73: AVISO: Cuidado com estes bichos que estão a chegar à nossa costa

 

Foi recebido este e-mail que se transcreve na íntegra, depois de traduzido para PORTUGUÊS sem enterro ortográfico:

ESTA INFORMAÇÃO FOI PRESTADA PELO SERVIÇO DE PROTECÇÃO CIVIL!!!!!!!!!
ATENÇÃO!!!!!

Quando andarem a passear na praia tenham muita atenção, não toquem em nenhum bicho destes!!
MUITO IMPORTANTE!!!

Fica a informação. Tenham cuidado.

Depois de dois meses de mau tempo a assolar a costa portuguesa, vejam o que está a chegar na rebentação a algumas das nossas praias, juntamente com minúsculas patas de caranguejo, algas e outros elementos, vejam o aspecto que têm.

Sabem o que é isso? É apenas uma modesta medusa azul extremamente tóxica.

Se virem alguma não lhe toquem. Mesmo morta o seu tecido mole morde como uma serpente, e as marcas que deixa na pele são definitivas – tatuagens indesejáveis. A dor é indescritível e se for uma criança a manuseá-las, pode morrer envenenada.

Estas criaturas vivem a milhares de quilómetros da nossa costa, portanto: o que é que estas fazem aqui? São medusas de água quente, da Austrália, Califórnia… Quando surgem nas praias, estas são fechadas ao público e consideradas mais perigosas que tubarões a deambular na área.

Meus amigos. O tempo está a melhorar e os passeios à beira-mar tornam-se apelativos à descontracção. No entanto, se virem criaturas como estas, limitem-se a olhar e sigam à vossa vida.

Medusa Azul

Medusa Azul

Apenas um aparte: eu não aconselho apenas a olharem e seguirem a vossa vida, mas sim a alertar a Polícia Marítima ou alguma autoridade da zona para os devidos procedimentos.
Mas indo mais aprofundadamente na investigação deste tipo de animalóides marinhos, consultei a Wikipedia e eis que surge esta informação:

Caravela-portuguesa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Garrafa azul)
Como ler uma caixa taxonómicaCaravela-portuguesa
Portuguese Man-O-War (Physalia physalis).jpg
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Cnidaria
Classe: Hydrozoa
Ordem: Siphonophora
Família: Physaliidae
Género: Physalia
Espécie: P. physalis
Nome binomial
”’Physalia physalis”’
Lineu, 1758

A caravela-portuguesa (Physalia physalis) ou barco-de-guerra-português, é uma colónia de animais do grupo dos cnidários. Tem cor azul e tentáculos cheios de células urticantes, e aparece nas águas de todas as regiões tropicais dos oceanos.

Características gerais

A caravela-portuguesa não tem movimento próprio – flutua à superfície das águas, empurrada pelo vento[1], com os seus tentáculos por baixo, sempre prontos a envolver um peixe para a sua alimentação. Os seus tentáculos podem chegar a alguns metros mas ela mesma mede em media 30 cm.

A caravela portuguesa é comummente identificada como uma medusa, mas na verdade é uma colónia de quatro tipos de pólipos. São eles:

Os cnidócitos, que são as células urticantes, portadoras dos nematocistos, encontram-se nos tentáculos e são accionados pela “rede nervosa”. A caravela-portuguesa tem dois tipos de nematocistos: pequenos e grandes; estes “órgãos” conservam as suas propriedades por muito tempo, mesmo que o indivíduo tenha ficado várias horas a seco na praia. A sua acção é baseada nas suas pressões osmótica e hidrostática individuais. Existem numerosas células sensoriais localizadas na epiderme dos tentáculos e na região próxima da boca.

A caravela-portuguesa é importante para a alimentação das tartarugas-marinhas, que são imunes ao veneno.[carece de fontes]

Um animal semelhante é a Velella. O flutuador da caravela é simétrico bilateralmente com os tentáculos no final, enquanto a velella é simétrica radialmente com a vela em ângulo. Além disso, a caravela tem um sifão, e a velella não.

Reprodução

Um exemplar de caravela-portuguesa é na verdade uma colónia de organismos unissexuais. Cada indivíduo tem gonozoóides específicos (órgãos sexuais ou partes, do sexo masculino ou feminino, destinadas à reprodução). Cada gonozoóide é formado por gonóforos, que são pequenas bolsas contendo exclusivamente ovários ou testículos. Por isso esses animais são classificados como dioécios, ou seja, os sexos são sempre separados entre exemplares macho e fêmea.[1]

Acredita-se que a fertilização da P. physalis ocorra em alto mar, pois os gâmetas dos gonozoóides são expelidos na água. Isso acontece porque os gnozoóides propriamente ditos destacam-se da estrutura principal e são lançados para fora da colónia. Esse facto pode ser uma resposta química que acontece quando grupos de caravelas-portuguesas estão presentes em uma mesma região. Uma densidade populacional mínima de caravelas-portuguesas é necessária para que ocorra a fertilização. Boa parte da reprodução acontece no período do outono, produzindo a grande quantidade de exemplares jovens que são comummente avistados durante o inverno e a primavera. O facto específico que desencadeia esse ciclo reprodutivo nessa época do ano ainda é desconhecido, mas começa provavelmente no Oceano Atlântico. A fertilização pode acontecer próximo à superfície. As suas larvas desenvolvem-se muito rapidamente, e transformam-se em pequenas criaturas flutuantes.[1]

In Wikipedia online

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

1 comentário a “73: AVISO: Cuidado com estes bichos que estão a chegar à nossa costa

  1. Pingback: Alforreca perigosa fecha praias da Costa | Portal da Saúde

Os comentários estão fechados.