141: Fátima: Misericórdia dá aparelhos GPS para doentes com Alzheimer

 

A Misericórdia Fátima-Ourém disponibiliza, a partir de Abril, 20 aparelhos de localização “GPS” para doentes de Alzheimer, no sentido de possibilitar a sua localização em caso de desorientação espacial, disse à agência Lusa a psicóloga da instituição.

nm28032014“Sentimos da parte dos cuidadores alguma dificuldade em termos de deambulação e da desorientação espacial dos doentes de Alzheimer”, explicou Diana Silva.

A psicóloga adiantou que os equipamentos, que incluem um cartão de telemóvel, têm o tamanho dos dispositivos “bip” e podem ser usados numa pulseira, num colar ou colocado numa bolsa para o doente trazer à cintura.

“O cuidador ou a pessoa responsável, sempre que necessitar, fará, através de um telemóvel, uma chamada para aquele localizador e receberá uma mensagem com um mapa — se for um sistema ‘smartphone’ — ou, então, com um ‘link’ para ir à Internet, de um mapa onde o utente está”, afirmou a psicóloga.

Diana Silva destacou, ainda, que o “localizador também permite ao utente, em caso de necessidade, activar o sistema com um pedido de SOS que o cuidador recebe no seu telemóvel”.

Notando que se trata de “um sistema inovador no concelho” e desconhecendo a eventual existência de outras entidades que promovam um projecto idêntico, a responsável referiu que a Santa Casa vai disponibilizar gratuitamente os dispositivos, com um custo unitário de 150 euros.

“As famílias com doentes de Alzheimer já acarretam custos na doença muito elevados e mais esta despesa seria insuportável”, justificou, observando que a única despesa que terão é na aquisição de um cartão de telemóvel, de qualquer operadora, de qualquer tarifário, sendo que o custo é, apenas, o da mensagem emitida pelo cuidador ou pelo utente.

Este projecto, desenvolvido no Gabinete de Apoio ao Familiar e Doente de Alzheimer da Misericórdia de Fátima-Ourém, sediada em Fátima, no distrito de Santarém, que apoia cerca de 30 pessoas, entre cuidadores e doentes, vai chegar a todo o concelho.

“Nem todos os doentes que seguimos aqui necessitam da instalação do aparelho porque não têm por hábito sair ou não estão na fase inicial da doença, onde o sintoma da desorientação é recorrente”, esclareceu, adiantando: “Ao nível do concelho tivemos vários pedidos e pretendemos fazer vários protocolos com outras instituições particulares de solidariedade para que elas próprias possam, nos doentes das suas freguesias, gerir isto”.

A aquisição dos dispositivos foi possível com o financiamento de 28 mil euros do programa “BPI Seniores 2013”, que permitiu, também, a aquisição de um software de reabilitação cognitiva.

“Aqui, no gabinete, já fazemos a reabilitação cognitiva dos utentes, através de exercícios de memória, de linguagem, de atenção”, esclareceu, realçando que há, agora, a possibilidade dos exercícios serem realizados na casa dos utentes, bastando ter um computador e uma ligação à Internet.

Ainda no âmbito do mesmo financiamento, a Misericórdia está a realizar sessões de musicoterapia, numa parceria com o Conservatório de Música Ourém-Fátima, actividade “muito eficaz ao nível da estimulação sensorial e da activação das memórias”.

A Santa Casa da Misericórdia Fátima-Ourém, criada em 2005, tem mais 84 utentes, distribuídos pelas valências de lar, apoio domiciliário, centro de convívio e serviço de tele-assistência.

In Notícias ao Minuto online
10:12 – 28 de Março de 2014 | Por Lusa

140: Malditas alergias. O que precisa de saber para sobreviver à Primavera

 

Os pólenes estão aí. Mesmo que nos próximos dias acalmem com a chuva, se sofreu no passado não se limite a tomar anti-histamínicos. Mais vale prevenir e ir ao médico. Luís Delgado, presidente da Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica e médico no Hospital de S. João, e Susana Piedade, imunoalergologista da Cuf, respondem às dúvidas

i21032014Quais são as alergias mais comuns nesta altura do ano? O problema da Primavera para quem tem alergias é ser o pico da polinização na maioria das plantas mais alergénicas. Em Portugal as principais causas de alergia a pólen são as gramíneas, fenos. Estas começam a polinizar no início da Primavera e atingem o pico entre Maio e Junho. Também é frequente a alergia à erva parietária, do grupo das ervas daninhas e que tem um período de polinização que começa na Primavera mas em alguns pontos do país repete no início do Outono.

Em relação aos pólenes das árvores, o mais alergénico é o da oliveira. Luís Delgado explica que os do pinheiro, ao contrário do que pensam muitas pessoas, são pólenes de maior dimensão e pouco alergénicos – os mais prejudiciais são invisíveis. É o caso também dos pólenes amarelos que se encontra em cima do carro, com os quais não se deve preocupar. “Apesar de raramente causarem alergia, podem servir de aviso que a época de polinização já começou.”

Em algumas zonas de clima mais frio e seco, na Primavera também é mais frequente a alergia aos ácaros, por que a temperatura amena promove a sua replicação. Muitas vezes estas duas alergias aparecem conjugadas nesta altura.

In Jornal i online
Por Marta F. Reis
publicado em 21 Mar 2014 – 22:00

139: Investigação pioneira desenvolvida em Coimbra

 

Demência fronto-temporal

Investigadores da Universidade de Coimbra (UC) estão a desenvolver um estudo pioneiro sobre os mecanismos da demência fronto-temporal “a segunda mais comum das demências”, anunciou hoje aquela instituição.

dn17032014“Pela primeira vez, em Portugal”, uma equipa de 14 investigadores da UC, através do Centro de Neurociências e Biologia Celular e da Faculdade de Medicina, está a “estudar os mecanismos envolvidos” na demência fronto-temporal, afirma a universidade, numa nota hoje distribuída.

A degenerescência lobar fronto-temporal, também conhecida por demência fronto-temporal, é uma “patologia com grandes implicações no comportamento” — que “afecta sobretudo o ‘centro de decisão’ do cérebro (os lobos fronto-temporal)” — e, apesar de ser a segunda demência mais comum, a seguir à doença de Alzheimer, “é ainda praticamente desconhecida”.

Os primeiros resultados do estudo, que envolve 70 doentes seguidos na consulta de demências, coordenada pela neurologista Isabel Santana, do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, revelaram “profundas alterações ao nível do complexo 1 da cadeia respiratória mitocondrial”, em comparação com “um grupo controlo constituído por voluntários saudáveis”.

Em 69 dos 70 doentes acompanhados foram verificadas “deficiências genéticas e bioenergéticas”, enquanto em 40 doentes foi observada uma “diminuição nos níveis de ATP circulantes”, que se “correlaciona com o decréscimo da actividade do complexo 1” da cadeia respiratória, refere Manuela Grazina, coordenadora do estudo e responsável pelo Laboratório de Bioquímica Genética da UC.

De forma simples, pode dizer-se que os investigadores “identificaram a ‘falha de energia’ que pode ajudar a esclarecer os mecanismos envolvidos na doença, ou seja, permite perceber onde é que o código está errado para, a partir daí, desenvolver formas de compensar ou reparar esse erro”.

A investigação, financiada pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT), pretende “ajudar no desenvolvimento de escalas neuropsicológicas de diagnóstico e análise de biomarcadores bigenómicos e bioquímicos, que permitam a detecção precoce da doença, e contribuir para novas abordagens terapêuticas que previnam e/ou travem a progressão” da demência fronto-temporal, uma doença complexa e sobre a qual se desconhecem “os mecanismos exactos subjacentes à sua etiologia”, sublinha a investigadora.

Apesar de não haver estudos sobre a incidência da patologia em Portugal, estima-se que a demência fronto-temporal representa 7% do conjunto das demências degenerativas na população com idades compreendidas entre os 45 anos e os 64 anos.

Este primeiro grande estudo de avaliação da interacção bigenómica (genomas mitocondrial e nuclear) na demência fronto-temporal conta com a colaboração do Baylor College of Medicine (EUA) e do Institute of Ageing and Health (Inglaterra).

In Diário de Notícias online
17/03/2014
por Lusa, texto publicado por Paula Mourato

138: Teste de sangue capaz de prever Alzheimer

 

Um novo teste pode antecipar a doença até três anos antes dos primeiros sintomas mas ainda não é cem por cento fiável.

Cientistas acreditam que um simples teste ao sangue pode levar a um diagnóstico precoce do Alzheimer, uma doença caracterizada por demência progressiva nos idosos.

Na sua versão actual, contudo, o teste tem apenas 90 por cento de fiabilidade, ou seja, uma em cada dez pessoas pode ser erradamente diagnosticada com uma doença para a qual não existe um tratamento efectivo.

Os investigadores acreditam que diagnosticar o Alzheimer mais cedo pode ajudar na procura de uma terapia ou cura, ao identificar as pessoas com maior risco de vir a sofrer da doença, que seriam elegíveis para participar em tratamentos experimentais.

A equipa do Centro Médico Universitário de Georgetown, em Washington, identificou 10 lípidos no sangue que são alterados em resultado da falência neuronal em determinadas partes do cérebro, associada ao Alzheimer.

Estes lípidos podem ser usados para detectar prematuramente sintomas de Alzheimer e outras formas de demência, tais como perda de memória e desorientação, facilmente confundidos com sinais normais de envelhecimento.

Segundo dados da Organização Alzheimer Portugal, estima-se que existam 153 mil pessoas com demência no nosso país, 90 mil das quais com doença de Alzheimer. A cada 24 segundos, um novo caso é diagnosticado na Europa.

In Visão online
14:47 Segunda feira, 10 de Março de 2014

137: Sete curiosidades sobre o café

 
O consumo em excesso de café é desaconselhado, mas estudos feitos nos últimos anos comprovam que o seu consumo moderado pode trazer benefícios, nomeadamente na prevenção da diabetes tipo II, cancro do fígado e doença de Parkinson. Mas há coisas sobre esta bebida que, talvez, ainda não saiba…

O Huffington Post apresentou uma lista de curiosidades sobre a bebida que é obrigatória para muitos.

Partilhamos algumas consigo:

tsf01032014_0101 – Foi originalmente conhecido na Europa como “vinho árabe”

O café chegou ao continente europeu no século XVI, vindo de terras árabes, onde era conhecido como “qahhwat al-bun”, ou “vinho do grão”. Essa expressão passou mais tarde a “qahwah”, que se tornou “kahveh” na Turquia, e que acabou por se converter no “café” que hoje conhecemos.

tsf01032014_0202 – O aroma a café em algumas lojas da especialidade pode ser falso

Empresas como a Starbucks recorrem por vezes a aromas artificiais para perfumar as suas lojas. Algumas marcas de café instantâneo como a Nescafé também adicionam aroma aos frascos, para que o produto pareça acabado de moer no momento de abertura.

tsf01032014_0303 – Os dois gatos com a maior longevidade alguma vez registada bebiam café todos os dias.

O gato que viveu mais tempo, reconhecido pelo Livro dos Recordes do Guinness, chamava-se Creme Puff e morreu com uns incríveis 38 anos de idade (a média está entre os 12 e os 14 anos). O seu dono, Jake Perry, dava-lhe café todas as manhãs, juntamente com bacon, ovos e brócolos. O mais curioso é que o gato que ostentava o recorde anterior, Grandpa Rex Allen, morreu com 34 anos, e era também um animal de estimação de Perry, tendo tido ao longo da vida a mesma dieta.

tsf01032014_0404 – Beber café pode proteger o seu fígado

Há algum tempo que é sabido que o café reduz o risco de desenvolver cirrose alcoólica, mas um estudo recente indica que o consumo de café reduz o risco de cancro do fígado em 40%. Três chávenas por dia reduzem o risco em mais de 50%.

tsf01032014_0505 – O pires pode ter servido originalmente para arrefecer o café.

Pode não passar de lenda, mas há quem diga que no século XVIII o o café era bebido a partir do pires, que era usado para arrefecer a bebida. Na época os pires eram mais fundos e largos e alguns quadros da época retratam essa forma estranha de consumir café e chá.

tsf01032014_0606 – Reza a lenda que bastou um golo de café para convencer o Papa

O café foi originalmente acusado de ser uma bebida demoníaca por alguns devotos cristãos, mas segundo o livro “Um Ano no Mundo“, de Frances Mayes, bastou ao Papa Clemente VII um golo para que declarasse: “Esta bebida é tão deliciosa que seria um pecado deixá-la apenas para os não-crentes! Derrotemos Satanás e abençoemos a bebida, que tem em si nada de ofensivo ao Cristianismo.”

tsf01032014_0707 – O “Café Suspenso” é uma tradição solidária

Surgiu em Itália, mas tem-se espalhado por todo o mundo, e consiste na tradição de pagar um café extra para um cliente futuro em dificuldades. Quem estiver em dificuldades financeiras pode perguntar no estabelecimento se tem “cafés suspensos” disponíveis, e beber assim o seu café.

In TSF online
28/02/2014 | 23:55

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...