79: DGS alerta profissionais de saúde para o risco de importação de casos de sarampo durante o verão

 

Saúde

A Direcção-Geral da Saúde (DGS) alertou os profissionais de saúde para o risco de importação de casos de sarampo durante o verão devido à maior circulação de turistas e emigrantes provenientes da Europa, África ou Ásia.

Numa circular dirigida aos médicos e enfermeiros do sistema de saúde, publicada no site da DGS, o director-geral da Saúde refere que “a situação epidemiológica descrita a nível mundial aumenta a probabilidade de importação de casos da doença, através de viajantes infectados e de, a partir desses casos, poderem surgir surtos em Portugal” como aconteceu em 2005, 2009, 2010 e também já este ano.

Assim, os médicos devem ter em consideração “o risco de importação de sarampo durante o verão, devido à maior circulação no nosso país de viajantes (turistas e migrantes) provenientes da Europa, África ou Ásia”, salienta Francisco George.

In Destak online
30 | 07 | 2012 08.14H
Destak/Lusa | destak@destak.pt

78: Descoberta mutação genética que trava Alzheimer

 

Cientistas islandeses descobriram uma mutação genética que serve de escudo à doença de Alzheimer e à degradação cognitiva causadas pelo envelhecimento, noticiou a revista científica britânica “Nature”.

foto Henriques da Cunha /arquivo jn

Pela primeira vez, foi detectada em idades mais avançadas uma mutação genética relacionada com a Alzheimer, doença degenerativa que afecta sobretudo os idosos.

Uma equipa do centro deCODE Genetics, de Reiquejavique, Islândia, estudou o genoma completo de 1795 islandeses e descobriu uma mutação do gene APP que reduziria até 40% a formação da proteína amilóide em idosos saudáveis.

A proteína é uma substância insolúvel que se acumula no cérebro dos doentes, formando placas, e é responsável pelo aparecimento da Alzheimer.

O estudo revelou que a função cognitiva dos idosos entre os 80 e os 100 anos, que tinham a mutação no gene APP, funcionava muito melhor do que a dos que não a possuíam.

“Pelo que sabemos, até agora, [a mutação] representa o primeiro exemplo de uma alteração genética que confere proteção forte contra a doença de Alzheimer”, sustenta o coordenador da equipa de investigação, Kari Stefansson.

Segundo os especialistas, a mutação genética permite travar a deterioração cognitiva nos idosos sem Alzheimer.

O investigador islandês Kari Stefansson defende que a Alzheimer pode representar o caso mais extremo da degradação da função cognitiva relacionada com a idade.

Até à data, os cientistas tinham descoberto 30 mutações do gene APP, 25 das quais tidas como causadoras da doença de Alzheimer em idades menos avançadas.

Em Portugal, estima-se que existam cerca de 153 mil pessoas com demência, das quais 90 mil com doença de Alzheimer, de acordo com a associação Alzheimer Portugal.

In Jornal de Notícias online
11/07/2012

77: A (evidente) causa primária do cancro

 
Sabiam que no ano de 1931 um cientista recebeu o prémio Nobel por descobrir a CAUSA PRIMÁRIA DO CÂNCER? 
Mas, espera aí, se a causa foi descoberta, por que razão ainda não descobriram a cura? 
Vamos saber agora:
Foi este senhor!

Otto Heinrich Warburg (1883-1970). Prêmio Nobel em 1931 por sua tese “A causa primária e a prevenção do câncer”.

Segundo este cientista, o câncer é a consequência de uma alimentação antifisiológica e um estilo de vida antifisiológico

– Porquê?… Porque uma alimentação antifisiológica – dieta baseada em alimentos acidificantes + sedentarismo, cria em nosso organismo um ambiente de ACIDEZ. 

ACIDEZ por sua vez, EXPULSA o OXIGÉNIO das células!!!
Ele afirmou: “A falta de oxigénio e a acidez são as “duas caras de uma mesma moeda”: quando você tem um, você tem o outro“.

Ou seja, se você tem excesso de acidez, então, automaticamente, tem falta oxigénio em seu organismo!
Outra afirmação interessante: “As substâncias ácidas repelem o oxigénio; em oposto, as substâncias alcalinas atraem o oxigénio.”

Ou seja, um ambiente ácido, é um ambiente sem oxigénio.

E ele afirmava que: “Privar uma célula de 35% de seu oxigénio durante 48 horas, pode convertê-la em cancerígena“.

Ainda segundo Warburg: “Todas as células normais tem como requisito absoluto o oxigénio,  porém as células cancerosas podem viver sem oxigénio – uma regra sem excepção“.

E também: “Os tecidos cancerosos são tecidos ácidos, enquanto que os saudáveis são tecidos alcalinos“.

Em sua obra “O metabolismo dos tumores”, Warburg demonstrou que todas as formas de câncer se caracterizam por duas condições básicas: » a acidose (acidez do sangue) e » a hipoxia (falta de oxigénio).

Também descobriu que as células cancerosas são anaeróbias (não respiram oxigénio) e NÃO PODEM sobreviver na presença de altos níveis de oxigénio; em troca, sobrevivem graças a  GLICOSE, sempre que o ambiente está livre de oxigénio… Portanto, o câncer não seria nada mais que um mecanismo de defesa que têm certas células do organismo para continuar com vida, em um ambiente ácido e carente de oxigénio.

Resumindo: Células sadias vivem em um ambiente alcalino e oxigenado, o qual permite seu normal funcionamento:
Células cancerosas vivem em um ambiente extremamente ácido e carente de oxigénio:

IMPORTANTE: Uma vez finalizado o processo da digestão, os alimentos, de acordo com a qualidade de proteína, hidrato de carbono, gordura, minerais e vitaminas que fornecem, gerarão uma condição de acidez ou alcalinidade no organismo. Ou seja, depende unicamente do que você come!O resultado acidificante ou alcalinizante se mede através de uma escala chamada PH, cujos valores se encontram em um nível de 0 a 14, sendo PH 7, um PH neutro.É importante saber como os alimentos ácidos e alcalinos afectam a saúde, já que,para que as células funcionem de forma correcta e adequada, seu PH deve ser ligeiramente alcalino. Numa pessoa saudável, o PH do sangue encontra-se entre 7,40 e 7,45. Leve em conta que: se o ph sanguíneo caísse abaixo de 7, entraríamos emestado de coma, próximo da morte.

Então, o que temos a ver com tudo isto? Vamos ao que interessa!!

Alimentos que acidificam o organismo

Açúcar refinado e todos os seus subprodutos – o pior de tudo: não têm proteínas, nem gorduras, nem minerais, nem vitaminas,

    só hidrato de carbono refinado, que pressiona o pâncreas. Seu PH é 2.1 ou seja,altamente acidificante.
# Carnes – todas# Leite de vaca e todos os seus derivados – queijos, requeijão, iogurtes, etc.Sal refinadoFarinha refinada e todos os seus derivados – massas, bolos, biscoitos, etc.
Produtos de padaria – a maioria contém gordura saturada, margarina, sal, açúcar e conservantes.
Margarinas Refrigerantes # Cafeína – café, chás pretos, chocolate.
Álcool Tabaco # Remédios, antibióticos 
# Qualquer alimento cozido – o cozimento elimina o oxigénio e o transforma em ácido – inclusive as verduras cozidas.
# Tudo que contenha conservantes, corantes, aromatizantes, estabilizantes, etc.
# Enfim: todos os alimentos enlatados e industrializados.Constantemente, o sangue se encontra autorregulando-se para não cair em acidez metabólica, desta forma garantindo o bom funcionamento celular, optimizando o metabolismo.
O organismo DEVERIA obter dos alimentos, as bases (minerais) para neutralizar a acidez do sangue na metabolização, porém todos os alimentos já citados, contribuem muito pouco, e em contrapartida, desmineralizam o organismo (sobretudo os refinados).
Há que se levar em conta que, no estilo de vida moderno, estes alimentos são consumidos pelo menos 3 vezes por dia, os 365 dias do ano!!!
Curiosamente, todos estes alimentos citados, são ANTIFISIOLÓGICOS!!…
O nosso organismo
 não foi projectado para digerir toda essa porcaria!!!

Alimentos 
Alcalinizantes
# Todas as verduras cruas (algumas são ácidas ao paladar, porém, dentro do organismo tem reacção alcalinizante,  outras são levemente acidificantes, porém trazem consigo as bases necessárias para seu correto equilíbrio); cruas produzem oxigénio,cozidas não.
# Frutas, igualmente tal como as verduras. Por exemplo: o limão tem um PH aproximado de 2.2, porém dentro do organismo tem um efeito altamente alcalinizante (quem sabe o mais poderoso de todos). Não se deixe enganar pelo seu gosto ácido, ok?
As frutas produzem quantidades saudáveis de oxigénio!Sementes: além de todos os seus benefícios, são altamente alcalinizantes, como por exemplo as amêndoas.
Cereais integrais: O único cereal integral alcalinizante é o milho, todos os demais são ligeiramente acidificantes, porém muito saudáveis!..
Lembre-se que, a nossa alimentação ideal necessita de uma percentagem de acidez (saudável).
O mel é altamente alcalinizante.A clorofila das plantas (de qualquer planta) é altamente alcalinizante (sobretudo a aloe vera, mais conhecida como babosa).
A água é importantíssima para a produção de oxigénio.
“A desidratação crónica é o estressante principal do corpo e a raiz da maior parte de todas as enfermidades
  degenerativas” – afirma o Dr. Feydoon Batmanghelidj.
O exercício oxigena todo teu organismo, o sedentarismo o desgasta. Não é preciso dizer mais nada, não é?O Doutor George w. Crile, de Cleveland, um dos cirurgiões mais importantes do mundo, declara abertamente:
“Todas as mortes mal chamadas naturais“, não são mais que o ponto terminal de uma saturação de ácidos no organismo”.
Como dito anteriormente, é totalmente impossível que um câncer prolifere em uma pessoa que libera seu corpo da acidez, nutrindo-se com alimentos que produzam reacções metabólicas alcalinas e aumentando o consumo de água pura; e que, por sua vez, evita os alimentos que produzem acidez, e se abstém de elementos tóxicos.

Em geral, o câncer não se contrai nem se herda… o que se herda são os costumes alimentícios, ambientais e o estilo de vida.

Isto sim, é que produz o câncer!

Mencken escreveu: “A luta da vida é contra a retenção de ácido”. 

O envelhecimento, a falta de energia, o stress, as dores de cabeça, enfermidades do coração, alergias, eczemas, urticária, asma, cálculos renais e arterioscleroses, entre outros, não são nada mais que a acumulação de ácidos“.

O Dr. Theodore A. Baroody disse em seu livro “Alkalize or Die” (Alcalinizar ou Morrer): 
“Na realidade não importa o sem-número de nomes de enfermidades. O que importa sim é que todas elas provém da mesma causa básica: muito lixo ácido no corpo”!

O Dr. Robert O. Young disse: “O excesso de acidificação no organismo é a causa de todas as enfermidades degenerativas. Quando se rompe o equilíbrio e o organismo começa a produzir e armazenar mais acidez e lixo tóxico do que pode eliminar, então, se manifestam diversas doenças”.

E a quimioterapia?

Não vou entrar em detalhes, somente me limito a enfatizar o óbvio: a quimioterapia acidifica o organismo a tal extremo, que este recorre às reservas alcalinas do corpo de forma imediata para neutralizar tanta acidez, sacrificando assim bases minerais (Cálcio, Magnésio, Potássio) depositadas nos ossos, dentes, articulações, unhas e cabelos.

É por esse motivo que se observa semelhante degradação nas pessoas que recebem este tratamento, e entre tantas outras coisas, se lhes cai, a grande velocidade, o cabelo.
Para o organismo não significa nada ficar sem cabelo, porém um PH ácido significaria a morte.Eis a resposta do começo do email

É necessário dizer que isto não é divulgado, porque a indústria do câncer (leia-se indústria alimentícia + indústria farmacêutica) e a quimioterapia, são alguns dos negócios mais multimilionários que existem hoje em dia !!!Será necessário dizer que:

a indústria farmacêutica e a indústria alimentícia são uma só entidade???

Nota: 
Você se dá conta do que significa isto?
– Quanto mais gente doente, mais a indústria farmacêutica, no mundo, vai lucrar!

– E p’ra fabricar tanta gente doente, é necessário muito alimento-lixo, tal como a indústria alimentícia tem produzido, hoje, no mundo, ou seja, um produz p’ra dar lucro ao outro e vice-versa, é uma corrente.

Esta é uma equação bem fácil de entender, não é?

Quantos de nós temos escutado a notícia de alguém que tem câncer e sempre alguém diz: “É.… poderia acontecer com qualquer um…“.
Com qualquer um??? 
Agora que você já sabe, o que você vai fazer a respeito deste magno problema?

“Que teu alimento seja teu remédio, que teu remédio seja teu alimento”.
     Hipócrates –

76: Seringa a laser sem agulha é portuguesa e deve chegar ao mercado em 2013

 

Uma seringa a laser, sem agulha, está a ser desenvolvida em Coimbra e deverá chegar ao mercado dentro de um ano, anunciou hoje Carlos Serpa, um dos investigadores envolvidos.

O Laserleap (seringa a laser) é um sistema em nada semelhante às tradicionais seringas com agulha, mas que, tal como estas, permite fazer chegar o medicamento ao destino pretendido, só que sem picada e recorrendo a laser.

O protótipo da “seringa” foi hoje apresentado na Universidade de Coimbra (UC), onde o projecto nasceu, em 2008, por um grupo de três investigadores do Departamento de Química, que inclui também Luís Arnaut e Gonçalo Sá.

Através do laser, é criada uma onda de pressão que, ao chegar à pele, gera uma “espécie de tremor de terra”, deixando-a “durante alguns segundos permeável”, o que facilita a aplicação do fármaco, administrado em creme ou gel, explicou Carlos Serpa.

O fármaco “surte efeito mais rapidamente, nomeadamente no caso dos analgésicos tópicos”, acrescentou.

Aplicações no tratamento do cancro da pele e de determinadas doenças dermatológicas, administração de vacinas ou aplicações em cosmética são algumas das utilizações da tecnologia Laserleap.

Testado em três dezenas de estudantes do Departamento de Química, o sistema “não provoca dor nem vermelhidão, de uma maneira geral – “apenas cinco por cento dos casos, mas passa rapidamente” – e é considerado “seguro para os humanos”.

Vencedor da primeira edição do prémio RedEmprendia (2010), no valor de 200 mil euros, o Laserleap, levou já à criação de uma empresa – LaserLeap Tecnologies, em Setembro de 2011, e actualmente incubada no Instituto Pedro Nunes – e a um pedido de patente internacional, em Abril de 2011.

Ainda recentemente, o projecto venceu o desafio internacional lançado no Photonics West 2012, um dos maiores encontros científicos do mundo na área da fotónica.

A RedEmprendia é uma associação criada com apoio do Grupo Santander e orientada para o empreendedorismo, que congrega 20 universidades ibero-americanas – em Portugal, as Universidades de Coimbra e do Porto.

Durante a apresentação do protótipo, o presidente da RedEmpreendia, Senen Barro, classificou o projecto português de “excepcional”, referindo que, na “corrida” ao prémio, estiveram outros também “bastante bons”.

“A qualidade de vida de muitas pessoas pode mudar radicalmente” com a nova seringa, considerou.

O director da divisão do Santander Universidades para Portugal, Marcos Ribeiro, afirmou, por sua vez, que “o país precisa agora, mais do que nunca, que as universidades prossigam o motor de desenvolvimento” que representam para o “crescimento sustentável das sociedades”.

Depois de salientar a importância da RedEmpreende no desenvolvimento dos projectos de investigação, o reitor da UC, João Gabriel Silva, manifestou-se preocupado com a “diminuição global dos montantes disponíveis para os projectos de investigação”, através da Fundação para a Ciência e Tecnologia.

“Se estas restrições se mantiverem, é óbvio que muito do percurso positivo que Portugal tem feito nos últimos 10, 15 anos vai ser posto em causa, o que é preocupante e não é compatível com as afirmações que se fazem de que as universidades são decisivas para o desenvolvimento do país”, sustentou.

In Diário Digital online
Diário Digital com Lusa
02/07/2012

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...