483: Aspirina pode tratar a forma mais severa de covid-19

 

SAÚDE/ASPIRINA/COVID-19

vfutscher / Flickr

A aspirina pode ser eficaz no tratamento da covid-19 com a sintomatologia mais severa. A coagulação do sangue tem sido associada cada vez mais à doença.

No verão, autópsias a pessoas que morreram de covid-19 revelaram que frequentemente a sua vasculatura e órgãos estavam cheios de coágulos e sangue coagulado.

“O que vimos nas unidades de cuidados intensivos é que muitos pacientes começariam a desenvolver muita coagulação, e essa carga elevada levaria à falência de múltiplos órgãos e, eventualmente, à morte”, contou Jonathan Chow, professor de anestesiologia na Faculdade de Medicina da Universidade de Maryland, nos Estados Unidos.

Assim, os coágulos estão associados à sintomatologia severa da covid-19. Como tal, Jonathan Chow e Michael Mazzeffi decidiram investigar se a aspirina poderia ajudar em alguma coisa. A aspirina é um medicamento que pode travar a formação de coágulos.

Os investigadores determinaram que o risco de morte ou entrada nos cuidados intensivos foi reduzido quase a metade entre as pessoas que receberam aspirina em comparação com aquelas que não tomaram esta medicação. Os resultados do estudo foram publicados, em Outubro, na revista científica Anesthesia and Analgesia.

“Eu acho que isto mostra que uma parte importante do processo da doença é a coagulação dos órgãos e que a intervenção nessas vias é algo em que nos devemos concentrar”, admitiu Mazzeffi, citado pelo portal Elemental.

Esta descoberta mostra que o novo coronavírus causa algo mais do que uma doença respiratória. “Afecta os rins, o cérebro, os vasos sanguíneos e o coração. Portanto, não é apenas um vírus respiratório”, salientou Girish Nadkarni, médico de medicina interna no Hospital Mount Sinai, em Nova Iorque, Estados Unidos.

Uma equipa de investigadores liderada por Nadkarni descobriu que os anticoagulantes reduziram significativamente o risco de morte entre certos grupos de pessoas com covid-19. O estudo foi publicado em Julho na revista científica Journal of the American College of Cardiology.

Tanto o estudo de Nadkarni como o estudo da aspirina apoiam a ideia de que, ao contrário das primeiras suposições, a covid-19 pode ser mais bem caracterizada como uma doença dos vasos sanguíneos. Todavia, são necessários mais estudos para confirmar esta ideia.

ZAP //

Por ZAP
9 Novembro, 2020

Há anos que tomo CARTIA (100 mg de ácido acetilsalicílico/comprimido), receitado por um médico cardiologista precisamente para diluir o sangue e não provocar tromboses. O CARTIA pertence ao grupo terapêutico dos antiagregantes plaquetários, como prevenção primária enfarte do miocárdio, da isquémia cerebral, doença vascular periférica, etc.. Consulte o seu médico sobre este medicamento.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...