infecções – 631 doentes morreram e 877 estão em estado crítico.

Para travar a epidemia, o governo italiano pôs todo o país de quarentena pelo menos até 3 de Abril. O combate cerrado à progressão da doença prossegue, no entanto, a um nível mais básico: ao nível das mãos. Uma das recomendações mais importantes para os cidadãos – e mais repetidas – por parte das autoridades de saúde e da própria Organização Mundial da Saúde (OMS) é a da lavagem frequente das mãos.

Além dos comportamento preventivos, como tossir e espirrar para a face interna do cotovelo e manter o distanciamento de pelo menos dois metros de pessoas visivelmente doentes, a lavagem frequente das mãos (ou a sua desinfecção, se não puder ser de outra maneira) é uma das regras de ouro para se conseguir interromper as cadeias de contágio do covid-19.

E o que se deve usar? O que é mais eficaz? Simples sabão? Ou gel desinfectante?

Depende. Tanto uma coisa como a outra dependem da forma como se faz. Segundo as regras divulgadas pela Direcção-Geral da Saúde, lavar as mãos com água e sabão é suficiente. Mas tem de ser feito durante mais de 20 segundos (ou cantando os Parabéns a Você, duas vezes, ou, numa versão mais pop, o Karma Cameleon) – e seguindo todas as regras amplamente divulgadas, esfregando toda a superfície da mão.

“Lavar as mãos é mesmo lavar as mãos”, explicava Graça Freitas na entrevista ao DN e à TSF. “Toda a superfície, dos dedos e do punho, não é passar as mãos debaixo de água uns segundos, tem de se esfregar. Há uma técnica própria.” Há muitos desenhos sobre isso que podem servir de guia.

E pode usar-se gel desinfectante?

Quando não se tem maneira de lavar as mãos, podem usar-se os géis desinfectantes –mas apenas os que têm álcool a mais de 60%. Também a sua eficácia depende da utilização, ou seja, devem ser esfregados na mão como se estivesse a lavá-la, percorrendo todos os locais indicados nas imagens.

Essas indicações da DGS e da entidade congénere americana CDC devem-se ao facto de apenas o álcool a 60% matar todos os coronavírus que actualmente se conhecem. Aliás, as indicações da OMS são de que o gel desinfectante dever ser produzido com álcool etílico a 96 graus. Sendo assim, também de nada vale usar álcool de consumo normal, como, por exemplo, vodca.

Mas o que faz o sabão ao vírus?

A explicação da eficiência do sabão normal acaba por ser simples. Quando são excretados pelos doentes, os coronavírus vêm envolvidos numa fina película protectora, que o vírus “roubou” ao tecido da célula infectada para se poder proteger – isso permite-lhe manter-se vivo por várias horas. Ora, o sabão – e o desinfectante também – tem o poder de romper esta película protectora. E, sem ela, o vírus morre.

O mesmo é válido para a desinfecção de superfícies contaminadas pelo coronavírus. Neste momento, tudo indica que o maior contágio desta nova pneumonia viral se faz por contacto com superfícies contaminadas e daí, também, as imagens que nos chegam dos países mais afectados, onde se veem brigadas de desinfecção a pulverizar os espaços públicos.

Diário de Notícias

Filomena Naves e Catarina Carvalho

 

338: Vírus Corona ou COVID-19

 

1 limão cortado em 3 dentro de um copo deitar água quente e beber todos os dias.

AVISO IMPORTANTE . Olá, sou Laila Ahmadi da China estudante da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade de Zanjan. O vírus Corona ou COVID-19 chegará a qualquer país mais cedo ou mais tarde, e não há dúvida de que muitos países não possuem nenhum kit ou equipamento de diagnóstico sofisticado.

Por favor, use o máximo de * vitamina C natural possível * para fortalecer seu sistema imunológico. Actualmente, o vírus não contém vacina nem tratamento específico Infelizmente, devido à mutação genética que o tornou muito perigosa.

Esta doença parece ser causada pela fusão do gene entre uma cobra e um morcego, e adquiriu a capacidade de infectar mamíferos, incluindo humanos. É importante ter maior conhecimento da doença: o professor Chen Horin, CEO do Hospital Militar de Pequim, disse: “Fatias de limão em um copo de água morna podem salvar sua vida”. Portanto independentemente do que estiverem fazendo dê uma olhada nesta mensagem e passe para outras pessoas!

Limão quente pode matar células cancerígenas! Corte o limão em três partes e colocado num copo, depois despeje água quente e transforme-a em (água alcalina), beba todos os dias, definitivamente beneficiará a todos.

O tratamento com esse extracto destrói apenas células malignas e não afecta células saudáveis. Segundo: o ácido carboxílico do suco de limão podem regular a pressão alta, proteger artérias estreitas, regular a circulação sanguínea e reduzir a coagulação do sangue.

Depois de ler a mensagem transfira-a para a pessoa que você ama e cuide da sua saúde pessoal. Conselho: O professor Chen Horin observa que quem recebe essa mensagem tem pelo menos a garantia de salvar a vida de alguém …

Eu fiz o meu trabalho e espero que você possa me ajudar a desenvolvê-lo também.

 

337: Alzheimer: cientistas conseguem reverter a demência. Mais próximos de uma cura

 

CIÊNCIA/ALZHEIMER

Cientistas revelaram que, pela primeira vez, conseguiram reverter a demência em testes realizados com roedores. Uma chance de cura para o Alzheimer está cada vez mais próxima.

Cientistas revelaram que, pela primeira vez, conseguiram reverter a demência em testes realizados com roedores. Uma chance de cura para o Alzheimer está cada vez mais próxima.

A revelação saiu no estudo publicado na Science Translational Medicine, onde sugere que o direccionamento da inflamação no cérebro pode deter a demência.

O cientista Barry Hart conseguiu sintetizou uma molécula, chamada IPW, que bloqueia os receptores que dão início à inflamação. Além de aliviar os sintomas, a droga consegue reparar a parte danificada.

“Quando eliminamos esse ‘nevoeiro’ da inflamação, em questão de dias o cérebro senil rejuvenesceu. É um achado que nos deixa muito optimistas porque mostra a plasticidade do cérebro e sua capacidade de recuperação”, disse a doutora Daniela Kaufer, da Universidade da Califórnia, em Berkeley.

O IPW, bloqueia um gene conhecido como TGF-β que alimenta a inflamação, desencadeando a albumina das proteínas no sangue.

“Agora temos dois biomarcadores que informam exactamente onde a barreira hematoencefálica está vazando, para que você possa seleccionar pacientes para tratamento e tomar decisões sobre quanto tempo administrará a droga”, afirmou Daniela Kaufer.

“Você pode segui-los e, quando a barreira hematoencefálica estiver curada, você não precisará mais da droga.”

“Quando você remove esse nevoeiro inflamatório, em poucos dias, o cérebro envelhecido age como um cérebro jovem. É uma descoberta muito, muito optimista, em termos da capacidade de plasticidade que existe no cérebro. Nós podemos reverter o envelhecimento cerebral”, disse.

Exames chamados de EEGs (electroencefalogramas) revelaram perturbações semelhantes das ondas cerebrais em humanos com Alzheimer, comprometimento cognitivo leve (MCI) e epilepsia.

Isso significa que barreiras com vazamentos e ritmos cerebrais anormais detectáveis por ressonância magnética e EEG, respectivamente, podem acabar sendo usados para sinalizar pessoas com demência – além de indicar uma óptima oportunidade de intervenção usando uma droga para retardar ou até reverter a doença.

Quando eles deram o medicamento aos ratos, em doses que diminuíram a actividade do gene, seus cérebros ficaram mais jovens. Houve menos inflamação e as ondas cerebrais melhoraram, bem como redução da susceptibilidade convulsiva.

Os ratos também navegaram em um labirinto e aprenderam tarefas espaciais da mesma forma que um rato mais jovem.

Em uma análise do tecido cerebral de humanos, o professor Kaufer encontrou evidências de albumina em cérebros envelhecidos e aumentou a neuro-inflamação e a produção de TGF-β.

O professor Friedman, da Universidade Ben-Gurion do Negev, em Israel, também desenvolveu uma técnica de varredura chamada DCE (Dynamic Contraste Enhanced) – um tipo especial de ressonância magnética. Isso detectou mais vazamentos na barreira hematoencefálica de pessoas com maior declínio cognitivo.

No total, essas evidências apontam para uma disfunção no sistema de filtragem de sangue do cérebro como um dos primeiros factores desencadeantes do envelhecimento neurológico, disse Kaufer.

Sua equipe agora abriu uma empresa para desenvolver um medicamento oficial que cure a barreira hematoencefálica para tratamento clínico e pode, eventualmente, terminar por ajudar os idosos com demência ou doença de Alzheimer que demonstraram vazamento da barreira hematoencefálica.

Uma excelente notícia para a medicina mundial, né?

Com informações do GNN

A Soma de Todos os Afetos
9 de Dezembro de 2019
Fabíola Simões

 

336: Investigadores encontraram uma cura para a diabetes (em ratos de laboratório)

 

CIÊNCIA

A Diabetes é uma doença metabólica crónica que se caracteriza pelo aumento dos níveis de açúcar no sangue (glicemia). Em Portugal existem mais de três milhões de pessoas com diabetes ou pré-diabetes, o que representa 40% da população portuguesa. Contudo, no mundo são apontados mais de 463 milhões de adultos com esta doença. Há um crescimento alarmante dizem os números e há uma urgência no seu tratamento.

Até à data, o tratamento mais comum tem sido gerir a doença com uma dieta cuidadosamente controlada e doses regulares de insulina, se necessário. No entanto, a cura pode estar já no horizonte.

Uma equipa de investigação da Universidade de Washington, Estados Unidos, descobriu no ano passado que a infusão de ratos com células estaminais poderia oferecer uma melhor opção de tratamento.

Com base nesta investigação, a mesma equipa pode ter encontrado uma cura: pelo menos em ratos de laboratório.

Ratos de laboratório podem ter a cura para a diabetes

Os diabéticos são caracterizados pela sua dificuldade em produzir ou administrar insulina. Isto requer uma permanente e cuidadosa monitorização, uma dieta rigorosa, exercício e doses caras de insulina. A insulina é normalmente produzida no pâncreas, mas aqueles que têm diabetes não produzem o suficiente.

Assim, para tratar a diabetes, muitos diabéticos têm que vigiar os seus níveis de açúcar no sangue, e injectar a insulina directamente na corrente sanguínea. O tratamento agora revelado supera estas doses e, em vez disso, usa células beta para segregar a insulina necessária.

O tratamento depende das células estaminais pluripotentes induzidas (IPSCs). Estas células são essencialmente uma “folha em branco” que podem ser enganadas para se tornarem praticamente qualquer outro tipo de célula no corpo.

Conforme apresentado neste novo estudo, a equipa melhorou a técnica que tinha desenvolvido no ano passado para produzir e introduzir estas células na corrente sanguínea. Ao converter as células estaminais num outro tipo de célula, sempre há erros e células aleatórias entram na mistura com as células produtoras de insulina. Estas células são inofensivas, mas não valem o seu peso.

Quanto mais células fora do alvo forem conseguidas, menos células relevantes do ponto de vista terapêutico temos. Precisamos de cerca de mil milhões de células beta para curar uma pessoa com diabetes. Mas se um quarto das células produzidas são realmente células do fígado ou outras células do pâncreas, em vez de precisarmos de mil milhões vamos precisar de 1,25 mil milhões. Isso torna a cura da doença 25% mais difícil.

Explicou Jeffrey Millman, líder da investigação.

Células estaminais são a chave da cura

O novo método vai livrar a amostra destas células indesejadas. A equipa de Millman construiu um processo que visava o cito-esqueleto, a estrutura que dá às células a sua forma, e produziu não só uma percentagem maior de células beta eficazes, mas também células que funcionavam melhor.

Quando estas novas células foram infundidas em ratos diabéticos, os seus níveis de açúcar no sangue estabilizaram, deixando-os “funcionalmente curados” da doença durante nove meses.

É verdade, é apenas um ensaio em animais. Os resultados não devem ser interpretados como uma cura para humanos. Contudo, estamos perante um começo promissor.

Posteriormente, a equipa planeia continuar a testar estas células, mas agora em animais maiores. Além disso, o estudo deverá abranger períodos mais longos, com o objectivo de realizar testes clínicos em humanos no futuro.

26 Fev 2020

 

 

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...