177: Doentes com Alzheimer vão poder usar pulseiras em 2015

 

A ideia é aproveitar o que já está a ser feito com a pulseira “Estou Aqui”, usada pelas crianças nos meses de verão, e alargar este projecto aos portadores de Alzheimer durante todo o ano.

Os doentes com Alzheimer vão poder usar pulseiras a partir de 2015 para serem localizados, aproveitando o que já está a ser feito com a pulseira “Estou Aqui”, usada pelas crianças nos meses de verão, noticia o jornal Público.

O objectivo da PSP e da Associação de Familiares e Amigos de Doentes com Alzheimer é alargar este projecto aos portadores de Alzheimer durante todo o ano.

Em declarações à TSF, o subcomissário João Moura explicou que se trata de uma «pulseira única, pessoal e intransmissível dotada de um código alfanumérico» que permite um «contacto mais célere, direccionado e objectivo» quando for perdida.

«Caso uma pessoa com Alzheimer se perca e se afaste do seu local de segurança, a PSP estará mais disponível para a encontrar via 112, sendo que os dados são confidenciais e apenas geridos pela autoridade policial», explicou.

In TSF online
Publicado 29/08/2014 às 11:41

176: Consumo de tomate reduz risco de cancro da próstata

 
foto Reuters/David Mdzinarishvili

foto Reuters/David Mdzinarishvili

Homens que comem mais de 10 porções de tomates por semana têm um risco 18 por cento menor de desenvolver cancro da próstata, sugere uma nova pesquisa realizada pelas universidades britânicas de Cambridge, Oxford e Bristol.

De acordo com o estudo hoje publicado na revista médica “Cancer Epidemiology, Biomarkers and Prevention”, que pertence à Associação Americana de Pesquisa do Cancro, homens que comem essas porções de tomate e seus derivados semanalmente demonstraram ter menor risco de aumentar cancro da próstata, a segunda variedade de tumor maligno mais comum nas pessoas de sexo masculino em todo o mundo.

Os pesquisadores das universidades de Cambridge Oxford e Bristol avaliaram as dietas e estilo de vida de 1.806 homens com idades entre 50 e 69, com cancro da próstata, e compararam com a dos outros 12.005 homens sem a doença.

A equipa de investigadores avaliou o estilo de vida dos dois grupos, nomeadamente se na sua dieta se incluía o selénio, cálcio e alimentos ricos em licopeno, produtos associados à prevenção do cancro da próstata.

E no final, apurou-se que os homens que tiveram ingestão ideal desses três componentes alimentares tiveram um menor risco da doença, refere a revista médica Cancer Epidemiology, Biomarkers and Prevention.

A redução do risco do desenvolvimento da doença deve-se ao licopeno, um antioxidante que repele as toxinas que podem provocar danos nas células e ADN, disse a pesquisadora da Faculdade de Medicina da Universidade de Bristol, Vanessa Er, que liderou o estudo.

«Os nossos resultados sugerem que o tomate pode ser importante na prevenção do cancro da próstata. No entanto, mais estudos precisam ser realizados para confirmar os nossos resultados, especialmente por meio de testes em humanos. Os homens ainda devem comer uma grande variedade de frutas e legumes, manter uma alimentação saudável, controlar o peso e manterem-se activos», afirmou Vanessa Er.

In TSF online
Lusa
Publicado 27/08/2014 às 19:33

175: Diagnosticar cancros através de análise ao sangue

 

Investigação

Investigadores japoneses começaram a desenvolver um método para diagnosticar 13 dos tipos de cancro mais comuns através de uma análise ao sangue que, segundo os cientistas, seria “o primeiro sistema de detecção de alta precisão do mundo”.

dn19082014O grupo de investigadores, formado pelo Centro Nacional de Cancro (CNC) do Japão, pelo Centro de Desenvolvimento de Novas Tecnologias e Indústrias (NEDO), universidades e sete empresas, aspira ter disponível o novo sistema num prazo de cinco anos, de acordo com informações divulgadas hoje por estas instituições num comunicado conjunto citado pela agência Efe.

O projeto conta com um orçamento de 7.900 milhões de ienes (57 milhões de euros), financiados pelo NEDO, um organismo científico independente.

O seu objetivo passa por diagnosticar designadamente os cancros do estômago, esófago, pulmão, fígado, vesícula biliar, pâncreas, cólon, ovários, próstata, bexiga e mama.

Este seria “o primeiro sistema de diagnóstico de alta precisão do mundo” para o cancro, afirma na mesma nota o presidente do CNC, Tomomitsu Hotta, assinalando que o método permitiria aumentar a esperança de vida dos pacientes.

Simultaneamente, o NEDO trabalhará no desenvolvimento de um sistema idêntico para o Alzheimer, segundo o consórcio de investigadores.

In Diário de Notícias online
por Lusa, publicado por Marina Almeida
19/08/2014

174: Relógio inteligente para os mais velhos

 

O Tempo, é um novo relógio dedicado aos mais velhos, que monitoriza os hábitos diários e informa os familiares quando algo está errado, avança o Tech Tudo.

nm140820'14

Tech Tudo

Um relógio inteligente especialmente para idosos, que monitoriza os hábitos diários do utilizador e informa os parentes quando algo parece estar errado, noticia o Tech Tudo.

Este relógio ajuda a identificar problemas de saúde, como Alzheimer ou depressão, assim que os primeiros sintomas aparecem.

Esta funciona com sensores que rastreiam o movimento do utilizador pela casa e regista o tempo despendido em todas as actividades. Os dados são então transmitidos para um centro de comunicações que os analisa e envia notificações para o telemóvel ou computador do parente.

In Notícias ao Minuto online
22:45 – 15 de Agosto de 2014
Por Notícias Ao Minuto

173: Internet a partir dos 50 anos pode retardar declínio do cérebro

 

O uso regular da Internet, ou apenas do e-mail, pode prevenir a perda de memória, conclui um estudo

Reuters

Reuters

A investigação, levada a cabo por investigadores da Universidade do Sul de Santa Catarina, Brasil, monitorizou os cérebros de cerca de 6.500 britânicos, entre os 50 e os 90 anos, concluindo que os que usam a Internet regularmente, têm um declínio das funções do cérebro mais lento.

O estudo, agora publicado no Journals of Gerontology, realizou-se durante oito anos, com recurso a testes de memória.

“As pessoas que usavam regularmente a Internet e o e-mail apresentaram uma melhoria de 3,07% na memória tardia em comparação com aqueles que não usavam a Internet”, verificaram os cientistas.

A explicação? A “literacia digital” usa mais redes cognitivas do cérebro e exercita os músculos do cérebro mantendo-o saudável por mais tempo.

In Visão online
16:30 Quinta feira, 14 de Agosto de 2014

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...